Arquivo da categoria ‘Santos e Imagens’

Uma Analise Sobre os Santos e a Intercessão

Publicado: 24 de janeiro de 2011 por Rafasoftwares em Santos e Imagens

“Chamem de Santo só ao Senhor dos exércitos.”, dizem as sagradas escrituras.

Porém, elas mesmas dizem:

“Sede santos porque Eu sou santo!” (Lv 19, 2; 20, 7; I Pd 1, 16)

Deus diz para sermos santos Nele! Logo, Deus não é apenas santo, Ele é o Santo dos santos. Cristo é o Santo dos santos! (Dn 9, 24; Is 11, 1-5; Mt 3, 1-17). Origem de toda a santidade. Ser santo é ser “são”, íntegro, puro. Porém, não é ser alguém sem pecados!

O que é interceder?

Interceder, no sentido religioso, é pedir a Deus algo em favor de outra pessoa.

Quem pode interceder?

Todos podemos interceder por alguém, porém temos um supremo intercessor que é Cristo, mas todos nós cristãos podemos interceder uns pelos outros em nossas orações como assim nos ensina a bíblia (Tg 5, 16 , Rm 15, 30 e etc.)

E os Santos Canonizados na Igreja Católica onde entram nesta história? Não estariam eles mortos?

Morrer em Cristo é ir Para o Céu!

A Carta aos Hebreus diz claramente, “como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”. (Hb 9,27)

Ou seja depois que morremos somo imediatamente julgados, ou é céu ou é inferno.

Alguns protestantes costumam rebater a intercessão dizendo que os mortos não sabem de nada, não tem consciência de coisa alguma, estão dormindo, esperando o julgamento final e que ainda não há ninguém no céu, citam Ecl 9, 5, Sl 115, 17 para confirmar isto.  Ora, isto é uma realidade do antigo testamento, antes de Cristo. Já mostrei em Hebreus que após a morte somos julgados. Cristo trouxe uma nova economia, foi pregar aos que estavam na Região dos Mortos desde a criação do mundo até Sua Crucificação ( 1.ª Pd 3, 18-20; 4, 5-6 ). Vencendo a morte levou muitos deles para o Céu ( Sl 68, 19; Ef 4, 8 ) e mesmo assim, ainda no antigo testamento já vemos algumas pessoas que foram para o céu, vejamos:

Henoc:

Gêneses 5, 23. A duração total da vida de Henoc foi de trezentos e sessenta e cinco anos. 24. Henoc andou com Deus e desapareceu, porque Deus o levou.

Elias:

II Reis 2, 1: Eis o que se passou no dia em que o Senhor arrebatou Elias ao céu num turbilhão (…)

E mesmo no antigo testamento já temos uma menção a interseção dos Santos:

Jer 15, 1. Disse-me, então, o Senhor: Mesmo que Moisés e Samuel se apresentassem diante de mim, meu coração não se voltaria para esse povo. Expulsai-o para longe de minha presença! Que se afaste de mim!

Samuel já tinha até aparecido para Saul depois de mortos para fazer uma revelação (I Samuel 28, 1-19). Não era nenhum demônio como alguns costumam dizer, era Samuel mesmo, o próprio texto sacro afirma ser Samuel! Quem somos nós para duvidar? E ainda mais, um demônio é onisciente para saber o futuro? Acaso os demônios já podem profetizar? A confirmação do que Samuel revelou no capitulo 28 se dá no 29. (I Samuel 29, 1-11)

E o novo testamento comprova que eles estavam no céu. Apareceram (Elias e Moisés) para Jesus e conversaram com ele conscientemente, sabendo que ele era o Messias, o que estava fazendo e o que iria acontecer com ele. Confira Mt 17,3;  Mc 9,4; Lc 9, 28-31.

Ora como Moisés pode aparecer, com corpo glorificado, a Cristo? No AntigoTestamento não é relatado que Moisés morreu e foi sepultado?

É simples, o corpo de Moisés foi levado por Miguel para o céu, Judas atesta:

Judas 9. Ora, quando o arcanjo Miguel discutia com o demônio e lhe disputava o corpo de Moisés, não ousou fulminar contra ele uma sentença de execração, mas disse somente: Que o próprio Senhor te repreenda!

E também:

Disse Jesus: Por outra parte, que os mortos hão de ressuscitar é o que Moisés revelou na passagem da sarça ardente (Ex 3,6), chamando ao Senhor: Deus de Abraão, Deus de Isaac, Deus de Jacó. Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos; porque todos vivem para ele.” (Lc 20,37-38).

O que significam os santos para a Igreja católica?

Com sua intercessão diante de Jesus, nossas orações recebem um forte impulso, e muitas graças alcançamos assim! De modo especial as graças que são necessárias ou importantes para vivermos fiéis à Vontade de Deus!

O exemplo de suas vidas, o testemunho que deixaram de Amor a Deus, a vivência firme do Evangelho, o amor ao próximo, tudo isto serve de exemplo para nós, nos fortalecem nos animam para sermos melhores cristãos, melhores filhos do altíssimo.

A Igreja tem especial carinho filial àquela que foi escolhida pra ser a Mãe de Jesus e nossa (João 19, 26-27). A Igreja proclama-a como Bem-Aventurada! (Lc 1, 48), ela recebeu uma graça maravilhosa e EXCLUSIVA:  Ser mãe do Filho de Deus!

A bíblia nos ensina a seguir o exemplo dos Santos:

Hb 11, 4-5. Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício bem superior ao de Caim, e mereceu ser chamado justo, porque Deus aceitou as suas ofertas. Graças a ela é que, apesar de sua morte, ele ainda fala. Pela fé Henoc foi arrebatado, sem ter conhecido a morte: e não foi achado, porquanto Deus o arrebatou; mas a Escritura diz que, antes de ser arrebatado, ele tinha agradado a Deus (Gn 5,24).

Onde encontramos eles orando, falando com Deus, ou pedindo algo pelos vivos na carne?

Basta lermos um pouquinho mais a fundo a bíblia e notarmos!

Vejamos o apocalipse:

Apocalipse4, 4. Ao redor havia vinte e quatro tronos, e neles, sentados, vinte e quatro Anciãos vestidos de vestes brancas e com coroas de ouro na cabeça. Estes Anciãos são sacerdotes, adoram a Deus (4, 10; 5, 9; 11, 16-17; 19, 4). OFERECEM AS ORAÇÕES DOS FIÉIS (AP 5, 8). Este número corresponde talvez aos das 24 ordens sacerdotais de 1Cr 24, 1-19. Visto que o que havia na terra era uma imagem do santuário no céu.

Mais adiante vemos os mortos em Cristo aparecem sob seu altar clamando por justiça contra os habitantes da terra:

Apocalipse 6, 9. Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários. 10. E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? 11. Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos.

Em Lucas vemos até alguém que foi para o inferno suplicando por sua família:

Lucas 16, 22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24. Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25. Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento.
26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá. 27. O rico disse: – Rogo-te então, pai, que mandes Lázaro à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos,
28. para lhes testemunhar, que não aconteça virem também eles parar neste lugar de tormentos.

Quais outras passagens que falam que os mortos em cristo vão para o céu?

Veja:

II Coríntios 5, 1-9. 1. Sabemos, com efeito, que ao se desfazer a tenda que habitamos neste mundo, recebemos uma casa preparada por Deus e não por mãos humanas, uma habitação eterna no céu. 2. E por isto suspiramos e anelamos ser sobrevestidos da nossa habitação celeste, 3. contanto que sejamos achados vestidos e não despidos. 4. Pois, enquanto permanecemos nesta tenda, gememos oprimidos: desejamos ser não despojados, mas revestidos com uma veste nova por cima da outra, de modo que o que há de mortal em nós seja absorvido pela vida. 5. Aquele que nos formou para este destino é Deus mesmo, que nos deu por penhor o seu Espírito. 6. Por isso, estamos sempre cheios de confiança. Sabemos que todo o tempo que passamos no corpo é um exílio longe do Senhor. 7. Andamos na fé e não na visão. 8. Estamos, repito, cheios de confiança, preferindo ausentar-nos deste corpo para ir habitar junto do Senhor. 9.É também por isso que, vivos ou mortos, nos esforçamos por agradar-lhe.

