Pedro Realmente Esteve em Roma?

Publicado: 3 de janeiro de 2011 por Rafasoftwares em História da Igreja, Mentiras

Muitas são as tentativas de provar que Pedro nunca esteve em Roma, porém como a verdade é sempre verdade, ela não pode ser mudada, portanto exporemos aqui as provas da estadia de Pedro em Roma refutando muitas objeções caluniadoras!

1ª Prova, bíblica.

1 Pedro 5, 13. A igreja escolhida de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.

Está é a principal prova de que Pedro esteve em Roma, visto que Roma era tira como a babilônia na época pela semelhança que tinha com a babilônia (Ap 17,5; 18, 10). Assim, na mente de Pedro, a Roma dos seus dias lembrava a antiga Babilônia em riqueza, luxúria e licenciosidade

Objeção:

Alguns dizem que está babilônia era Babilônia do Egito ou ainda mais fortemente a Babilônia do Eufrates é considerada por muitos como o lugar aí designado, pois muitos Judeus, ainda moravam em Babilônia.

Refutação:

A babilônia do Egito, sendo provavelmente um posto militar do Império Romano, no local onde hoje é a cidade do Cairo, não existe nenhum registro das missões e da tradição que havia uma comunidade de cristãos ali naquela época muito menos que Pedro tenha estado ali, não encontramos nenhum indicio de cristianismo lá.

Já a babilônia do Eufrates não existe notícia nem tradição de qualquer apóstolo ter estado na Mesopotâmia, salvo Tomé.

Ou seja, em nenhuma das outras babilônias literais há qualquer noticia de comunidade cristã por perto, somente Roma se encaixa na descrição de Pedro.

2ª Prova bíblica.

Colossenses 4, 10. Saúda-vos Aristarco, meu companheiro de prisão, e Marcos, primo de Barnabé, a respeito do qual já recebestes instruções.

Assim como Pedro diz que Marcos está com ele em Babilônia (ROMA), Paulo também quando escreve sua carta aos Colossenses diz que Marcos está com ele em Roma.

Paulo manda Timóteo levar Marcos a Roma Em II Timóteo:

II Timóteo 4,11b. Toma contigo Marcos e traze-o, porque me é bem útil para o ministério.

Timóteo estava em Éfeso e só poderia Marcos estar lá ou em uma cidade por perto no caminho para Roma, e não em Babilônia do Eufrates.

Se formos ver as datas das cartas veremos que II Timóteo foi escrita antes de 1 Pedro, portanto as datas se encaixam, Marcos foi para Roma com Timóteo  por volta  do ano 65 quando Paulo escreveu a 2ª carta a ele , e antes do ano 67 Pedro escreveu sua carta as comunidades da Ásia menor com Marcos. E alguns Anos depois Paulo escreveu sua Cartas aos Colossenses e Marcos estava com ele em Roma. Será que Marcos iria de Éfeso a Roma, Depois ir pra Babilônia do Eufrates mais de 3000 km de distancia escrever a carta com Pedro e voltar pra Roma? É meio que absurdo para a época, sem meios de transportes e nem estradas e etc. veja o mapa:

Ele estaria viajando mais de 6000 km em um curto período de tempo o que é ilógico, como já disse, para a época.

3ª Prova bíblica

I Pedro 5, 12. Por meio de Silvano, que estimo como a um irmão fiel, vos escrevi essas poucas palavras. Minha intenção é de admoestar-vos e assegurar-vos que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual estais firmes.

Todos Sabem que Silvano Andava junto a Timóteo, e na região de Éfeso próximo a Europa, o que era que Silvano iria fazer na Babilônia? Marcos e Silvano iriam para a babilônia do Eufrates somente para escrever a carta com Pedro e Depois voltarem para Roma? É geograficamente e fisicamente impossível eles estarem em 2 lugares ao menos tempo.

