2º Questionário aberto aos Adventistas.

Publicado: 22 de agosto de 2011 por Rafasoftwares em Adventismo

Há alguns meses fiz um questionário aos amigos adventistas que acessam o blog, para saber se eles poderiam me explicar algumas controvérsias em relação a fé deles.

O primeiro questionário contem 11 questões e está aqui , neste serão 9 para completar as 20.

Então vamos lá.

Se vocês acreditam somente na bíblia e somente a bíblia é a única regra de fé e prática do Cristão e todos podem-na interpretar individulamente, então por que acreditam e seguem os escritos de Ellen White e suas interpretações e visões e tem as interpretações dela como ultima palavra ?

Então se o que ela diz está de acordo com a palavra, toda e qualquer seita protestante que prega o contrário está errada?

Se sim, o que te faz crêr que ela esta certa?  Se não, então quem está certo as outras seitas protestantes que a contradizem ou Ellen White?

Se tudo o que ela diz esta de acordo com a bíblia por que ela diz que o sacrificio de Cristo na Cruz não foi suficiente e precisou ser terminado em 22 de outubro de 1844?

“[…] Em 1844 Cristo entrou no mais santo lugar do santuário celestial, para terminar o trabalho de expiação, preparatório de Sua Vinda” (The Great Controversy, p. 481).

Ou seja pra ela só em 1844 que Jesus terminou a expiação dos pecados.

Aqui ela Já diz que Foi suficiente:

“Ele [Cristo] plantou a cruz entre Céu e terra, e quando o Pai viu o sacrifício do Seu filho, Ele se curvou em reconhecimento de sua perfeição. “É o suficiente”, Ele disse. “A expiação está completa” (The Review and Herald, Sept. 24, 1901)

Ora foi na Cruz ou em 1844 que Jesus terminou a expiação?

Se ela é versada e fundamentada nas escrituras por que ela diz que Cristo foi igual a nós em tudo, inclusive no pecado:

“Se o grão de trigo [Jesus], caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, produz muito fruto [cristãos]” [João 12.24]. Se o ‘fruto’ [cada um de nós] é composto da natureza humana pecaminosa + a natureza divina, então, identicamente, ocorreu com o Grão original. O fruto tem as mesmas características da semente e, portanto, Jesus “tornou-Se carne, exatamente como nós somos”. (Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, pág 472.)

Enquanto a bíblia diz que:

“santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores e elevado além dos céus, que não tem necessidade, como os outros sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro pelos pecados próprios, depois pelos do povo; pois isto o fez de uma só vez para sempre, oferecendo-se a si mesmo” (Cf. Hb 7,22-27)

Se as doutrinas católicas são doutrinas de homens como afirmam voc~es adventistas, então o que dizer ds escritos de Ellen White?

Se os escritos de Ellen white são proféticos então por que em sua maioria já estão escritos em outros lugares por exemplo:

O plágio da amalgamação (plagiou uma coisa grotesca e sem noção):

Isto ela plagiou de um Livro Apócrifo chamado Livro de Jasar, veja a semelhança entre os escritos dela e o conteúdo deste livro:

Ellen White Diz: “Se a pessoa escolheu levar as esposas, ou gado, ou qualquer coisa que pertença ao seu próximo, ele não conta a justiça ou para a direita, mas se ele poderia prevalecer sobre o seu vizinho em razão da força, ou colocando-o à morte, ele fez isso, e exultou em seus atos de violência. Eles adoraram a destruir as vidas dos animais. … Mas se havia um pecado acima de outra que apelou para a destruição da raça pelo dilúvio, foi o aviltante crime de amálgama de homem e animal, que desfigurou a imagem de Deus e causou confusão por toda parte. (Spiritual Gifts, vol. 3, p. 64)”

Jasar Diz: “04,18. E seus juízes e governantes entraram às filhas dos homens e tomaram suas esposas pela força de seus maridos de acordo com sua escolha, e os filhos dos homens naqueles dias tirou o gado da terra, os animais do campo e as aves de o ar, e ensinou a mistura de animais de uma espécie com as outras …”

Nossa quanta semelhança não?

“Portanto”, diz o Senhor: “Eu sou contra os profetas que roubam uns aos outros palavras supostamente de mim.” Jeremias 23,30

E por último:

Se Ellen White é uma grande profeta e pregava habitos alimentares rigidos por que ela mesmo não seguia isto que se em 1869 diz que adotou os hábitos alimentares rígidos alguns anos depois mesmo cai em contradição, dizendo que comeu Pato e veado em uma viagem as montanhas do colorado?

“Se um profeta ensina a verdade e ele mesmo não cumpre o que ensina, então ele é um falso profeta” (Didaquê primeiro catecismo Cristão Século I)

Está ai, espero obter respostas desta vez.

Anúncios
comentários
  1. Franco disse:

    muito bom. Espere a resposta sentado.

    • fernando disse:

      os fundamentalistas das seitas edventistas do sétimo dia fazem proselitismo intenso com a mudança da igreja católica feita do sabado para o domingo, dizendo que mudaram as leis de Deus, isso é uma falácia, pois paulo já dizia no I século que no primeiro dia os cristãos se reuniam para fração do pao e as orações. entregam folhetinho, na sua cara, são incisivos , e até chatos, acham que vão ganhar um diamante na coroa.. etc…. etc… o problema é que os caóticos apostáticos romanticos que não sabem nada da fé católica e não tem identidade cristã caem na dos adventistas, e acreditam nessas babozeiras anti biblicas….

      • José Geraldo de Oliveira Queiroz disse:

        Fernando, gostei de sua resposta suscinta, porém com embasamento nos escritos paulinos. É verdade que muitos católicos não conhecem a fé católica, desconhecem documentos que emanam de nossa Igreja, desconhecem por completo o nosso catecismo e acreditam piamente nestas babozeiras e mais babozeiras que contrariam totalmente os princípios bíblicos. deveriam, sim, estudar mais para não caírem nas armadilhas dessas seitas perniciosas que andam por aí, como o Adventismo

  2. T. B. Riker disse:

    1º Se vocês acreditam somente na bíblia e somente a bíblia é a única regra de fé e prática do Cristão e todos podem-na interpretar individulamente, então por que acreditam e seguem os escritos de Ellen White e suas interpretações e visões e tem as interpretações dela como ultima palavra ?