Efésios 4, 7-8 Mas a cada um de nós foi dada a graça, segundo a medida do dom de Cristo, pelo que diz: Quando subiu ao alto, levou muitos cativos, cumulou de dons os homens (Sl 67,19).

I tessalonicenses 3,13: Que ele confirme os vossos corações, e os torne irrepreensíveis e santos na presença de Deus, nosso Pai, por ocasião da vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos!”

Fl 1, 21-23. Porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Mas, se o viver no corpo é útil para o meu trabalho, não sei então o que devo preferir. Sinto-me pressionado dos dois lados: por uma parte, desejaria desprender-me para estar com Cristo – o que seria imensamente melhor;

“Mas, cheio do Espírito Santo, Estevão fitou o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus: Eis que vejo, disse ele, os céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus.  Levantaram então um grande clamor, taparam os ouvidos e todos juntos se atiraram furiosos contra ele. Lançaram-no fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um moço chamado Saulo. E apedrejavam Estevão, que orava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito” (At 7,55-59)

I tessalonicenses 5, 10 Ele morreu por nós, a fim de que nós, quer em estado de vigília, quer de sono, vivamos em união com ele.

Veja alguém que foi ao céu vivo:

II coríntios 12,2. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. 3. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – 4. Foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir. 5. Desse homem eu me gloriarei, mas de mim mesmo não me gloriarei, a não ser das minhas fraquezas.

Jesus foi pregar aos mortos para que pudessem se salvar, portanto eles só poderiam estar acordados:

1 Pedro 3, 18. Pois também Cristo morreu uma vez pelos nossos pecados – o Justo pelos injustos – para nos conduzir a Deus. Padeceu a morte em sua carne, mas foi vivificado quanto ao espírito. 19. É neste mesmo espírito que ele foi pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes…

1 Pedro 4, 5. Eles darão conta àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos. 6. Pois para isto foi o Evangelho pregado também aos mortos; para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito.

E o que falar então de 1 Timóteo 2, 5:

“ Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo….”

Os protestante costumam usar está passagem para dizer que nós católicos não temos Jesus como único mediador, ora interceder é diferente de mediar, e ainda mais no sentindo da salvação, já mostrei como podemos orar uns pelos outros, a mediação de Jesus é no sentido de  homem salvador e reconciliador, isto só ele pode ser, e não há outro como assim afirma o catecismo da Igreja católica:

Parágrafo 956: A intercessão dos santos. “Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de interceder por nós ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo único mediador de Deus e dos homens, Cristo Jesus. Por conseguinte, pela fraterna solicitude deles, nossa fraqueza recebe o mais valioso auxílio” (Parágrafos relacionados 1370,2683)

A intercessão dos Santos e os primeiros Cristãos:

Vejamos primeiro um texto de um dos mais renomados Historiadores Protestantes JND Kelly. Ele diz:

Um fenômeno de grande significação no período patrístico foi o surgimento e gradual desenvolvimento da veneração aos santos, mais particularmente à bem-aventurada virgem Maria…Logo após vinha o culto aos mártires, os heróis da fé que os primeiros cristãos afirmavam já estarem na presença de Deus e gloriosos em sua visão. Em primeiro lugar tomou forma de uma preservação das relíquias e da celebração anual de seu nascimento. A partir daí foi um pequeno passo, pois já estavam participando com Cristo da glória celeste, para que se buscassem suas orações, e já no terceiro século se acumulam as evidências da crença no poder da intercessão dos santos [J.N.D. Kelly, Early Christian Doctrines, revised edition (San Francisco: Harper, c. 1979), p. 490]

Relatos Primitivos

Martírio de Policarpo (Ano 155 D.C):

Após sua morte lemos a honra que era prestada as suas relíquias:

“Ele disse: não aconteça que eles, abandonando o crucificado, passem a cultuar este ai. ”Dizia estas coisas por sugestão insistentes dos judeus, que nos tinham vigiado quando queríamos retirar o corpo do fogo. Ignoravam eles que não poderíamos jamais abandonar Cristo, que sofreu pela salvação de todos aqueles que são salvos no mundo, como inocente em favor dos pecadores, nem prestamos culto a outro nós o adoramos, por que é o Filho de Deus. Quanto aos mártires, nós os amamos justamente como discípulos e imitadores do senhor, por causa da incomparável devoção que tinham para com seu rei e mestre. Pudéssemos nós também ser seus companheiros e condiscípulos….

…..Então, ao menos, conseguimos tomar os seus ossos, mais preciosos que uma jóia e mais puros que o ouro, e os pusemos em local adequado. Que o Senhor nos permita ser capaz de nos juntarmos a ele na alegria e no júbilo, e de celebrar o aniversário do seu martírio.”

Cirilo de Jerusalém(+- 350 d.C), escreveu:

“Façamos menção aos já falecidos; primeiro aos patriarcas, profetas, apóstolos e mártires, que por suas súplicas e orações Deus receberá nossos pedidos”

Santo Agostinho (400 d.C) dizia:

“A oração, contudo, é oferecida em benefício de outros mortos de quem lembramos, pois é errado rezar por um mártir, a cujas orações nós devemos nos recomendar.”

Na obra Contra Fausto, escreve:

“O povo cristão celebra unidos em solenidade religiosa a memória dos mártires, tanto para encorajar que sejam imitados e para que possam repartir seus méritos e serem auxiliados pelas suas orações”.

Devoção X Devocionalismo

Devoção é respeito, amor, uma atitude Cristã e Católica.

Devocionalismo Não é uma atitude católica, muitos hoje se dizem católicos, apenas por que seus antepassados foram, sem nem saber nada sobre a história da igreja, sobre sua doutrina e até mesmo sem saber quem é Jesus de fato, apenas o têm como um ídolo distante que deve ser adorado apenas para aplacar a necessidade humana de crer em divindades. Estes vêm nos santos outros deuses e não irmãos que fazem parte de um mesmo corpo (1Cor 12,12.20s) e que podem apenas orar e suplicar por nós diante do Senhor. São os chamados caçadores de milagres, apenas vão a Igreja quando estão atrás de milagres e se esquecem de buscar lá a salvação em Jesus. Devocionalismo é fruto de ignorância, de falta de evangelização e catequese adequadas! Devocionalismo atrapalha um verdadeiro relacionamento com Jesus, pois toma o foco, e muitas vezes até a Salvação de quem o prática.

Na fé católica  Jesus é o Centro!  Jesus é o alfa e o ômega!
Jesus é o único Salvador e Senhor!  Jesus é o Filho de Deus que se encarnou, morreu, e ressuscitou por Amor a nós!

Anúncios

Arqueólogos acham pinturas mais antigas dos apóstolos de Jesus

Publicado: 24 de junho de 2010 por Rafasoftwares em Santos e Imagens

Afrescos foram encontrados em catacumba de igreja nos arredores de Roma; acredita-se que retratos posteriores foram baseados neles.

Arqueólogos e restauradores de arte usando nova tecnologia a laser descobriram o que acreditam ser as pinturas mais antigas dos rostos dos apóstolos de Jesus Cristo. As imagens encontradas em um ramal das catacumbas de Santa Tecla, perto da Basílica de São Pedro, do lado de fora das muralhas da Roma antiga, foram pintadas no fim do século 4 ou início do século 5. Veja na galeria.

Arqueólogos acreditam que essas imagens podem estar entre as que mais influenciaram os retratos feitos por artistas posteriores dos mais importantes entre os primeiros seguidores de Cristo.

“São as primeiras imagens que conhecemos dos rostos desses quatro apóstolos”, disse o professor Fabrizio Bisconti, diretor de arqueologia das catacumbas de Roma, que pertencem ao Vaticano e são administradas por ele.

Os afrescos eram conhecidos, mas seus detalhes vieram à tona durante um projeto de restauração iniciado dois anos atrás e cujos resultados foram anunciados nesta terça-feira (22) em coletiva de imprensa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os ícones de rosto inteiro incluem as faces de São Pedro, Santo André e São João, que fizeram parte dos 12 apóstolos originais de Jesus, e São Paulo, que se tornou apóstolo após a morte de Cristo.

