Sola Scriptura e a interpretação individual – um diálogo com um protestante

Publicado: 4 de maio de 2011 por Rafasoftwares em Perguntas que merecem respostas, Uncategorized

Uma das principais diferenças entre católicos e protestantes reside na questão de onde está a autoridade. Enquanto os católicos aceitam a autoridade da Igreja e da Tradição, os protestantes afirmam que seguem apenas a Bíblia (sola Scriptura), e que cada crente tem a última palavra sobre a interpretação final em termos de preocupações de doutrina e prática (interpretação pessoal ou livre exame da Bíblia.)

Mas, para entender um pouco mais esta forma de pensar eu traduzi uma conversa fictícia entre um católico e um protestante apologista Dave Armstrong, que se reproduz em seu livro, “Mais evidências bíblicas para o catolicismo”:

Protestante (P): X é uma verdadeira doutrina, é verdade, porque está na Bíblia.

Católico (C): Segundo qual tradição denominacional?

P: A nossa …

C: Como você sabe que a sua tradição é a verdadeira e as outras são falsas?

P: Porque nós somos os únicos que têm a interpretação mais fiel da Escritura, pois somos os mais bíblicos.

C: Como você sabe que sua interpretação é mais fiel às Escrituras?

P: Por que nossa exegese é a mais harmoniosa e coerente com o texto e, portanto, o ensino mais claro da Bíblia.

C: Mas o resto das tradições protestantes afirmam a mesma coisa …

P: Devo dizer com grande respeito e amor que eles estão errados.

C: Como você sabe que eles estão errados? Se os protestantes não tem que ser tolerantes uns com os outros em suas “diferenças”, especialmente nos pontos “secundários”?, Mas você está chamando seus irmãos em Cristo “errados”

P: Eu sou obrigado, porque eles não conseguiram a correta hermenêutica e exegese, e eu devo ser fiel à verdade bíblica.

C: Mas como você sabe que eles falharam em seu método de interpretação?

P: Através da Bíblia e do estudo lingüístico, eo consenso dos estudiosos e comentadores.

C: Mas eu repito: Aos outros são dados os mesmos privilégios e competências.

P: Então, novamente eu digo: errado. Eles devem ter ficado cegos por seus preconceitos e pressuposições, ou até mesmo por seus pecados.

C: Como você sabe?

P: Porque eles chegaram a conclusões erradas sobre o que a Bíblia ensina claramente.

C: Francamente, o seu é um raciocínio circular. Mas mesmo aceitando a sua resposta eu pergunto: Como pode essa pessoa incauta e não buscadora da verdade escolher esta denominação como aquela que ensina a verdade sobre as Escrituras?

P: Olhando para aquele que é mais bíblica.

C: Não comece isso de novo (risos). Todos afirmam ser.

P: Bem, então, aquela que é apostólica e tem raízes nos primórdios da Igreja.

C: Então os pais devem ser estudados a fim de determinar quem é a verdadeira tradição apostólica?

P: Sim, eu acho.

C: Mas se você achar que a grande maioria dos pais tinha uma posição em qualquer doutrina contrária à sua posição?

P: Então, eles estavam errados sobre esse ponto.

C: Como você sabe?

P:Por que estudo as Escrituras

C: Então, quando tudo estiver dito e feito, é irrelevante o que a Igreja cristã ou os pais ou a Igreja tem acreditado em toda a história?

P: Não completamente, mas devo julgar se o que eles alegaram está em conformidade com a Bíblia.

C: Então você tem a última palavra e, portanto, é o árbitro final de cada tradição e da doutrina cristã?

P: Bem, se você quiser colocá-lo dessa maneira, sim.

C: Não é arrogante?

P: Não tanto quanto um papa e um grupo de pessoas mais velhas com chapéus vermelhos e vestido, me dizem o que acreditarr (risos)

C: Então você se faz o árbitro final de cada doutrina cristã, e objeta o Papa que faz um pronunciamento infalível a cada cem anos ou mais? É irônico! Sem dizer que isso te faz uma espécie de ” Super Papa ”

P: Você diz que quiser, mas nós o chamamos o primado da consciência individual.

C: Então você acha que sua própria opinião individual e “consciência” é superior à combinação do consenso de centenas de anos da história da igreja, os pronunciamentos do papa, a tradição da igreja e concílios ecumênicos …

P: Sim, porque se uma doutrina não é bíblica, por isso deve denunciar qualquer tradição dos homens, que é o caso.

C: Mas como você sabe que é uma tradição humana?

P: Por que não concordam com a Bíblia ….

C: Com base em que tradição denominacional?