    Resposta:

    1. A verdade presente dinâmica e não estática

    Encontramos essa herança no preâmbulo da Declaração de Crenças Fundamentais de 1980 dos adventistas do sétimo dia:

    “Os adventistas do sétimo dia aceitam a Bíblia como sendo seu único credo e mantêm certas crenças fundamentais como sendo o ensino das Escrituras Sagradas. Estas crenças, da maneira em que são apresentadas aqui, constituem a compreensão e a expressão do ensino das Escrituras por parti da igreja. Podem se esperadas revisões destas declarações numa assembléia da Associação Geral, quando a Igreja é levada pelo Espírito Santo a uma compreensão mais completa da verdade bíblica ou encontra melhor linguagem para expressar os ensinos da Santa Palavra de Deus”.

    Isso é possível, pois, para os fundadores do referido movimento a verdade presente era dinâmica e não estática, assim, poderia ser alterada à medida que o Espírito Santo conduzia os lideres em seus estudos das Escrituras.

    Por acreditarem na verdade dinâmica e não estática, os lideres (fundadores) eram contra a rigidez de um credo.

    Segundo George Knight, ex-professor da Igreja na Andrews University, nos Estados Unidos, diz que em 1861, na reunião em que os adventistas organizaram sua primeira associação estadual, John Loughborough ressaltou o problema que os primeiros os pioneiros viam nos credos. Para Loughborough, o primeiro passo para a apostasia é elaborar um credo dizendo o que devemos crer. O segundo é fazer desse credo uma prova de comunhão. O terceiro é julgar os crentes por esse credo. O quarto é denunciar como hereges os que não acreditarem nesse credo. O quinto e último é começar a perseguir essas pessoas.

    Tiago White observou que criar um credo é limitar e obstruir o caminho para todo o progresso futuro. Argumentando em favor da contínua liderança do Espírito Santo na descoberta da verdade, White queixou-se de que algumas pessoas, por meios de seus credos, ‘limitam a maneira de agir do Todo-Poderoso. Dizem praticamente que o Senhor não deve fazer nada além do que esteja prescrito no credo. A Bíblia é nosso credo, conclui ele.

    O adventismo sabatista, em seus 150 anos de historia, tem resistido à tentação de formalizar um credo inflexível, embora tenha definido alguns ensinos como colunas do referido movimento. Desde de 1861, a Igreja Adventista do Sétimo Dia teve apenas três declarações de crenças que alcançaram algum grau de aceitação oficial, e apenas um recebeu o voto formal de uma assembléia de Associação Geral. A primeira declaração de crença elaborada em 1872 por Urias Smith; a segunda, a declaração de crenças de 1931; e a terceira, o conjunto de crenças fundamentais adotado pela assembléia da Associação Geral em 1980.

    Os pioneiros tinham a bíblia como sua única regra de fé e pratica. Vejamos o que diz a primeira declaração de crença elaborada em 1872 por Urias Smith, sobre a Bíblia:

    Declaração dos Princípios Fundamentais – Ensinamento e Prática – Igreja Adventista do Sétimo-dia

    Ao apresentar ao público essa sinopse da nossa fé, nós desejamos que entendam que nós não temos artigos de fé, credo, ou disciplina, fora a Bíblia.

    3. Que as Santas Escrituras com o Velho e o Novo Testamento foram dados por inspiração de Deus, contendo a inteira revelação da sua vontade para o homem e é a única e infalível regra de fé e prática.

    2. Doutrinas Modificadas

    Por acreditarem na verdade dinâmica, os fundadores da IASD proporcionaram para as gerações, o estudo das Escrituras Sagradas. O resultado é facilmente identificado nas declarações de fé e na literatura oficial da referida denominação.

    Os membros leigos acreditam que a doutrina da trindade sempre fez parte das declarações oficiais da IASD. Porém, os fundadores eram contra tal doutrina. Todavia, hoje os adventistas adotaram a doutrina da trindade.

    Em suma:

    O erro de muitos adventistas foi o fato de criar uma teologia centrada nos escritos da Sra. White. Porém, tal atitude não seria e jamais poderia ser aceita pela senhora White, que escreveu em Primeiros Escritos, a seguinte recomendação: “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de vossa fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. (2009, p. 78).

    2º Então se o que ela diz está de acordo com a palavra, toda e qualquer seita protestante que prega o contrário está errada?

    Resposta:

    Nem tudo o que ela diz está de acordo com a Palavra, uma vez que já foi explicado; os pioneiros acreditavam que a verdade presente (naquele momento) era dinâmica e podia ser modificada, como por exemplo, a doutrina da Trindade.

    3º Se sim, o que te faz crêr que ela esta certa? Se não, então quem está certo as outras seitas protestantes que a contradizem ou Ellen White?

    Resposta:

    Ela está certa quando escreveu segundo a Palavra de Deus, e errada quando escreveu algo que não é uma verdade da Escritura.

    4º Se tudo o que ela diz esta de acordo com a bíblia por que ela diz que o sacrificio de Cristo na Cruz não foi suficiente e precisou ser terminado em 22 de outubro de 1844?

    Resposta em aberto:

    Eu não poderei responder essa pergunta agora, pois estou sem um livro. Mas prometo que irei responder…

    6° Se ela é versada e fundamentada nas escrituras por que ela diz que Cristo foi igual a nós em tudo, inclusive no pecado:

    Resposta:

    Jones, Waggoner e Prescott, haviam desenvolvido o conceito de que Jesus Cristo, isso em 1895, era igual a qualquer outro filho de Adão, inclusive com tendência para pecar.

    Waggoner (in Gospel in the Book of Galatians) afirmou, em seu comentário, que Cristo era “semelhante a Seus irmãos” era o mesmo que dizer que Ele (Jesus) foi feito à semelhança de carne pecaminosa. Ele afirmou: “se Cristo não tivesse sido em todas as coisas semelhante a Seus imrãos, então Sua vida sem pecado não serviria de nenhum estímulo para nós (p.61).

    Jones, foi bem claro ao apresentar seus pontos de vistas. “A natureza de Cristo”, afirmou ele, “é exatamente a nossa natureza”.

    Não há, afirmou Jones, “nem uma única tendência para pecar em você e em mim que não havia em Adão quando foi expulso do jardim”. Cristo tomou nossa carne na encarnação, com “as mesmas tendências para pecar que estão na carne humana estavam em Sua carne humana” Porém, “nenhuma delas co seguiu se manifestar; Ele venceu todas”.

    Agora, eu irei desafiar você, com uma declaração de Ellen White, que indica que Cristo “é um irmão em nossas fraquezas, mas não em possuir paixões semelhantes às nossas (T2, p. 202).