As pinturas possuem as mesmas características de imagens posteriores, como a testa enrugada e alongada, a cabeça calva e a barbicha pontuda de São Paulo, o que indica que podem ter sido as imagens nas quais os retratos posteriores se basearam.

Os quatro círculos, com cerca de 50 centímetros de diâmetro, estão no teto do local do sepultamento subterrâneo de uma mulher nobre que se acredita que tenha se convertido ao cristianismo no fim do mesmo século em que o imperador Constantino legalizou a religião.

Bisconti explicou que as pinturas mais antigas dos apóstolos os mostram em grupo, com rostos menores cujos detalhes são difíceis de distinguir.

“Trata-se de uma descoberta muito importante na história das comunidades cristãs primitivas de Roma”, disse Bisconti.

“Cirurgia” a laser
Os afrescos dentro do túmulo, medindo cerca de 2 metros por 2 metros, estavam recobertos de uma pátina espessa de carbonato de cálcio pulverizado, provocada pela umidade extrema e a ausência de circulação de ar.

“Fizemos análises extensas e demoradas antes de decidir qual técnica empregar”, disse Barbara Mazzei, que chefiou o projeto. Ela explicou como usou um laser como “bisturi ótico” para fazer o carbonato de cálcio cair sem prejudicar a tinta.

“O laser criou uma espécie de miniexplosão de vapor quando interagiu com o carbonato de cálcio, levando este a se destacar da superfície.” O resultado foi a clareza espantosa das imagens, antes opacas e sem nitidez.

As rugas na testa de São Paulo, por exemplo, estão nítidas, e a brancura da barba de São Pedro ressurgiu.

“Foi uma descoberta de forte impacto emocional”, disse Mazzei.

Outras cenas da Bíblia, como a de Jesus convocando Lázaro a levantar-se dos mortos ou Abraão preparando-se para sacrificar seu filho, Isaac, também ficaram muito mais claras e nítidas.

“No que diz respeito a pinturas no interior de catacumbas, estamos acostumados a ver pinturas muito pálidas, geralmente brancas, com poucas cores. No caso das catacumbas de Santa Tecla, a grande surpresa foram as cores extraordinárias. Quanto mais avançamos, mais surpresas encontramos”, disse Mazzei.

Situado num labirinto de catacumbas sob um prédio moderno, o túmulo ainda não está aberto ao público devido às obras que continuam, à dificuldade de acesso e ao espaço limitado. Bisconti disse que as novas descobertas serão abertas apenas à visitação de especialistas, por enquanto.

Fonte: Último Segundo

Santos e Intercessão

Publicado: 17 de junho de 2010 por Rafasoftwares em Santos e Imagens

O QUE É SER SANTO?

“Chamem de Santo só ao Senhor dos exércitos.”, diz a Bíblia. Porém, Deus mesmo é Quem nos diz: “Sede santos porque Eu sou santo!” (Lv 19, 2; 20, 7; I Pd 1, 16) Ele mesmo pede para sermos santos Nele! Logo, Deus não é apenas santo, Ele é o Santo dos santos. Cristo é o Santo dos santos! (Dn 9, 24; Is 11, 1-5; Mt 3, 1-17) Fonte de toda a santidade.
Ser santo é ser “são”, íntegro, puro, perfeito. No entanto, não significa ser alguém sem pecados! O ser humano é santo e é pecador. Pecador porque todos têm pecados (1.ª João 1:8), e santo porque o Espírito Santo é Quem nos santifica, nos fortalece, e nos purifica. Ser perfeito para Deus, não é sermos isentos de pecado, pois, Ele não poderia pedir algo que não podemos ser ou fazer aqui na Terra, mesmo com Sua Graça. Ser perfeito para Deus, Que conhece nossos limites, é buscar evitar o pecado, e quando cair não se entregar, mas, recorrer ao Pai da Misericórdia. Nosso desafio é deixarmos a santidade do Espírito de Deus prevalecer em nossas vidas. Os santos, hoje canonizados, ou seja, reconhecidos oficialmente como santos intercessores no Céu, tinham pecados em vida, mesmo após suas conversões, mas, lutavam para deixar a santidade de Deus prevalecer. E isto só aconteceu de forma plena no Céu, onde estão, e onde o pecado não habita. Foram purificados plenamente pelo Sangue do Cordeiro, e hoje são unicamente santos, não mais santos e pecadores. Estão na Graça Plena!

DEVOÇÃO AOS ‘SANTOS’

Protestantes questionam que muitos católicos dizem: ‘Sou feliz por ser católico, sou devoto de Paulo, de Pedro e outros, sendo que a Bíblia diz em 1.ª Coríntios 1, 12-13: “… cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu, de Apolo, e eu, de Pedro, e eu, de Cristo. Por acaso Cristo foi dividido em várias partes? Será que Paulo morreu crucificado em favor de vocês? Ou será que vocês foram batizados em nome de Paulo?”.
Estaria havendo aqui uma divisão refletida na devoção aos santos???

O que aconteceu em Corinto foi que as pessoas estavam brigando por terem sido evangelizadas por Paulo, Pedro, Apolo… Pois, tomavam, por iniciativa própria, tais pessoas como sendo cada qual a que evangelizou melhor! Como dizem alguns ainda hoje: Eu sou da Igreja Batista, Eu sou da Universal, Eu sou da Adventista do 7.º Dia… Não há erro em se dizer isso, desde que não se brigue e não se esqueça que todos somos de Deus acima de tudo!
Não se deve dizer ainda: “Sou da Renovação Carismática, Sou do Apostolado da Oração, Sou do ECC…”, com a intenção de mostrar que participa do melhor grupo. Todos somos dos grupos sim, mas somos da Igreja, e mais do que tudo, somos de Cristo Jesus. Paulo tinha discípulos, como Timóteo que conheceu na cadeia, e era feliz por isso, chamando-o até de filho na fé (I Tm 1, 1-2; 4:17; II Tm 1:2). João Batista tinha discípulos e por aí vai (Mt 9:14; 14:12; Mc 2:18; Lc 5:33; 7:18; Jo 3:25)… Todos com intuito de levar seus discípulos a Cristo Jesus, o Mestre dos mestres. Mas, alguns desses discípulos não entenderam isso e brigavam entre si. Vemos nos santos, exemplos de pessoas que nos levam a Deus. Não se deve achar que um santo é mais forte do que o outro. Forte só Deus. Eles pedem a Deus por nós! Deus é Quem decide se vai atender, como e quando. Assim em qualquer pedido de oração… Ser devoto de um santo ou santa, é ser admirador dele (a) e ser grato a ele(a) por ter intercedido a Deus. Nossa gratidão maior sempre será a Deus que ouviu as orações nossas e as celestes!!!

Paulo disse: “Sejam meus imitadores como eu sou de Cristo!” E a Bíblia recomenda que imitemos os exemplos do Antigo Testamento (I Cor 4:16; 11:1; Fl 3:17; Hb 6:12) Logo, não só podemos admirar o exemplo deles, como devemos seguir tal exemplo de fidelidade a Cristo, o Exemplo Maior! Em toda a história da Igreja Católica nenhum santo, nem mesmo Maria, foi chamado de deus (a). Que tipo de adoradores seríamos nós, segundo se pensa, se não declaramos santo algum como sendo nosso deus? Adoradores medrosos e vergonhosos, não?… Então, ser admirador do exemplo dos santos é bíblico como São Paulo incentiva. Ser devoto de Iemanjá, por exemplo, é que pode-se chamar de idolatria, por que ela é uma deusa (orixá) para as religiões afro!!!