P: A nossa …

C: Eu vou embora, já estou ficando com uma dor de cabeça …
Uma discussão similar há algum tempo atrás eu com um protestante e foi muito frustrante ver como ele não podia sair desse círculo vicioso. No seu caso particular, era completamente inconsciente da diferença entre a Escritura e sua interpretação. Para ele, o que ele achava da Bíblia foi o que ela disse, e quem é interpretava de forma diferente estava errado e ponto, seja por não estudar o suficiente,por não ter o Espírito Santo, ou ser cegado pelo pecado, por ter ” herdado” preconceitos do catolicismo romano, e etc. Foi também curioso vê-los citar eruditos: Se o que eles disseram foi em conformidade com o que ele alegou, sua opinião foi válida, mas se não, uma maldição.

Depois de tudo o que temos é o que se poderia chamar de “cafeteria do cristianismo”: Cada pessoa escolhe quais as doutrinas querem acreditar, toma dali e daqui igual ao consumidor com seu carrinho de compras passa através das prateleiras do supermercado e comprar o que quiser nas quantidades que preferir.
Escusado seria dizer que esta posição acaba por ser só inviável para alcançar a unidade doutrinária que exige a Igreja de Cristo (1 Coríntios 1.10), mas que ela não é bíblica por negar a autoridade instituída por Cristo na Igreja (Lc 10, 16) como administradora dos mistérios de Deus (1 Coríntios 4.1).

Não admira que este pensamento foi soprado ao protestantismo em grupos cada vez menores para gerar milhares de denominações. Ainda hoje é possível encontrar diferenças entre as denominações semelhantes diferenças extremamente grave. Existem Igrejas Luteranas e Presbiterianas que apóiam o aborto e outras não, o casamento gay há alguns que apóiam outros não, o que não nada senão é apenas um sintoma de como a corrupção penetrou profundamente na não só em suas praticas mas em suas doutrina (não podemos descrever de outra forma os que concordam e justificar o assassinato de bebês em gestação e a sodomia.)

Devo dizer que os cristãos da Igreja não são invulneráveis a riscos que destes modos de pensar, aí encontramos mais e mais “católicos”, com um pensamento semelhante em muitos pontos dos protestantes e rejeitar a autoridade da Igreja, mesmo sobre a doutrina fundamental. Há uma abundância dos católicos de frente “progressista” publicamente negando dogmas, bem como “lefebvrianos” direta ou veladamente discordando de um Concílio Ecumênico, pregando o congelamento da tradição e rejeitando o ensinamento da Igreja de hoje com base em sua própria interpretação da tradição do passado.

Para todos estes casos, se não quisermos sofrer o destino protestantes e imerso na idolatria da consciência individual, não há outro jeito, se não a professar a fé da Igreja integra e absoluto.

Fonte: apologeticacatólica.org

Tradução: Rafael Rodrigues.

comentários
  1. Victor disse:

    Desculpe, mas não interessa quantas denominações ou interpretações ou etc existam… quem escreveu o texto bíblico, não queria dizer varias coisas, para cada um interpretar a seu modo, mas quis passar uma única mensagem, na qual é o verdadeiro evangelho, porque se a fé cristã não é baseada nas escrituras, de onde retiramos nossos conceitos e modo de pensar, iremos retirar de onde?…. Não defendo de forma tão extrema o protestantismo, pois historicamente existem relatos de que não foi algo tão “lindo” assim, pois o homem mais uma vez deixou seus interesses o influenciar… Mas deve sim ser feito um estudo, através de dados históricos, pesquisa, discernimento e oração para se chegar a vontade de Deus…. Chega a ser ridículo falar sobre algo tão óbvio… Não tem que se achar quem está certo… Cada um, de cada denominação sabe realmente o que deve fazer em relação a isso… Chega de competição para ver qual é o maior ego… Pois o preço vai ser caro para hipócritas, e cristãos mimados que parecem crianças que sabem que estão fazendo algo errado, mas poe a mão na orelha e fica “- Lá lá lá lá lá” Da nojo ver essas coisas.

  2. Elyseu disse:

    SER SUPOSTO EVANGÉLICO É TER RACIOCÍNIO DEFICIENTE, POR CONVENIÊNCIA OU IGNORÂNCIA RELIGIOSA E NÃO SABER QUE ANTECEDENTEMENTE EXISTIU A IGREJA.

    Os pastores protestantes são ignorantes em historicidade ou preferem-no por conveniência – talvez a maioria não quer perder o emprego, os clientes – subjugam católicos ignorantes acerca da fé, nada conhecedores de exegética e muito menos de apologética cristã em antigos questionamentos conhecidos, de que se aproveitam de incautos: como a questão de hipótese de adoração de imagens e culto deusificante à Virgem Mãe etc.