    Em suma, Ellen não ensinou que Cristo tinha uma carne pecaminosa. Tal citação acima citada foi usado pelos delegados presentes à assembléia da Associaçao Geral de 1895 – contra teologos que acreditam no assunto em questão.

    7º Se as doutrinas católicas são doutrinas de homens como afirmam voc~es adventistas, então o que dizer ds escritos de Ellen White?

    Resposta:

    Eu não entendi muito bem tua pergunta. Ora, os escritos de Ellen não são doutrinas da Igreja. Por exemplo:

    • Podereis ler a Bíblia de Gênesis ao Apocalipse e não encontrareis uma única linha que autorize a santificação do domingo. As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado, dia que nós nunca santificamos – CARDEAL GIBBSON – THE FATHERS, 1892.

    O Cardel Gibbson, deixa bem claro: ” As Escrituras ordenam a observância religiosa do sábado”. O referido também deixa bem claro que os católicos deveriam ter esse dia separado: “dia que nós nunca santificamos”.

    • Catholic Record, September 1, 1923

    “Agora a cerca da observância do sábado a regra de fé do protestante é totalmente incapaz de explicar a substituição do domingo Cristão para o sábado Judeu. Foi mudado. O bíblia ensina ainda que o Sabbath ou o sábado devem ser mantidos sagrados. Não há nenhuma autoridade no novo testamento para a substituição do domingo para sábado. Certamente é um assunto importante. Está lá na bíblia como um dos dez mandamentos de Deus. Não há nenhuma autoridade na bíblia para revogar este mandamento, ou para transferir sua observância para um outro dia da semana… A Igreja (Católica) está acima da bíblia, e esta transferência da observância do Sabbath é prova desse fato. Negue a autoridade da Igreja e você não terá nenhuma explicação ou justificação adequada ou razoável para a substituição do sábado para domingo, terceiro mandamento de Deus – quarto na Bíblia protestante. Como o Reverendo Sr. Smith indica diretamente: “O Sabbath Judeu não é o domingo, o dia do Senhor. Os Cristãos estão totalmente errados em falar no Sabbath como domingo.” Os Cristãos que falam assim são Cristãos “bíblicos,” aqueles que fazem da Bíblia a única régua da fé; e a Bíblia é silenciosa na observância do domingo, ele fala somente da observância do Sabbath.”

    Temos mais um exemplo; “a Bíblia é silenciosa na observância do domingo, ele fala somente da observância do Sabbath”. Ora, será que muitos católicos aceitam tal conclusão? Se tua resposta é não certamente sua fundamentação será na tradição. Porém, jamais será Bíblica; segundo o que foi apresentado.

    Para que eu seja mais objetivo; irei fazer uma pequena referência a imortalodade da alma:

    a) A antropologia bíblica desconhece a dicotomia grega: corpo-alma. O homem é concebido como uma unidade vivente [BÍBLIA SAGRADA EDIÇÃO DA PALAVRA VIVA – TRADUZIDA DAS LÍNGUAS ORIGINAIS COM USO CRÍTICO DE TODAS AS FONTES ANTIGAS PELOS MISSINÁRIOS CAPUCHINHOS. LISBOA, 1974.]

    “O Homem: A Bíblia desconhece a dicotomia grega corpo-alma. Antropologicamente, fala-nos de , e (I Tes 5, 23), sem que isto signifique uma divisão em três partes. Os hebreus viam o homem como um vivente indiviso” [p. 1266, idem].

    Eu tenho em mãos tal Bíblia Católica. Será que aceita tal conclusão? Claro que não, sei que o posicionamento oficial da ICAR é outro.

    Em suma, o posicionamento da IASD é Jesus não veio em carne pecaminosa.

    8º Se os escritos de Ellen white são proféticos então por que em sua maioria já estão escritos em outros lugares por exemplo: (…)

    Resposta:

    Plágio: Segundo o Dr. Roger Coon, há plágio quando um escritor toma propositalmente o material literário de outro escritor e o transforma para seu próprio uso (tipo de “apropriação” literária). Tal atitude visa a persuadir o leitor de que ele – o “copiador” – é na verdade o criador original dessas palavras e ideias.

    Empréstimo Literário: quando um escritor utiliza e emprega as ideias (as vezes até a fraseologia) de outro escritor para reforçar determinado aspecto, a fim de salientar uma ideia em seu texto. Sendo assim, de acordo com as leis literárias, a prática do empréstimo literário não constitui plágio.

    Vejamos uma importante informação: ELLEN G. WHITE E O USO DE FONTES; Artigo extraído da Revista Adventista, junho de 1982, pp. 6 e 7 – disponivel em: http://www.centrowhite.org.br/textos.pdf/02/refer%C3%AAncia_8e.pdf

    “Ellen G. White não pode ser acusada de plágio ou de haver infringido as leis dos
    Direitos Autorais. Esta é a opinião de Vincent L. Ramik, sócio principal da firma Diller,
    Ramik & Wight, Ltd., que é um advogado especialista em Patentes, Marcas
    Registradas e Direitos Autorais, em Washington, D.C.

    O Dr. Ramik começou a pesquisar os escritos de Ellen G. White quando Warren L.
    Johns, chefe do Departamento Jurídico da Associação Geral, solicitou os serviços da
    Diller, Ramik & Wight em abril de 1981, em razão das acusações feitas aos escritos da
    Sra. White por Walter Rea, que na ocasião era pastor da Igreja de Long Beach,
    Califórnia, EUA.

    Ramik, católico romano, dedicou mais de 300 horas investigando cerca de mil casos
    na história jurídica americana. Ele concluiu seu parecer legal de 27 páginas com uma
    inequívoca declaração: “Baseando-se no estudo dos fatos e precedentes legais…
    Ellen White não cometeu plágio, e suas obras não infringem as leis dos Direitos
    Autorais.”

    Ramik descobriu que muitos dos livros cujas citações foram utilizadas pela Sra. White,
    não estavam protegidos por Direitos Autorais. Afirma ele, porém, que ainda que os
    livros estivessem sob a proteção de Direitos Autorais, o uso de frases, ou mesmo de
    diversos parágrafos, não se constituiria infração da lei dos Direitos Autorais, nem
    plágio, tampouco.

    “Se tais casos fossem levados à Justiça, entre os anos de 1850 e 1915, Ellen White
    não seria declarada culpada de infringir as leis dos Direitos Autorais”, concluiu Ramik.