INTERCESSÃO DOS SANTOS E SANTAS:

Interceder, no sentido religioso, é pedir a Deus algo em favor de outra pessoa. Além, claro, da Intercessão maior de Cristo Jesus, existe ainda a intercessão dos vivos sobre a Terra (Tg 5, 16). Mas e a intercessão dos Anjos? Existe? Sim (Zc 1, 12-13; Ap 8, 3-4)! E porque os protestantes não aceitam a intercessão nem de Maria nem de santo (a) algum (a)?… Há vários motivos, mas, o principal é que a Bíblia diz só haver um mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo. Mas, o restante desta mesma passagem diz que Ele é o único mediador no sentido de reconciliar Deus com a humanidade pecadora, pelo Sacrifício na Cruz. Não no sentido de interceder, pedir a Deus por alguém que precise de oração. Se fosse assim ninguém rezaria pelo outro, pois, já está sendo mediador. Aliás, no mesmo capítulo bíblico em que diz que só Jesus é o Mediador entre Deus e os Homens, ou seja, antes de falar da reconciliação única por Cristo, São Paulo nos recomenda a intercessão, uns pelos outros. Porque se ñ fosse a reconciliação na Cruz, pelo Homem-Deus Jesus, jamais teríamos acesso ao Pai como temos desde então (1.ª Tm 2, 1-6).

Quando Jesus diz que é O Caminho e que ninguém vai ao Pai se não for por Ele (João 14:6), está afirmando pela primeira vez, não que os santos não possam interceder, ou que nós não possamos rezar uns pelos outros a Deus, mas, que sem que a pessoa creia Nele como Aquele que reconciliou Deus com a Humanidade, não se pode chegar plenamente ao Pai. Cria-se uma barreira, um véu! Quando se crê em Jesus como Salvador, esta barreira cai, o véu se rasga (Mt 27, 50-51), e temos acesso ao Céu, ao Pai, podendo pedir a Ele em favor do irmão.

Mas, a questão é: Maria está no Céu?

Quando Jesus fala que só Ele subiu, usa a expressão “Céu” no singular, e não céus (João 3:13). Porque Ele foi o único a subir ao Céu dos céus (1.º Rs 8:27). O mais alto dos céus. Visto que há diferentes níveis de céu (2.ª Cor 12, 1-3).Elias e Enoc foram arrebatados para o alto, então Jesus não poderia afirmar que só Ele havia subido (Gn 5:24; 2.º Rs 2). O que Ele afirma é que foi o único a subir ao mais alto Céu, à Direita do Pai (Ap 12:5).

Mas, Maria e os santos estão “dormindo”, inconscientes, e/ou esperando ser ressuscitada? E se está no Céu, tem acesso ao Pai? Pede por nós? Ou unicamente adora a Deus? Bem, se um malfeitor que só na cruz reconheceu Jesus, e apenas como sendo um homem justo, já entrou no Paraíso naquela mesma Sexta-Feira Santa, imagine a mãe de Jesus! Na Transfiguração de Jesus Ele mostra ter acesso com os glorificados. E a Mãe do Salvador é vista glorificada em Apocalipse (vestida de sol) no Céu. Os que morreram pelo Evangelho também aparecem bem vivos, despertos e tendo acesso direto para clamar ao Pai. (Lc 9, 28-31; Lc 23, 39-43; Ap 6, 9-10; Ap 12, 1-3).
Mas, as provas mais claras de que a intercessão dos santos do céu existe, estão nos Santuários, onde as pessoas deixam fotos, fitas, objetos como sinais das Graças (ex-votos) conseguidas da parte de Deus pela intercessão do (a) santo (a)… Não se trata de querer afirmar que os santos seriam capazes de influenciar a Deus, senão, nem nós aqui poderíamos rezar uns pelos outros. Nem se trata de invocar santos no lugar de Deus, mas sim, de pedimos a intercessão deles a Deus, eles nada poderiam fazer por conta própria. Deus age por atenção a eles, assim como age por atenção amorosa a mim se eu rezar por você.

Ora, é muita contradição defender que os santos estão dormindo, mesmo porque, Deus, voltando-se ao bom ladrão, disse: “Em verdade, em verdade vos digo, ainda hoje estarás comigo no paraíso”. Ora, ele não disse que após adormecer e após a ressurreição dos corpos S. Dimas estaria no paraíso. Ele estava ‘no tempo’, vivo, quando disse essas palavras, indicando a morte próxima de S. Dimas e a entrada deste primeiro santo canonizado da Igreja. Os espíritos estão esperando a ressurreição final sim (1.ª Cor 15, 22-23), mas, isto não significa que estão dormindo, perecidos… Eles intercedem, adoram, suplicam a Deus, e no final dos tempos vão voltar com Cristo, pois a Ele pertencem (Ap 6, 9; 1.ª Tess 3, 13), vão retornar aos seus corpos sepultados para a ressurreição (Jo 5:28), serão restaurados na carne e glorificados nela, e no Céu viveram eternamente na Glória. Tal como Jesus, que subiu em Carne e Sangue, para ser glorificado no Céu.
Em outro trecho, quando discutia com os saduceus: “Quanto à ressurreição dos mortos, não lestes o que Deus nos declarou? Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó? Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos” (Mateus 22, 31-33). Logo, Abraão, Isaac e Jacob estão vivos e não de “adormecidos” ou mortos.

No Apocalipse (6:9-10), os mártires, junto ao altar de Deus nos céus, clamam em alta voz: “Até quando, ó Senhor Santo e verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da terra?” Mas, mesmo com essa passagem clara que os fiéis “mortos” por causa do Evangelho, estão vivos em espírito, e podem clamar a Deus sim, ainda é afirmado por protestantes, que tais mártires podem orar a Deus pela humanidade, mas, nós não podemos pedir a eles. Ou seja, segundo alguns protestantes que reconhecem a intercessão desses santos mártires, a intercessão só pode ser por iniciativa deles, nunca nossa, pedindo que intercedam. Ora, já que intercedem, quebrando assim a teoria de que no Céu unicamente Jesus é intercessor, pedir a intercessão deles não ocasiona pecado algum. O que a Bíblia diz é que não se adore a ninguém a não ser Deus. Na intercessão não estamos adorando, estamos pedindo orações, como pedimos a qualquer pessoa aqui, sendo que os santos estão mais puros, e mais próximos de Deus!

CONSULTAS

Catecismo da Igreja Católica: 1096; 1105; 1504; 2099; 2634; 2687; 2734; 739; 1341; 1361; 1368; 2606

336; 956; 9 58; 1434; 2156; 2683; 969; 2827; 210; 2574; 2577; 2578; 2584; 1349; 1354; 2770;

MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS:

Maria é Medianeira da Graça porque serviu de canal intermediário para que a Graça de Cristo viesse à humanidade. Toda a Graça que chegou até nós por Cristo, passou por Maria, veio por ela, pois, ela carregou a plenitude da Graça em seu ventre… Ela foi o canal de toda a Graça que é Jesus Cristo. Em seu ventre nos trouxe o Salvador, Aquele que é a Fonte de todas as Graças!

Os mortos não sabem de nada?

De fato no AT todos os que morriam não tinham esperança alguma de Céu, e nada sabiam sobre o que acontecia aqui neste mundo, debaixo do sol: A Terra (Ecle 9:5) e sequer podiam rezar por alguém (Sl 115:17). E muito menos sabiam dos fatos do Céu. Mas, Jesus fez uma Obra de Redenção plena e mudou esta realidade. Foi pregar aos que estavam na Região dos Mortos desde a criação do mundo até Sua Crucificação (1.ª Pd 3, 18-20; 4, 5-6). Vencendo a morte levou muitos deles para o Céu (Sl 68, 19; Ef 4). Moisés foi agraciado antecipadamente, pois, morreu, mas, seu corpo foi levado para o Céu, e lá ele foi vivificado e glorificado na carne (Dt 34, 5-6; Judas 9). Quando apareceu junto a Elias, conversavam com Jesus sobre o Seu Sacrifício que ainda iria acontecer, provando assim, que Moisés sabia que Jesus não tinha sido crucificado ainda, logo, sabia o que acontecia e o que não acontecia aqui na Terra (Lc 9, 30-31). Deixando claro que a situação dos ‘mortos’ após o Resgate de Cristo é outra bem diferente do AT. Dai os fiéis de Deus aparecem em Ap 6 diante de Deus e tendo acesso para clamar a Ele! Deus é Deus de vivos, não de mortos. Então, não pedimos intercessão a quem está morto, mas a quem está vivo em espírito!

Espiritismo no Catolicismo?