    A questão de se ajoelhar aos pés de imagens, por ex., ao citar-lhes o episódio de Moisés lançar-se aos pés de se sogro, Ex 18,7 e o pai e irmãos de José do Egito, Gn 43,26 e 44, 14 etc., como saudação e semelhantes fazem-nos furiosos e logo se vão. Aliás, se cada paróquia possuísse algo nesse sentido para instruir melhor os católicos, alguns não bandeariam para as seitas.
    Todas essas seitas são ideologias religiosas, reinos divididos contra si mesmos, subsistem às centenas divididamente entre si e mesmo dentro de uma seita há várias pois como há a livre interpretação, cada um entende e ensina como quer ou convém e até as instruções do pastor são submetidas aos critérios de cada um, de aceitação ou não; seu cargo de docente é aparente na assembéia, sujeito à contestação.
    Os pastores se contradizem uns aos outros doutrinariamente, inclusive alguns admitem até aborto, negociam e votam em candidatos e partidos socialistas.
    Não há Bíblia sem Igreja, por primeiro existiu a Igreja, depois a Bíblia: mas já existiu Igreja sem Bíblia – evangelizando somente à base da Tradição em viagens missionárias – até praticamente 1600 DC não a havia disponível de forma portante.
    Confira no YouTube as querelas entre famosos pastores sob diversos ângulos, inclusive de acusações de incidência em heresias(!) e pertença à maçonaria…
    Tem me parecido, em geral, duas coisas básicas: pertencer a uma dessa seitas é atestado público de comportamento de ignorância religiosa e ou cabeça-dura anexo; também, alguns já demonstraram tratar-se interesse pessoal por motivos outros inclusive , como me disseram um deles: é aqui que tiro sustento de minha família…
    Aliás, muitas igrejas de fachadas evangélicas transformaram-se em empresas rentáveis de intermediação de milagres(?) – tentar a Deus, como fez o diabo – como se Ele estivesse à disposição para nos servir, para não dizer que as patas do diabo estão nesses supostos milagres, pois só de os terem levado para seita conseguiram o que se interessavam: a perdição eterna da pessoa.

  3. Val disse:

    O PROTESTANTE DÁ CRÉDITO AOS HOMENS

    Por que o protestante crê na Bíblia ? Cite fonte divina. Não vale ensino de homens.
    Como o protestante sabe que a Bíblia é a palavra de DEUS ? Cite fonte divina. Nada de ensinos humanos.
    Digam onde está na Bíblia que a Bíblia é a única regra de fé ?
    Digam onde está na Bíblia o ensino do “Sola Scriptura” ?
    Digam onde está na Bíblia a definição dos livros inspirados ?
    Digam onde está na Bíblia a definição da Bíblia protestante como a Bíblia a ser seguida ?
    Digam onde está na tua Bíblia as definições dos tradutores Lutero e João Ferreira de Almeida.
    Quem ensinou ao protestante que se deve crer na Bíblia ? Me digam quem foi. Não vale homens ou ensinos humanos.
    Vou responder as mesmas perguntas com uma única resposta. Eu creio na Igreja Católica, coluna e sustentáculo da verdade. Ela me ensina tudo. Por meio dela tenho todas as respostas. Creio ainda que a Igreja Católica não é obra de homens, mas obra de DEUS. Creio que a igreja é a esposa de Jesus Cristo.
    Agora me respondam as mesmas perguntas. Fui objetivo. Sejam também.
    Não vale informações de homens ou ensinos humanos.
    É o protestante que vive dizendo que recusa ensinos de homens.
    É o protestante que diz não ter mediadores.
    É o protestante que diz que só se confessa a DEUS.
    Considerando que Jesus não apareceu para protestante algum e nem a Bíblia lhes caiu do céu, como podem explicar tudo que perguntamos ?
    Por que o protestante crê na Bíblia ? Cite fonte divina.
    Como o protestante sabe que a Bíblia é a palavra de DEUS ? Cite fonte divina.
    Digam onde está na Bíblia que a Bíblia é a única regra de fé ?
    Digam onde está na Bíblia o ensino do “Sola Scriptura” ?
    Digam onde está na Bíblia a definição dos livros inspirados ?
    Digam onde está na Bíblia a definição da Bíblia protestante como a Bíblia a ser seguida ?
    Digam onde está na tua Bíblia as definições dos tradutores Lutero e João Ferreira de Almeida como sendo os tradutores oficiais.
    Quem ensinou ao protestante que se deve crer na Bíblia ? Me diga quem foi.
    Observação: Não vale dizer que a Bíblia é auto explicativa. Todos nós sabemos que o testemunho de si para si mesmo é inválido. Jesus dá testemunho do pai e o pai dá testemunho do filho.

    Autor: A.Silva com a colaboração de V.De Carvalho – Livre divulgação mencionando-se o autor

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s