    O advogado achou irônico o fato de que os mais severos críticos de Ellen G. White
    ofereciam “a melhor evidência disponível” para se sustentar a tese de não infração das
    referidas leis.

    “Em nenhum lugar”, assinala Ramik, “encontramos os livros de Ellen White seguindo
    virtualmente o ‘mesmo plano e caráter’, de seus antecessores. Tampouco
    percebemos, nem outros autores fizeram qualquer referência ao fato, alguma possível
    intenção de Ellen White tentar disputar a mesma classe de leitores e compradores.”
    Em lugar disso, ela invariavelmente introduzia considerável quantidade de material
    novo àquele de que se servia, indo muito além de meras “paráfrases superficiais”,
    criando, efetivamente, uma obra literária completamente original.

    Ademais, “a própria compilação das obras de Ellen G. White indubitavelmente revela
    seu trabalho e habilidade. Sendo que não copiou (e a evidência claramente o
    estabelece) em quantidade substancial, trechos de obras anteriores, ela se mantém
    perfeitamente dentro dos limites legais. “Além disso, uma vez que os materiais foram
    selecionados de diversas fontes, e combinados com certas passagens da obra
    original, demonstrando discernimento, habilidade e experiência, o seu uso ‘foi
    honesto’.”

    A intenção é a principal atitude que deve ser levada em conta nos casos de plágio; e
    Ramik acredita ter provado, não somente através de declarações publicadas pela Sra.
    White, mas também os seus próprios críticos o admitem, que ela não teve a intenção
    de se apropriar por meio de fraude de outras produções literárias.

    “Procedendo unicamente com as melhores intenções e motivos”, continua Ramik, “a
    Sra. White modificou, exaltou e aperfeiçoou”, de maneira ética e legal, boa parte
    daquilo que outros haviam escrito.

    “É impossível imaginar que a intenção da Sra. White, tal como o refletem seus escritos
    e o prodigioso esforço dispendido na sua produção, tivesse sido outra que não aquela
    motivada pela sinceridade e altruísmo ao falar sobre as verdades bíblicas de modo
    coerente, para que todos as pudessem compreender.

    “Sem dúvida alguma, a natureza do conteúdo de seus escritos baseava-se apenas em
    uma esperança e num só intento: que a humanidade pudesse compreender a Palavra
    de Deus.”
    …………

    Os empréstismos literários de Elle diminuem em qualquer grau sua “inspiração”?. Muita coisa que ela escreveu não foram originárias dela; nem foram fornecidas por uma revelação divina. Isso significa que alguns de seus escritos não foram inspirados?

    Paulo, escreveu aos Coríntios: ” As más conversações corrompem os bons costumes” (I Cor 15:33). Saiba que tal verso é do poeta grego Menander, que viveu três séculos antes de Jesus, o Cristo. Paulo não faz menção de Mander como sendo o autor e nem sequer sugere que seja uma citação. O provérbio não era original de Paulo; mas aceitamos como inspirados.

    Em Tito 1. 12; Atos 17: 28. São Paulo cita Epimênides de Creta, que seis séculos antes de Jesus Cristo, escreveu:

    “Eles formaram para Ti um túmulo, o Santo e Elevado – Os cretenses, sempre mentirosos, bestas malignas, ventres ociosos:

    Mas Tu não estás morto: Vives e permaneces para sempre, Pois em Ti vivemos e nos movemos e existimos”.

    Etc

    Lucas não adquiriu suas informações através de visões ou sonhos, mas de sua própria pesquisa..

    9º Se Ellen White é uma grande profeta e pregava habitos alimentares rigidos por que ela mesmo não seguia isto que se em 1869 diz que adotou os hábitos alimentares rígidos alguns anos depois mesmo cai em contradição, dizendo que comeu Pato e veado em uma viagem as montanhas do colorado?

    Resposta:

    Meu caro irmão; carne de Pato e de Veado são carnes limpas:

    “Animais ruminantes são aqueles que mastigam o alimento e o fazem voltar do estômago para a boca. Bois, vacas, carneiros, cabras, antílopes, búfalos, veados e outros fazem parte deste grupo. Também pertencem a esta classificação o camelo, o coelho e a girafa.”

    Deixo o site judeu para ler sobre alimentos: http://www.visaojudaica.com.br/Principal/Religiao/datas/cashrut.htm

    Meu caro, leia bastante, e não se deixe enganar por falsos pregadores..

    Abraços

    • Flávia disse:

      ,
      Respondendo ao meu irmão em Cristo Sr Riker.

      Ao meu ver quem é cristão deve seguir o que Jesus Cristo nós ensinou.
      Se o senhor lêr Atos dos Apóstolos cap. 20, 7 vemos que os apóstolos (que eram judeus) começaram a celebrar a eucaristia e a reuniâo dos cristâos no 1º dia da semana, celebravam o que é hoje a missa. Creio que faziam nesse dia porque foi o dia que Madalena viu Cristo ressuscitado Joa 20, 1; 11-17
      Paulo em Cor. 11, 20-29 já nós ensina como devemos receber a comunhão.
      Sobre os alimentos impuros do antigo testamento Jesus praticamente nós diz que não existe alimento impuro Mat 15, 1- 2 e Mar 7, 1-23 , o que é impuro é a maldade do homem, é contra ela que devemos lutar .
      Despojar o velho homem e nos revestir do novo homem Efes. 4, 17-32.
      Nós somos cristãos e não judeus, o cristão segue o Novo Testamento.
      Jesus disse que os 10 mandamentos se resumem em 2 :
      1- Amar a Deus acima de tudo
      2 Amar ao próximo assim como vós amei ( e Jesus nos amou até a morte).
      No Antigo Testamento o homem podia casar-se mais de uma vez, pela lei de Moisés.
      Em Mat 19, 3 -9 Jesus vai contra .
      Em Mat 5,17-20 Jesus diz que não vem para abolir a lei ou os profetas mas sim levá-los a perfeição, e aquele que violar um destes mandamentos,por menor que seja, e ensinar assim os homens, será o menor no Reino de Deus .
      Jesus também nos propõe uma nova consagração, aliança , à Deus, o batismo no lugar da circuncisão. ” Todo aquele que for batizado e acreditar será salvo”.
      Na minha insignificância acho que não devemos ver o que nos separa e sim o que nos une como cristãos, acreditamos que Jesus é o Senhor
      .Não devemos achar que uns são mellhores que outros. Nem que uns cristãos são idolatras e outros não. Podemos ter ídolos na nossa vida e nem nos damos conta que temos exp: amar o ter, ou um time de futebol, ou carro, ou um filho mais que a Deus, um cantor etc…
      As imagens da igreja católica são de pessoas que existiram,(não são inventadas) viveram uma vida mais santa do que nós,se dedicaram de corpo e alma a Jesus.Elas são veneradas como exemplo de vIda à DEUS .Como é venerada a mãe de Jesus.
      Eu só me pergunto : – Se nós cristãos podemos interceder pelos nossos irmãos, conhecidos ou não à Jesus, porque sua mãe não pode interceder por nós ao seu filho?
      Será que nós nos consideramos mais que Maria, que foi escolhida para ser a mãe de Cristo por DEUS, que sofreu qdo ficou grávida solteira, que o pariu, que o alimentou, o limpou ,ensinou a andar, a falar e andou ao lado de Jesus desde que ficou viúva.
      O que importa se uns comemoram o dia do Senhor no sábado e outros no domingo, o importante é ter um dia para ELE. Na minha concepção de Deus ,Deus é muito grande para se importar se eu comemoro no domingo e você no sábado, o que importa realmente é que nós temos um dia do Senhor, que o amamos acima de tudo, que tratamos os outros como gostariamos de ser tratados e que todos os que se dizem cristãos tem por obrigação de ser exemplo para os que não o são.
      Uma das palavras de Jesus que mais gosto: olharão para vocês e dirão –Esses são cristãos, esses seguem a Cristo.
      Pense ,meditem sobe essas palavras.
      Fiquem com Deus.
      Flávia