Como já visto não pedimos intercessão de todo e qualquer pessoa que morre, mas, daqueles que a Bíblia mostra vivos diante de Deus. Os seus servos fiéis. Não pedimos que venham aqui nem que ‘baixem’ em ninguém. Portanto, nada a ver com Espiritismo ao contrário do que vem sendo afirmado por irmãos protestantes.

Intercessão: Onipotência, Onipresença e Onisciência

Há mais dois graves enganos cometidos por muitos cristãos não-católicos, quanto a intercessão dos santos.

1.º Julgam que interceder é o mesmo que salvar e citam Atos dos Apóstolos 4, 12:
“Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos.” contra a intercessão dos santos. Ora, interceder é orar a Deus por alguém. Salvar, no caso do Cristianismo, é livrar alguém da condenação do pecado: morte e inferno. Como mediador na Salvação temos unicamente Jesus Cristo, único que, sendo Deus e Homem, reconciliou o Pai com a humanidade, ao vencer o pecado e a morte (1.ª Tm 2, 5-6 : “Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, homem que se entregou como resgate por todos. Tal é o fato, atestado em seu tempo…”). Quanto a interceder, no sentido de orar pela Salvação de Cristo ou outra intenção ligada a ela, o próprio S. Paulo nos recomenda neste mesmo capítulo: “Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver uma vida calma e tranqüila, com toda a piedade e honestidade. Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade…” (1.ª Tm 2, 1-4).

Quanto a Salvação a Igreja Católica é clara: “Nenhum homem, ainda que o mais santo, tinha condições de tomar sobre si os pecados de todos os homens, e de oferecer-se em sacrifício por todos.” (Cat. Igrej. Catol. 616)

Ou seja, não cremos que somos salvos por santo (a) algum(a), nem por Maria, e nem por Papa algum! Eles podem sim nos levar a Salvação em Jesus Cristo.

2.º Julgam que se os santos intercedessem por nós a Deus, ou seja, pudessem receber nossas orações e apresentar a Deus, seriam Onipotentes, Onipresentes, e Oniscientes. Mas, intercessão não é isso. Vamos pegar, entre outros, o exemplo dos Anjos. O Apocalipse mostra um anjo acolhendo as orações dos santos (Ap 8, 3-4). Ora, já que o Anjo está colhendo as orações não poderíamos supor, de acordo com o pensamento protestante, que ele estivesse em todos os lugares em que se fizeram orações (onipresente)? E que o Anjo é quem vai realizar tudo (onipotente)? E ainda que eles sabem de tudo (oniscientes)?

Claro que não! O Anjo não vai até às orações, elas é que vão a ele (anjo não é onipresente). O Anjo teve acesso e conhecimento das orações porque Deus permitiu (o anjo não é onisciente). Ele as repassa a Deus. Deus é Quem faz (o anjo não é onipotente)! Assim é com os santos…

Aula Por: Emerson

Imagens x Idolatria

Publicado: 17 de junho de 2010 por Rafasoftwares em Santos e Imagens

1) Deus proibiu a fabricação de imagens?

Resposta:

Deus proíbe a fabricação de ídolos. De imagens de deuses, pois, visto que só existe um Deus, todos os demais são falsos, são chamados de ídolos. O Egito tinha muitos deuses à base de seres que vivem no céu, na terra e no mar: falcão (deus Hórus), Rá (deus sol), além de deuses em formato de boi, rã, jacaré… Muitas nações faziam e fazem o mesmo. Daí Deus proibir que se faça imagem de algum ser que exista no céu, na terra ou no mar. Mas, deixa claro que proíbe se a intenção for adorar: “Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto.” (Ex 20, 4-5). Tanto que no Seu primeiro Templo, construído por Salomão havia imagens de anjos, bois e leões (1.º Rs 7, 23-25.29.44). E abençoa este Templo, porque sabia que as imagens lá não eram ídolos (deuses), e sim, imagens sagradas (1.º Rs 6, 23-35; 9, 3). Portanto, não sendo imagens de ídolos, a Bíblia não possui absolutamente condenação alguma.

2) Porque a Igreja Católica esconde que a imagem da serpente de bronze foi destruída (2.º Rs 18:04)? Que Deus amaldiçoa o Templo que cobre um ídolo (Jr 32-29)? E que as procissões são idolatrias (Is 46:1)? As imagens devem se quebradas, queimadas, destruídas (2.º Rs 10:26)!

Resposta:

A Igreja Católica organiza as leituras feitas nas Missas de forma que a cada três anos, toda a Bíblia seja lida e pregada nas celebrações. E a passagem da destruição da serpente de bronze, construída por Moisés a mando de Deus, não fica de fora. A serpente foi quebrada porque os israelitas tomaram-na como deusa, e mais ainda, como a deusa Cananéia conhecida como Neustã, da magia.
Ou seja, é como se hoje o Catolicismo ensinasse que a imagem de Maria é uma deusa, e que é Iemanjá, a deusa do mar na religião afro, por exemplo. Algo totalmente sem fundamento na Doutrina Católica. São as passagens em que Deus abomina, detesta os ídolos, que os protestantes e judeus mostram afirmando erradamente que elas também são referentes a todo tipo de imagem católica. E ainda, para completar o grave erro citam 1.º Cor 10:20 onde se diz que os ídolos são demônios, afirmando que toda imagem católica é um ídolo, logo, são demoníacas. Gerando ódio às imagens católicas por parte dos tais ‘evangelizados’, que acabam quebrando, queimando, amaldiçoando as imagens católicas. Os então novos protestantes olham para as imagens católicas, e para os próprios católicos como se fossem do demônio.

3) As imagens que Deus mandou fazer ficavam lá em seus lugares próprios, ninguém rezava diante delas, nem faziam procissões (Is 45:20; Jr 10:05). Porque os católicos fazem tudo isso?

Resposta:

Quanto aos querubins (anjos), não ficavam apenas guardadinhos no santo dos santos. Mas, de sobre estes anjos esculpidos era que Deus falava. E todo sacrifício, holocausto e adoração a Javé eram feitos diante da Arca da Aliança. Isso não quer dizer que tais imagens angelicais sobre a Arca eram adoradas, mas, que serviam de sinais da Presença de Deus durante a realização do culto.
Quanto às procissões, ou seja, caminhada religiosa ostentando algum símbolo sagrado, só para vencer a cidade de Jericó o próprio Deus ordenou que Josué, substituto de Moisés, organizasse 13 delas em 7 dias, se utilizando do Andor, que Javé mesmo mandou fabricar para carregar a Arca. Pois, nem a Arca e nem os anjos nela esculpidos podiam andar sozinhos. A Carta aos Hebreus afirma que aquela procissão foi um ato de fé (Hb 11, 30). Assim como a Arca com os anjos eram recebidos entre aclamações pelo povo, e isso não era idolatria, o mesmo acontece nas procissões católicas (1.º Sm 4, 5; 2.º Sm 6, 13-15)

Mas porque Deus se usaria de imagens sagradas? Para se contradizer? Em Ex 20, 4 proibir a fabricação de imagens e três páginas depois, em Ex 25 mandar esculpir anjos na tampa da Arca da Aliança? Para enlouquecer Moisés e confundir o povo? Claro que NÃO! DEUS é sábio. O que Ele proíbe são imagens de ídolos, falos deuses. E já que Deus aceitou até imagens de ratos e tumores, não vai ser a imagem da mãe de Jesus que Ele vai renegar. Deus sabre a diferença entre imagem sagrada e ídolo!

4) A Bíblia diz para não trocarmos a glória de Deus por ídolos (Is 42, 08)!

Resposta:

O que Javé não aceita é que deixemos Sua Glória para seguir uma religião na qual se crê em outros deuses, que de fato não existem, restando apenas suas imagens de barro ou madeira. Porém, não sendo imagem de ídolo, Deus nunca, repito, nunca, se opôs!!!!

5) A Glória de Deus não pode ser representada por imagens de gesso! Pois, Deus é Espírito e temos que adorar a Deus em espírito e verdade (Jo 4, 24)! Os católicos têm imagens porque só crêem no que podem ver (Hb 11, 3.27)!