      • Nilson disse:

        REspondendo a Sra. Flávia:
        Como devemos entender a biblia será que é com nossas próprias concepções?
        Primeira – O estudo das Escrituras deve ser feito com oração. Há uma dimensão espiritual na mensagem do Livro. E esta só pode ser discernida espiritualmente. Antes pois de abrir a Bíblia devemos pedir, com humildade, a iluminação do Céu. Então o Espírito Santo nos abrirá a mente para lhe entendermos o ensino. “. . . mas . . . o Espírito Santo”, disse Jesus, “a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas. . .” João 14:26

        ou seja não é por achismos que iremos entender ou declararmos o que é a verdade.

        Será que o velho testamento não vale mais para estudarmos?

        você já se perguntou qual era a Biblia de Cristo e seus apostolos na sua época? e para reafirmar leia “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a
        repreensão, para a correção e para a instrução na justiça” II Timótio 3:16.

        porque será que não podemos cenerar imagens de escultura ou porque será que maria não deve ser venerada??

        Primeiro:
        Pois os vivos sabem que morrerão,mas os mortos nada sabem;para eles não haverá mais recompensa,e já não se tem lembrança deles.Para eles o amor, o ódio e a inveja há muito desapareceram;nunca mais terão parte em nada do que acontece debaixo do sol. O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria. Eclesiaste 9:5,6,10

        como eles poderiam interceder por mim se estando mortos não tem sabedoria nenhuma, não sabem nada??

        Segundo e não menos importante:

        Você já leu os mandamentos?

        Exo: 20:4 Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra.

        ou seja não pode fazer imagens porque é um mandamento de Deus somente a ele devemos render louvor somente a ele devemos adorar.
        Quanto a você dizer que eles terem vivido uma vida santa olha o que Paulo nos fala sobre os homens:

        Que concluiremos então? Estamos em posição de vantagema
        ? Não! Já demonstramos que tanto judeus quanto
        gentios estão debaixo do pecado.
        10
        Como está escrito:

        “Não há nenhum justo,
        nem um sequer;
        11
        não há ninguém que entenda,
        ninguém que busque a Deus.
        12
        Todos se desviaram,
        tornaram-se juntamente inúteis;
        não há ninguém
        que faça o bem,
        não há nem um sequer”
        b
        .
        13
        “Suas gargantas
        são um túmulo aberto;
        com suas línguas enganam”
        c
        .
        “Veneno de serpentes
        está em seus lábios”
        d
        .
        14
        “Suas bocas estão cheias
        de maldição e amargura”
        e
        .
        15
        “Seus pés são ágeis
        para derramar sangue;
        16
        ruína e desgraça marcam
        os seus caminhos,
        17
        e não conhecem
        o caminho da paz”
        f
        .
        18
        “Aos seus olhos é inútil
        temer a Deus”

        Que concluiremos então? Estamos em posição de vantagema
        ? Não! Já demonstramos que tanto judeus quanto
        gentios estão debaixo do pecado.
        10
        Como está escrito:

        “Não há nenhum justo,
        nem um sequer;
        11
        não há ninguém que entenda,
        ninguém que busque a Deus.
        12
        Todos se desviaram,
        tornaram-se juntamente inúteis;
        não há ninguém
        que faça o bem,
        não há nem um sequer”
        b
        .
        13
        “Suas gargantas
        são um túmulo aberto;
        com suas línguas enganam”
        c
        .
        “Veneno de serpentes
        está em seus lábios”
        d
        .
        14
        “Suas bocas estão cheias
        de maldição e amargura”
        e
        .
        15
        “Seus pés são ágeis
        para derramar sangue;
        16
        ruína e desgraça marcam
        os seus caminhos,
        17
        e não conhecem
        o caminho da paz”
        f
        .
        18
        “Aos seus olhos é inútil
        temer a Deus”

        Ele é bem enfático em dizer que não existe nenhuma pessoa que seria capaz de se considerar melhor do que a outro pois somos todos INDIGNOS.

        e quanto ao sábado porque será que devemos guarda-lo?

        Pois está escrito:

        Gen:1:2-3
        No sétimo dia Deus já havia concluído a obra que realizara, e nesse dia descansou.
        3
        Abençoou Deus o sétimo dia e o
        santificou, porque nele descansou de toda a obra que realizara na criação.

        Ex: 20:8-118
        “Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo.
        9
        Trabalharás seis dias e neles farás todos os teus trabalhos,
        10
        mas o
        sétimo dia é o sábado dedicado ao SENHOR, o teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teus filhos ou
        filhas, nem teus servos ou servas, nem teus animais, nem os estrangeiros que morarem em tuas cidades.
        11
        Pois em seis
        dias o SENHOR fez os céus e a terra, o mar e tudo o que neles existe, mas no sétimo dia descansou. Portanto, o SENHOR
        abençoou o sétimo dia e o santificou.

        Jesus confirmou em duas situações:

        Mateus 12:8
        Pois o Filho do homem é Senhor do sábado”

        e confirmou que sua Lei é imutavel em:

        Mateus 5: 17-18
        “Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.
        18
        Digo-lhes a verdade:
        Enquanto existirem céus e terra, de forma alguma desaparecerá da Lei a menor letra ou o menor traço, até que tudo
        se cumpra.

        Ou seja como poderemos guardar o Domingo se sabemos que o sábado é que o dia do Senhor e também é o mandamento que coloca Deus como o Criador pois é o memorial da criação.

        Ele não mudou os 10 mandamentos para somente 2 mas os simplificou dizendo que os primeiros mandamentos de 1 á 4 remetem a nós para com Deus e de 5 – 10 remente a nós para com nossos semelhantes.

        João 5:39 “Examinai as Escrituras…”

        Que Deus a abençoe e o espirito Santo lhe ilumine a entender mais e mais sobre a palavra de Deus.

      • Weverson oliveira disse:

        RESPONDENDO A QUERIDA IRMÃO FLÁVIA A RESPEITO DO TEXTO DE (ATOS.20:07)

        Olha Flávia, sei que vc quer defender sua crença da guarda do domingo, e como muitos cotólicos e protestantes fazem, citam o texto de (Atos.20:07) para provar que os cristãos do primeiro século, guardavam o domingo.
        Já que vc citou o texto de (Atos.20:07), vamos analiza-lo para ver se isso é uma prova que os cristãos guardavam e celebravam a eucaristia no domingo.
        VEJAMOS:

        Atos 20:7 reza: “E no primeiro dia da semana, ajundando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, discursava com eles; e alargou a prática até a meia-noite.” – E desse texto, que relata um fato eventual da vida paulina, alguns tomam a liberdade de tirar as seguintes conclusões:

        1. Que os crentes em Trôade reuniam-se regularmente aos domingos para o culto, e que esta foi uma reunião de Santa Ceia;

        2. Que a reunião em tela não ocorreu sábado à noite, como admitimos por motivos óbvios;

        3. Que Lucas, sendo gentio e escrevendo a um “romano”, deveria valer-se da contagem romana de tempo, e não da judaica;
        4. Que os romanos desde o início de sua história (753 a.C.) contavam os dias de meia-noite à meia-noite;
        5. Que provavelmente (não afirmam com convicção) Lucas seguira o método romano.

        Vamos pulverizar estas falsidades, seguindo, a ordem numérica acima estabelecida:
        1. A afirmação de que os cristãos troadeanos se reuniam com absoluta regularidade aos domingos é temerária, destituída de fundamento, pois a Bíblia não se infere que havia, na época, tal costumes, e os documentos do primeiro século o desautorizam.

        O Dr. Augusto Neander, abalizado escritor eclesiástico, insuspeito por ser observador do domingo, assim se refere à passagem de Atos 20:7: “A passagem não é absolutamente convincente [como prova da guarda do domingo], porque a partida iminente do apóstolo era motivo para reunir a pequenina igreja, em uma ceia fraternal, ocasião em que fez seu último discurso, embora não fosse culto especial de domingo nesse caso.” 1

        Também o autorizado Ellicott, observador do domingo, no seu comentário bíblico, assim considera esta passagem: “‘Que havia de partir no dia seguinte.’ – Pode parecer estranho que alguns sustentem a opinião exposta na nota anterior, de que o apóstolo e seus companheiros assim se propusessem a viajar no dia ao qual se transferissem todas as restrições do sábado judaico. No entanto, é de se lembrar: 1.º – que não há nenhuma prova de que S. Paulo pensasse em tais dias como assim mudados, mas bem ao contrário (Gálatas 4:10; Colossenses 2:16); e 2.º – que o navio, no qual seus amigos tomaram passagem, provavelmente não devia alterar seu dia de partida para satisfazer escrúpulos, mesmo que tais escrúpulos existissem.” 2

        Como se vê, foi um fato eventual, acidental, circunstancial que ocorreu. Citemos ainda o testemunho de Meyer: “Que nesse tempo o domingo já fosse regularmente observado por influentes corporações religiosas e os Agapae (plural do termo grego que significa amor, designando as refeições sociais, ou festas de amor, seguidas usualmente pela Ceia do Senhor, na primitiva igreja cristã), não pode, com efeito, ser provado como certeza histórica, visto que possivelmente a observância do Agapae nesta passagem, talvez ocorresse apenas acidentalmente no primeiro dia da semana, porque Paulo pretendia partir no dia seguinte e porque nem mesmo I Coríntios 16:2 e Apocalipse 1:10 distinguem necessariamente esse dia como separado para serviços religiosos.” 3

        Quanto ao “partir o pão” há divergência de interpretação, sendo temerária a afirmação de que se tratasse da Santa Ceia. Este “partir o pão” era um ato que os cristãos primitivos praticavam diariamente (Atos 2:46), e não apenas no primeiro dia da semana, como se pretende insinuar. A própria Bíblia se encarrega de desmentir conclusões levianas.

        Walker, notável historiador eclesiástico, assim comenta o costume: “… partiam o pão diariamente em casas particulares. Este ‘partir o pão’ servia a um fim duplo: era um elo de fraternidade e um meio de sustento para os necessitados.” 4

        2. O sistema de contar os dias de pôr do Sol a pôr do Sol vem da Criação, e está em toda a Bíblia. E quanto ao tempo referido na passagem de Atos 20:7, podemos alinhar um rol de citações que confirmam nosso ensino.

        Conybeare and Howson, têm esta convicção: “Era o anoitecer que sucedia o sábado judaico. No domingo de manhã o navio deveria partir… Ele [Paulo] continuou sua solitária viagem naquele domingo, depois do meio-dia, na primavera, entre os carvalhais e córregos de Ida.” 5

        Robertson, admite: “Com toda probabilidade se reuniram em nosso sábado à noite – início do primeiro dia ao pôr do Sol.” 6

        Calvino, assim comenta a passagem: “É ponto pacífico que Paulo esperara pelo sábado, por que no dia anterior à sua partida, podia muito facilmente encontrar reunidos todos os discípulos num mesmo lugar. Digno de nota é o favor de todos eles, não se sentindo incomodados em que Paulo lhes discursassem até à meia-noite, embora necessitasse ele seguir viagem; tampouco se tratava de uma ocasião especial para serem instruídos. Pois não tinha o apóstolo outro motivo para alongar o seu discurso a não ser unicamente o profundo desejo e atenção dos seus ouvintes.” 7