Resposta:

As imagens católicas nunca visam representar a plena Glória de Deus. Elas representam o Filho feito Homem (Jo 1, 14), O Espírito Santo em forma de pomba (Mt 3, 16), e o Pai simbolicamente como um ancião (Dn 7, 9-10.13-14), tal como cada se mostrou em algum tempo. Nenhuma imagem, mesmo as de Jesus, são usadas para salvar ninguém, elas são sinais da presença de Deus, dos anjos ou dos seus santos.
Deus sempre foi Espírito e Glória, e isto não impediu o uso de imagens sagradas no culto judaico. Como vimos o próprio Deus, eternamente Espírito aprovou e mandou a fabricação e uso de tais tipos de imagens. Moisés e outros servos de Deus adoravam em espírito, mesmo tendo sido fabricado imagens para o culto. Os servos de Deus não acreditavam só no que viam, e no entanto usavam imagens. As imagens não eram e nunca serão, sinais de falta de fé no invisível.

6) A Igreja Católica aprova e incentiva a fabricação de imagens por objetivo de lucro (Sb 15, 12; Is 44, 10-11; Tt 1, 11)!

Resposta:

Quanto a venda de imagens, vale lembrar que os católicos e os protestantes vendem Bíblia (Palavra de Deus), CDs, livros, camisas… A única diferença é que o Catolicismo inclui as imagens. Mas, a venda e o lucro estão presentes nos dois ramos do Cristianismo. Para se fabricar uma Bíblia, um livro e tudo mais se têm despesas, então se faz necessária a sua venda. O erro é vender só pelo lucro, e com preços acima da média, mas aí, cabe a consciência de cada um.

7) Os Católicos adoram Maria! Aquela imagem não é Maria, Maria não tinha aquele rosto. Nem Jesus! Ninguém sabe como eram!

Resposta:

Olha, se a Igreja Católica fosse idólatra e prepotente como se afirma, já teria ensinado que Maria é deusa e pronto. Que tipo de adoradores de Maria seríamos nós, se negássemos tal adoração? Repito o exemplo da Arca que era acolhida entre aclamações, e não era idolatria! E já falei que Deus não se contradiz, Ele não pode proibir imagens de nada que há no céu e na terra, e depois mandar fazer imagens de querubins, anjos (seres do céu) e da serpente de bronze (ser da terra)!
Quanto a Jesus Ele é representado de barba, pois raspar a barba era abominação para os judeus, e cabelos longos em sinal de consagração (Jr 48, 37; Nm 6, 5; Jz 13, 5). Além de roupas hebraicas, como a túnica (Jo 19, 23). Geralmente é simbolizado com túnica branca, lembrando a pureza gloriosa de Cristo na Transfiguração (Lc 9, 29) e manto vermelho lembrando Seu Sacrifício (Ap 19, 1-16).

Mas, se quiserem insistir que toda imagem religiosa é ídolo, então, além de se ficar chovendo no molhado, vai se transformar Deus num mentiroso, contraditório e idólatra, pois, Ele mandou fazer, e aceitou os que Salomão fez em seu Templo! E olha que neste Templo feito por Salomão também tinha imagens de bois (1.º Rs 7, 25)!… Maria só é mencionada na Missa em um único momento; na oração do “Creio”: ‘… Concebido pelo Poder do Espírito Santo, nasceu da virgem Maria… ’ além disso, ela só é mencionada se o sacerdote quiser ou rezar uma Ave-Maria. Ou então nas poucas ocasiões próprias de cada Paróquia. Mas o Rito Romano se limita ao Creio e as Missas próprias, nas quais ela é lembrada. Portanto, se ela fosse adorada a Missa seria a ocasião ideal, mas, não é o que acontece.

8) Os Católicos adoram o Papa! O Papa na Missa.

Resposta:

Papa é uma expressão popular que o Vaticano adotou, que significa pai. Ele é um Bispo. O Bispo Geral, digamos assim. Não faz parte da Doutrina Católica dizer que o Papa é Deus. O Papa só é mencionado na Oração da Missa, na qual rezamos por ele, para que ele persevere na missão. Não rezamos para ele chamando-o de deus!

9) Prostrar-se e ajoelhar-se é a mesma coisa! E ambos significam idolatria!

Resposta:

Embora a Igreja Católica só use a prostração em ordenações de sacerdotes (diante de Deus) ou em adoração profunda a Cristo, se prostrar nem sempre é adorar? No entanto, nem diante de imagens que representem simbolicamente Jesus (como já foi visto) a Igreja Católica adota a prostração! Porém, tanto é verdade que nem sempre a prostração é adoração, que para surpresa de muitos protestantes, o próprio Deus vai mandar os infiéis se prostrarem diante dos Seus fiéis, no Dia Final (Ap 3:9)! Estaria Deus se contradizendo novamente, ou muitas pessoas não estão sabendo discernir o que é idolatria e o que não é?
Se prostrar é ficar de joelhos, porém, com a face curvada ao solo (Ex 4, 31; 12, 27; 34:8), ou então, deitar-se completamente com a face voltada para o solo, nivelando-se ao chão, lembrando, que somos apenas pó e ao pó voltaremos.
No entanto, a Bíblia deixa clara a diferença entre se prostrar para mostrar respeito e se prostrar para adorar. A intenção é que conta, e a Bíblia sempre deixa claro quando alguém se prostra no intuito de adorar: “se prostrou para adorar (idolatrar)” (Ex 20, 5; At 10, 25-26; Ap 13, 4; 19, 10) ; quando se prostra sem a intenção de adorar, mas, apenas por respeito (Gn 18, 1-3; 19, 1; Hb 13, 2 – Abraão não sabia que eram anjos, pensou ser homens comuns peregrinos; Gn 23, 12; 27, 29; 33, 3.6-7; 37, 5-10; 43, 23; 47, 31; 48, 12; 49, 8; Ex 18, 7; 1.º Sm 25, 41; 1.º Rs 1, 31)! E quando se prostra para adorar o Deus verdadeiro (Jo 9, 38, etc.)
As adorações a Deus eram feitas diante da Arca da Aliança que tinha dois anjos esculpidos sobre a tampa, e não era idolatria, pois, a Arca era sinal de Deus e de lá Ele falava sobre os querubins (Js 7, 6 – Josué exagerou na oração e não agia, Deus lhe chamou a atenção para que agisse e não ficasse só orando, não citou idolatria alguma da parte de Josué-; 1.º Rs 3, 15; 8, 5; 1.º Cr 15, 24; 16, 4.6; 1.º Sm 5, 3)!

10) Venerar é o mesmo que adorar! Culto é o mesmo que adoração!

Resposta:

Venerar = ter profundo respeito, grande consideração (Dicionário Aurélio, revisado).

Claro, como já disse, só quando este profundo respeito se refere a Deus é que atinge o nível de adoração! Aí passa a se chamar veneração adoradora, que só a Jesus é dada! Por isso que venerar nestes casos, também significa adorar. Nós católicos, não temos sequer veneração (profundo respeito de fé) pelas imagens de outras religiões, porém, respeitamos o seguimento religioso de cada pessoa. Veja o que a Bíblia diz:
“Se te abstiveres de calcar aos pés o sábado, de cuidar de teus negócios no dia que me é consagrado, se achares o sábado um dia maravilhoso, se achares respeitável o dia consagrado ao Senhor, se tu o venerares não seguindo os teus caminhos, não te entregando às tuas ocupações e às conversações…
então encontrarás tua felicidade no Senhor: eu te farei galgar as alturas da terra, e gozar a herança de Jacó, teu pai; porque a boca do Senhor falou.” (Isaías 58,13-14)

Ora, se venerar fosse sempre adorar, então Deus estaria mandando adorar o Sábado?!? Claro que não, Ele manda ter profundo respeito pelo sétimo dia da semana!

Culto significa adoração quando feito a Deus e idolatria quando feito a um falso deus (a), quando não, culto significa também venerar (Dicionário Aurélio revisado), que no sentido católico é um culto de meditação, respeito sobre Maria, anjos ou santos.

Obs.: No episódio em que o povo era curado do veneno das serpentes ao olhar para a imagem da serpente de bronze, a Bíblia deixa claro o que a Igreja Católica confirma: não era a imagem que curava ninguém, mas ela estava ali como um sinal da presença misericordiosa de Deus (Nm 21, 4-9; Sb 16, 5-8)

BARUC E AS IMAGENS

Muitos Protestantes estão querendo agora usar o Livro de Baruc contra as imagens católicas, especialmente a de N.ª Sr.ª Aparecida. Mas, e se eu dissesse que os próprios protestantes, e todos os anticatólicos já refutaram e rejeitaram estas passagens do Livro de Baruc? Isso mesmo! O livro de Baruc é tido como NÃO INSPIRADO na opinião dos não católicos, enquanto que o Catolicismo o aceita. Logo, fica sem lógica um protestante usar um Livro que não considera autentico como argumento. E, além disso, não deveria ser o contrário? A Igreja Católica não deveria ter rejeitado este livro que supostamente a desmascara, ao invés de aceitá-lo como inspirado? Tem algo estranho aqui não? Mas, vamos lá:

** As roupas de aparecida – Baruc 06, 10-11 “Eles enfeitam com roupas como se fossem gente esses deuses de prata, de ouro ou de madeira. Mas eles não podem livrar-se da ferrugem nem do caruncho. Depois de tê-los vestidos com roupas caras, são obrigados a limpar-lhes a cara, por causa da poeira que do templo lhes caiu em cima.”

“são obrigados a limpar-lhes a cara, por causa da poeira que do templo lhes caiu em cima.”

Resposta:

Não preciso dizer que Baruc fala de deuses e Maria não é deusa. Por isso a Igreja Católica aceita este Livro. Mas, será que ninguém limpava as fartas imagens de anjos (que ñ estavam nus) no Templo feito por Salomão (1.º Rs 6). Que falta de zelo pelo Templo ele tinha então, hein? Deixava as várias imagens dos querubins toda cheia de poeira… Ou será que as imagens dos querubins podiam se limpar? Será que pelo fato destas imagens de querubins não poderem se limpar eram ídolos? Claro que não…

** A coroa de aparecida – Baruc 06, 08 “Como se faz com a moça que gosta de enfeites, pegam ouro e fazem uma coroa para colocar na cabeça dos seus deuses.”

Resposta:

Tenho uma ‘novidade’ para muitos, Maria já é exaltada (Deus exalta os humildes) pelo próprio nome Myriam que significa senhora, soberana, princesa. Não confundam os que reinam em Cristo, como Maria, com os falsos deuses que em nada reinam de fato (Ap 3:21).
http://solascriptura-tt.org/PessoasNaBiblia/SignificadoNomesPropriosNaBiblia-OsmarJr.htm
http://maisjesus.net/page.php?12

** A carreata feita dias antes de 12 de outubro – Baruc 06, 25 “Sem pés, são carregados nos ombros, mostrando aos homens a sua falta de valor. Até quem cuida deles passa vergonha, pois se um desses deuses cai no chão, ele é que tem que levantá-lo.”

Resposta:

Porque será que os israelitas carregavam a Arca que tinha dois anjos esculpidos em ouro sobre a tampa? Porque os anjos não iam andando sozinhos? (Js 6) Devo lembrar que o próprio Deus mandou fazer o andor da Arca ?(Ex 25) Será que porque os querubins eram imagens que não podiam andar sozinhas, eram ídolos? Eram sem valor algum? Salomão passou vergonha com eles? Não, aliás, todas as adorações a Deus eram feitas diante da Arca (com anjos na tampa), a arca era sinal da presença de Deus (1 Rs 3, 15; 8, 5; 1Cr 15, 24; 16,4.6.37; 2Cr 5, 6).

** “Removeu os altos, quebrou as colunas e deitou abaixo o poste-ídolo; e fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés fizera, porque até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso e lhe chamavam Neustã.” II Reis 18, 04.
E se a serpente fosse quebrada hoje? Também iriam fazer um remendo e transformá-la em outra rainha do céu! “Os filhos apanham a lenha, os pais acendem o fogo, e as mulheres amassam a farinha, para se fazerem bolos à Rainha dos Céus; e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira.” Jeremias 07, 18.

Resposta:

Existem os falsos deuses e deusas tidos como reis e rainhas, mas, Maria é Rainha em Cristo como já vimos. As tábuas da Lei foram quebradas e foram feitas outras. O templo era destruído, e se erguia outro. Logo, se outro sinal sagrado é quebrado, faz-se se outro sim. A serpente foi considerada a deusa da magia (Neustã) é como se os católicos cressem que Maria é Iemanjá, por exemplo. Mas, isso não faz parte do ensinamento do Vaticano.

** Diz a fábula mariana, que a imagem falava com as pessoas, será?

“A língua desses deuses foi feita por um artista; ela está coberta de prata ou de ouro, mas é de mentira e não pode falar.” Baruc 06, 07.

E as pessoas ficam lá, oferecendo promessas, missas e velas em troca de riqueza, paz e saúde, mas a Bíblia diz:

“Eles também não são capazes de dar a ninguém a riqueza alguma, nem sequer uma única moeda. Se alguém lhe faz uma promessa e depois não cumpre, eles não podem reclamar. Não podem salvar ninguém da morte, nem podem livrar o fraco das mãos do poderoso. Não são capazes de devolver a vista ao cego, nem de livrar do perigo homem algum.” Baruc 06, 34-36.

Resposta:

Ora, nenhuma imagem pode curar, mas quando se olhava para a serpente de bronze ficavam curados do veneno das serpentes e escapavam da morte. Deus era Quem os curava mas era necessário olhar para imagem segundo sua ordem. Deus agiu através da imagem que representava uma serpente, quanto mais a que representa alguém que o serviu e que hoje está vivo e pode clamar a Ele (Sb, 16, 5-8; Ap 6, 9-10)

** ídolo e imagem é o mesmo…

Resposta:

Não. Os falsos deuses possuem imagens, mas, os anjos também possuíam imagens que os representava. Ou vai se querer dizer agora que pelo fato dos querubins terem imagens estes eram ídolos. Nem toda imagem é ídolo.

** Mas você pode me perguntar: E os sinais que já aconteceram pelas supostas intervenções de Maria? Ora, a Bíblia diz que surgirá uma besta, que também será uma imagem, e fará grandes sinais:

Resposta:

Da mesma forma que a Bíblia diz que o diabo fará sinais, diz também que Deus fará (Joel 3)! Embora alguns judeus afirmassem (Mt 12, 24), a Bíblia nunca confirmou que satanás tem o poder de curar ninguém, nem para conquistar seguidores (Jo 10:21). Sinais e prodígios sim, mas cura nunca, e mesmo assim só quando Deus permite (Jó 1 e 2; 2.ª Ts 2, 11). Jesus fazia curas e milagres, mas os judeus queriam sinas e prodígios, que é outra coisa (Mc 8, 11).

** “Pelas roupas de púrpura ou linho que vão apodrecendo em cima deles, vocês já podem saber que não são deuses. Ao contrário, eles também serão comidos e se tornarão vergonha para o país.” Baruc 06, 71.

Resposta:

Teria então Salomão passado vergonha ao mandar até mesmo bordar querubins nas cortinas e tapetes de linho do templo, não? (1 Rs 6)… Teria esquecido Salomão que os tapetes iam se acabar um dia? Não!!! O primeiro templo feito a Deus foi por Salomão, e mesmo CHEIO de imagens feitas em tecido, madeira e ouro, que não falam, não ouvem, não vêem, não andam, foi abençoado por Deus (1 Rs 9, 3)!!!

** Por isso, Deus te diz hoje: “Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura.” Isaías 42, 8.

Resposta:

As imagens não representam a Glória de Deus como já vimos, e vimos antes que até mesmo a Glória de Deus já repousou sobre as imagens angelicais da Arca.

Como podemos ver, o próprio Deus mandou fabricar imagens e abençoou um templo cheio delas. Adorando-as que se consuma o pecado, e não as tendo!

Aula por: Emerson.

João 3, 13 – Será que Ninguém subiu ao Céu mesmo?

Publicado: 7 de junho de 2010 por Rafasoftwares em Exegese, Santos e Imagens

Quando Algum católico diz que os cristãos mortos vão para o céu logo após a morte, comumente ALGUNS protestantes nos deparam com essa passagem, dizendo que ai Jesus diz que ninguem subiu ao céu, ou seja que todos os Cristãos mortos estão dormitando, mas será que Jesus realmente quiz dizer isso??