        Convém alinhar mais comentários de eruditos evangélicos, observadores do domingo:
        Hackett, professor de grego do Novo Testamento, no Seminário Teológico de Rochester, diz em seu comentário: “Os judeus contavam o dia da tarde para a manhã, e sobre esta base a noite do primeiro dia seria nosso sábado à noite. Se Lucas aqui contava assim, como supõem muitos comentaristas, o apóstolo então aguardava o término do sábado judaico, e realizara sua última reunião religiosa com os irmãos em Trôade… na noite de sábado, e em conseqüência, recomeçara a viagem na manhã de domingo.” 8

        O autorizado e sempre citado Moffat, consigna o seguinte comentário sobre a passagem em lide: “Paulo e seus amigos não podiam, como bons judeus, iniciar uma viagem no sábado; fizeram-na tão cedo quanto foi possível, a saber, na madrugada do ‘primeiro dia’ – tendo o sábado expirado ao pôr do Sol.” 9

        Outro estudioso do assunto foi McGarvey: “Chego, portanto, à conclusão de que os irmãos se reuniram na noite após o sábado judaico, que era ainda observado como dia de repouso por todos dentre eles que eram judeus ou prosélitos; e considerando este fato, tal foi o início do primeiro dia da semana, empregado na maneira acima descrita. Na manhã de domingo, Paulo e seus companheiros reencetaram a viagem.” 10

        Robertson Nicoll nos diz sobre o assunto: “Vieram a Trôade, e lá permaneceram por uma semana, forçados sem dúvida pelas exigências do navio e seu carregamento. No primeiro dia da semana, S. Paulo reuniu a igreja para culto. A reunião realizou-se no que poderíamos chamar de sábado à noite; pois nos devemos lembrar de que o primeiro dia judaico começa ao pôr de Sol do sábado.” 11

        Stockes, outro comentarista de valor nos diz: “A reunião foi realizada no que poderíamos chamar a noite de sábado; pois nos devemos lembrar de que o primeiro dia judeu tinha início ao pôr do Sol do sábado.” 12
        Stifler, também autor de um comentário do livro Atos dos Apóstolos, nos informa: “Sem dúvida reuniram-se na noite de nosso sábado, de modo que o pão da comunhão foi partido antes do romper do dia, na manhã do nosso domingo.” 13
        Conviria lembrar a maneira bíblica de delimitar o dia. Para isso devem-se reler Gênesis 1:5, 8, 19, 23 e 31; Levítico 23:32, Marcos 1:32, 15:42 e outras passagens. Assim fica pulverizada a segunda conclusão leviana.

        3. Grande erro é afirmar que Lucas, sendo gentio e escrevendo a outro gentio, se tivesse valido do sistema romano de demarcar o tempo. Os evangelhos sinóticos referem-se ao sistema judaico, ainda vigorante em seus dias. E também Lucas. Primeiramente vejamos no seu Evangelho dirigido ao mesmo Teófilo:

        Lucas 2:8 – “vigílias da noite” (não havia tal entre os romanos).
        Lucas 4:40 – “pôr do Sol”.
        Lucas 23:44 – “hora sexta” (½ dia entre os romanos) e também “hora nona” (3 horas entre os romanos).
        Lucas 24:29 – “é tarde e já declina o dia” (referência clara ao pôr de Sol).
        Há também em Atos dos Apóstolos:

        Atos 2:15 – “hora terceira” (9 horas entre os romanos).
        Atos 3:1 – “hora nona” (15 horas).
        Atos 10:3 – “hora nona”.
        Atos 10:9 – “hora sexta” (½ dia).
        Atos 23:23 – “hora terceira” (21 horas) da noite. Cláudio Lísias não mandaria escoltar Paulo às três da madrugada… Lucas não se valeu da contagem romana. E assim fica fulminada a terceira conclusão imprudente.
        4. Que os romanos desde o início de sua história adotassem o chamado “dia civil”, é afirmação que provoca repúdios entre pessoas de certa cultura. Recomendaríamos o livro “Sunday in Roman Paganism”, de Leo Robert Odom, que traz exaustivas provas de que o “dia civil” se implantou no início da era cristã.

        Citaremos aqui apenas o testemunho de um escrito W. E. Allen: “No fim do primeiro século o método judaico não estaria mais em uso.” 14

        Deve-se dizer, em alto e bom som, que a Bíblia não se subordina aos arbítrios humanos, pois Deus não altera Suas normas. O modo bíblico de contar o tempo é sempre o mesmo. E se os oponentes da verdade, contra todas as provas, teimarem em afirmar que a reunião de Trôade se deu num primeiro dia da semana, então foi numa noite que findava esse dia, e então a “Santa Ceia” ocorreu numa segunda-feira, pois se deu depois da meia-noite!!!

        5. Aquele advérbio “provavelmente” destrói o próprio argumento. Nos não nos basearíamos em doutrina alguma sobre probabilidades. Tudo no que cremos se assenta na sólida base de um “Assim diz o Senhor…”

        Depois de expor estes fatos incontraditáveis, afirmamos: ainda que a reunião de Trôade se desse, sem sombra de dúvida, num domingo, e ainda que nela se celebrasse a Santa Ceia, nada disso constituiria prova de que o dia de repouso houvera sido mudado, pois não há na Bíblia recomendação taxativa a respeito.

        A verdade, porém, é que Paulo passou aquele domingo caminhando a pé, de Trôade a Assôs, uma distância de várias dezenas de quilômetros. Bem analisada, a passagem é contrária à tese dominguista.

        ESPERO QUE O SENHOR RAFA, PUBLIQUE MINHA RESPOSTA, POIS PELO QUE VEJO, MINHAS RESPOSTAS NÃO ESTÃO SENDO POSTADAS, NÃO SEI SE É POR QUE LHE FALTA TEMPO, ENFIM…AGUARDOANSIOSO POR VÊ-LA POSTADA NO SITE.

  3. T. B. Riker disse:

    Vamos ao assunto sobre Ellen White:

    Podemos dizer que ela não cometeu plágio… O parecer do Dr. Fred Veltman é de suma importância; Para mim ela foi usado por Deus, assim como muitos são. Eu tenho dito: O erro de muitos adventistas foi o fato de criar uma teologia centrada nos escritos da Sra. White. Porém, tal atitude não seria e jamais poderia ser aceita pela senhora White, que escreveu em Primeiros Escritos, a seguinte recomendação: “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus como regra de vossa fé e prática. Por essa Palavra seremos julgados. (2009, p. 78).