Para entendermos temos que ler o contexto e os versículos anteriores:

11. Em verdade, em verdade te digo: dizemos o que sabemos e damos testemunho do que vimos, mas não recebeis o nosso testemunho. 12. Se vos tenho falado das coisas terrenas e não me credes, como crereis se vos falar das celestiais? 13. Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem.

Jesus Estava está falando de que ai? De pessoas que não subirão ao céu até o julgamento final ou do conhecimento das coisas divinas que Ele veio nos Revelar?

Não se trata de ascensão, olha verbo no passado “SUBIU”.

Cristo ainda estava na terra quando falou isso, onde está escrito na bíblia que Ele desceu e depois subiu antes da ressurreição?

Cristo faz alusão a textos como Dt 30, 12; Br 3, 29; Pr 30, 4;

Rm 10,6: “vindo do céu, ele pode dar-nos a conhecer os mistérios da vontade divina”.

(cf. Sb 8, 16-17).

Quando Jesus fala que só Ele subiu, usa a expressão “Céu” no singular, e não céus. Porque Ele foi o único a subir ao Céu dos céus (1.º Rs 8, 27). O mais alto dos céus. Visto que há diferentes níveis de céu (2.ª Cor 12, 1-3). Elias e Enoc foram arrebatados para o alto, então Jesus não poderia afirmar que só Ele havia subido (Gn 5:24; 2.º Rs 2). O que Ele afirma é que foi o único a subir ao mais alto Céu, à Direita do Pai (Ap 12:5) e descendo nos revelou os mistérios de Deus.

Depois da morte e ressurreição de Cristo o céu foi aberto a todos e Cristo levou as almas que morreram na servidão divina consigo para o céu, pois antes todos estavam no XEOL.

Efésios 4, 7. Mas a cada um de nós foi dada a graça, segundo a medida do dom de Cristo, 8. pelo que diz: Quando subiu ao alto, levou muitos cativos[ou cativeiro], cumulou de dons os homens (Sl 67,19). 9. Ora, que quer dizer ele subiu, senão que antes havia descido a esta terra? 10. Aquele que desceu é também o que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.[colchetes meus]

XEOL
É o nome hebraico dado no AT para os “infernos”, “abismo” ou “morada dos mortos” (Gn 37,35; Is 38,18). Julgava-se que o Xeol ficava debaixo da terra.

Números 16,33. “Desceram vivos à morada dos mortos, eles e tudo o que possuíam; cobriu-os a terra, e desapareceram da assembléia.”

Jesus, ao morrer, desceu ao Xeol (At 2,24-31; Rm 10,6-7; Ef 4,8-10) para anunciar aos mortos a sua vitória sobre a morte pela ressurreição (Ap 1,18; Mt 27,51-53; 1Pd 3,19s).

Atos 2, 25. Pois dele diz Davi: Eu via sempre o Senhor perto de mim, pois ele está à minha direita, para que eu não seja abalado. 26. Alegrou-se por isso o meu coração e a minha língua exultou. Sim, também a minha carne repousará na esperança, 27. pois não deixarás a minha alma na região dos mortos, nem permitirás que o teu santo conheça a corrupção. 28. Fizeste-me conhecer os caminhos da vida, e me encherás de alegria com a visão de tua face (Sl 15,8-11).

Não preciso citar mais versículos para provar que depois de Jesus, os servos de Deus vão para o céu em alma repousar no “seio de Abraão”,  ACORDADOS. Só mais duas pra completar:

“Mas, cheio do Espírito Santo, Estevão fitou o céu e viu a glória de Deus e Jesus de pé à direita de Deus: Eis que vejo, disse ele, os céus abertos e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus.  Levantaram então um grande clamor, taparam os ouvidos e todos juntos se atiraram furiosos contra ele. Lançaram-no fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas depuseram os seus mantos aos pés de um moço chamado Saulo. E apedrejavam Estevão, que orava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito” (At 7,55-59)

Estevão foi pra onde?

“Estamos, repito, cheios de confiança, preferindo ausentar-nos deste corpo para ir habitar junto do Senhor. É também por isso que, vivos ou mortos, nos esforçamos por agradar-lhe” (2 Cor 5,8-9)

Uma pessoa dormindo agrada a Deus?

Mas Alguem pode Objetar dizendo que  isso não prova nada dos santos, quer dizer, da intercessão dos Santos, pois bem, vamos lá:

Os que morreram por Deus e pelo Evangelho também aparecem bem vivos, acordados e tendo acesso direto para clamar ao Pai. (Lc 9, 28-31; Ap 6, 9-10).

Ora, como Elias e Moisés apareceram glorificados para Cristo conversando com ele? (Lc 9, 28-31) Se eles não soubessem de nada e estivessem dormindo como eles falariam do êxodo e saberiam que Cristo ainda não tinha sido crucificado e até mesmo que aquele homem era o Messias?

Apocalipse 6, 9-10, Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários. E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra?

Ai diz que a multidão clamava por Justiça e estava sob o altar. Como eles saberiam que ainda não tinha se consumado tudo? Como eles saberiam que Deus ainda não tinha executado a vingança contra os habitantes da terra? Como eles estariam no sob o altar, se não estão no céu? E como eles poderiam Clamar por justiça dormindo?

De fato no Antigo Testamento todos os que morriam não tinham esperança alguma de Céu, e nada sabiam sobre o que acontecia aqui neste mundo, debaixo do sol: A Terra (Ecle 9:5) e sequer podiam rezar por alguém (Sl 115:17) nem louvar a Deus (Is 38,18-19). E muito menos sabiam dos fatos do Céu. Mas, Jesus fez uma Obra de Redenção plena e mudou esta realidade. Foi pregar aos que estavam na Região dos Mortos desde a criação do mundo até Sua Crucificação (1.ª Pd 3, 18-20; 4, 5-6). Vencendo a morte levou muitos deles para o Céu (Sl 68:19; Ef 4). Moisés foi agraciado antecipadamente, pois, morreu, mas, seu corpo foi levado para o Céu, e lá ele foi vivificado e glorificado na carne (Dt 34, 5-6; Judas 1, 9).

E mais :

Apocalipse 8, 1. Quando, enfim, abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu cerca de meia hora. 2. Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas. 3. Adiantou-se outro anjo e pôs-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os santos no altar de ouro, que está adiante do trono. 4. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus.

Quando a Igreja canoniza e diz que alguém é “santo” ela não está delegando poderes, a essa pessoa, de milagres nem nada, muito pelo contrario, a Igreja apenas reconheci que essa pessoa está no céu com Deus e portanto pode orar por nós junto a Deus, devido a sua vida, sua historia , testemunho e milagres de Deus realizados em vida por meio delas, a Igreja reconheci isso! Mas santos não só são esses, todos nós (cristãos) somos santos, por que Deus é santo. (Lv 19:2; 20:7; I Pd 1:16)

A intercessão dos Santos é em oração, pois eles só podem fazer isso! A Igreja católica não acredita na mediação de Santo algum como a mediação de Jesus 1 Tm 2, 5-6, lendo esse  capítulo todo iremos entender o que Paulo queria dizer com isso!

Quanto a Salvação a Igreja Católica tem um só pensamento:

“PAI, … a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o Deus único verdadeiro, e aquele que enviaste, Jesus Cristo” (Jo 17,3). “Deus, nosso Salvador … quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1 Tm 2,3-4). ” “Não há, debaixo do céu, outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12), afora o nome de JESUS.” (Prólogo do Catecismo da Igreja Católica).

“Nenhum homem, ainda que o mais santo, tinha condições de tomar sobre si os pecados de todos os homens, e de oferecer-se em sacrifício por todos.” (Catecismo Igreja Católica. Parágrafo 616)

Ou seja, não cremos que somos salvos por santo (a) algum(a), nem por Maria, e nem por Papa algum! Eles podem sim nos mostrar a Salvação em Jesus Cristo, assim como  você e eu também podemos.

Referencias: Comunidade Estudo Bíblico Católico On-line.