    Muitos usam o parecer do Dr. Veltman. E muitos se esquecem que ele foi um adventista — nada melhor que um adventista para entender seus pioneiros e apresentar um belo parecer.

    Eu não sou muito bom em debates sobre assuntos da Bíblia Sagrada. Nem para defender o sábado, não sou um especialista, já que para mim e para muitos não é uma questão de salvação. O único assunto que acredito que me chama atenção é o da imortalidade condicional da alma.

    Abraço

    • SIDNEI ADVENTISTA disse:

      SABER MEU AMIGO, O UNICO QUE PODE JUGA E SOMENTE DEUS, MAIS PARECER QUE VOCÊ ESTA QUERENDO SER JUIZ, VOCÊ PODE SER JUIZ DOS HOMEM MAS NÃO DE DEUS, HÁ E VOCÊ ESTA INTERPRETANDO DA MANEIRA QUE,QUER. MAIS NUNCA DA MANEIRA QUE REALMENTE É, SÓ QUERO QUE VOCÊ PENSE UM POUCO, SERA QUE VOCÊ NÃO ESTA QUERENDO FAZER A PARTE DE DEUS? HÁ E VOCÊ SABER MUITO BEM O QUE A BIBLIA DIZ SOBRE AS PESSOAS QUE JUGA AS OUTRAS, AMIGO! NÃO JUGUEIS PARA NÃO SER JUGADO. MEU NOME E SIDNEI E SOU ADVENTISTA. ATE MAIS FIQUE COM DEUS ELE TE AMA E MUITO.

  4. jr disse:

    Conheça uma Adventista da Promessa proxima à sua casa, e deixe a IASD pra lá!!!

  5. Sodreh disse:

    Existem dezenas de outras afirmações que, ao meu ver, estão mais amparadas no “eu acho” do que no “está escrito”. O que quero levar à reflexão aqui é o fato de que só devemos fazer afirmações categóricas, em especial nos estudos bíblicos, sermões, seminários, etc., se tivermos PLENA CERTEZA do que estamos afirmando, ou seja, se temos como mostrar a origem, a fonte, o versículo, a página, na Bíblia.
    “Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim” (Atos 17:11).
    Infelizmente, tem sido cada vez mais comum encontrarmos pessoas defendendo dogmas e interpretações equivocadas da Bíblia, com base unicamente em sua própria “elucidação” do texto Sagrado (cf. 2Ped. 1:20).
    No meio Adventista, especialmente devido ao constante e importantíssimo incentivo que se dá para que todos estudem a Bíblia com dedicação, e procurem conhecer a fundo os temas que envolvem nossa fé, parece que esta tendência do “achismo” é ainda mais forte que em outras denominações, menos interessadas em um estudo mais acurado das Escrituras.
    Leia a Bíblia meu amigo, pois você está se perdendo em meio sua ignorância e falta de entendimento, peça a Deus sabedoria, pois vai chegar um tempo em que você irá lamentar por ter falado tanta besteira e não ter buscado veerdadeiramente a Deus.
    Reflita…

  6. Paulo Leitão disse:

    Seu blog me ajudou muito nos estudos apologéticos,queria muito poder utilizar alguns trechos em colunas que escrevo.

    CADA PROTESTANTE SEGUE UM MESSIAS DIFERENTE, OS ADVENTISTAS POR EXEMPLO SEGUEM A SRA.ELLEN WHITE
    O próprio livro da sra.White mostra que ela quis ser Deus.
    Abram o livro dos adventistas na pag.189 testemunho n°33
    “Em tempos idos Deus falou aos homens por meio dos profetas e Apostolos.Nestes últimos dias,fala-lhes pelas testemunhas(escritos de Ellen White)do seu espírito”
    Essa citação é uma copia textual de Hb 1,1-2 substituindo a expressão “Filho de Deus”por”Obras da senhora White”

    PAX VOBIS

  7. Elbair Lages dos Santos – (minutos depois da primeira postagem do “Boicote à Canção Nova). “Toda casa voltada contra si mesma cairá”… Poderíamos refletir mais de nossas falhas, não? Ao invés de dedicarmos tempo contra isso ou aquilo… Creio que a Igreja Católica Una e Apostólica seja o berço do cristianismo e o “motor” que ainda sustenta a nossa fé em Cristo Jesus. Apesar dos esforços de outros grupos bem sérios, ela é a mais antiga e a que possui mais documentos que atestam verdades. Mas aí vir a questionar os outros grupos. “Ah me desculpa meu velho!” Mas é criancisse! (CLARO QUE TU NÃO TERÁS CORAGEM DE PUBLICAR). Por que não falarmos da inquisição então? (5 – NÃO MATARÁS). Ou, de como uma imagem “pescada em um rio” se transformou em divindade?… (1 – Ouve ó Israel; somente ao SENHOR teu DEUS adorarás e a Ele amarás, e somente a Ele prestarás culto.). Por isso que internet é mesmo uma bost@! E já me “vou” certo que isso aqui não será publicado, enganado por ter pensado que tinha encontrado algo sério nesse lixo da web…

  8. Elbair Lages dos Santos diz: “Sim! Um pedido humilde de desculpas. Achei que ‘vossa senhoria’ não publicaria este meu verdadeiro desabafo de desilusão com a causa Cristã e seus adeptos… A esperança continua (por tu teres publicado este último)! E essa iniciativa até já deva ser talvez o indicativo de “um novo começo” da minha nova fase espiritual que se iniciou, e tomará que vá para o resto de meus anos! Tentar encarar uma eclética forma de cultuação da ‘Divindade Máxima’, a saber o SENHOR (com seu nome impronunciável: YHWH)… Sem muita presença física em templos, de reuniões duvidosas, com interesses egoístas (falo dos meus) e estar mais voltado nas comunidades e, com ações junto a pessoas de mesma ideologia, todos nós voltarmos para as questões básicas dos que verdadeiramente sofrem – e sofrem mesmo – nessa vida. Espelhada nas formas mais próximas citadas por Isaias no cap. 58. Quem sabe, nessa busca, teu site (falo com respeito) não me ajudou bastante? E acelerou muito o processo. Afinal, eu também dei uma pequena mancada na minha postagem!… Um pouco de brandura é melhor! Abraço e Paz.”

    P. S.: Estou com e-mail novo. Acrescentei-o nesse último registro para publicação. (ver no registro)

  9. uara disse:

    quanta contenda kkkkkkkkkkkkkk

  10. uara pataxó disse:

    Graças a Deus q sou católica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s