Relatos históricos ¹ (prestem atenção nas datas):

Como a verdade é única e imutável, assim como ninguém pode apagar a história, afim de desmentir aqueles que negam a vida do Santo Apóstolo Pedro em Roma, seu episcopado e martírio nesta cidade, vale a pena sempre recordar a memória cristã afim de combater o erro.

Pedro pregou em Roma

“Lancemos os olhos sobre os excelentes apóstolos: Pedro foi para a glória que lhe era devida; e foi em razão da inveja e da discórdia que Paulo mostrou o preço da paciência: depois de ter ensinado a justiça ao mundo inteiro e ter atingido os confins do Ocidente, deu testemunho perante aqueles que governavam e, desta forma, deixou o mundo e foi para o lugar santo. A esses homens […] juntou-se grande multidão de eleitos que, em conseqüência da inveja, padeceram muitos ultrajes e torturas, deixando entre nós magnífico exemplo.” (São Clemente Bispo de Roma, ano 96, Carta aos Coríntios, 5,3-7; 6,1).

Clemente o 3º Bispo de Roma após Pedro, dá testemunho do belíssimo exemplo que o Apóstolo deixou entre os cidadãos Romanos.

“Não é como Pedro e Paulo que eu vos dou ordens; eles foram apóstolos, eu não sou senão um condenado” (Santo Inácio Bispo de Antioquia – Carta aos Romanos 4,3 – 107 d.C).

Se Pedro não esteve em Roma, qual é o sentido destas palavras de Inácio de Antioquia?

“Assim, Mateus publicou entre os hebreus, na língua deles, o escrito dos Evangelhos, quando Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.” (Santo Ireneu Bispo de Lião – Contra as Heresias,III,1,1 – 180 d.C).

“Logo depois, o supracitado mágico [Simão], com os olhos do espírito impressionados por uma luz divina e extraordinária, após ter sido convencido de suas insídias [cf. At 8,18-23] pelo apóstolo Pedro, na Judéia, empreendeu uma longa viagem além-mar. Fugiu do Oriente para o Ocidente, julgando que, somente ali, poderia viver de acordo com suas convicções. Veio para Roma, onde foi bastante coadjuvado pela potëncia ali bem estabelecida [cf. Ap 17], e em pouco tempo sua iniciativas tiveram êxito, pois foi honrado como um deus pelo povo da região, com a ereção de uma estátua. Mas estas coisas pouco duraram. Imediatamente depois, ainda no começo do império de Cláudio, a Providência universal, boníssima e cheia de amor aos homens, conduziu mão a Roma, qual adversário deste destruidor da vida, o valoroso e grande apóstolo Pedro, o primeiro dentre todos pela virtude. Autêntico general de Deus, munido de armas divinas [cf. Ef 6,14-17; 1Ts 5,8], trazia do Oriente ao Ocidente a preciosa mercadoria da luz inteligível, e anunciava, como a própria luz [cf. Jo 1,9] e palavra da salvação para as almas, a boa nova do reino dos céus” (Eusébio de Cesaréia – HE,III,14,4-6 – 317 d.C)

“Sob Cláudio [Imperador], Fílon [quande estoriador judeu] em Roma relacionou-se com Pedro, que então pregava aos seus habitantes.” (Eusébio de Cesaréia – HE II,17,1 – 317 d.C)

Pedro foi Bispo de Roma

Eusébio de Cesaréia, narrando sobre a primeira sucessão Apostólica em Roma escreve:

“Depois do martírio de Pedro e Paulo, o primeiro a obter o episcopado na Igreja de Roma foi Lino. Paulo, ao escrever de Roma a Timóteo, cita-o na saudação final da carta [cf. 2Tm 4,21].” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,III,2 – 317 d.C).

“[…]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).

“[…]Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,1 – 317 d.C).

Pedro sofreu o martírio em Roma

“Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina evangélica. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio simultaneamente” (Dionísio de Corinto, ano 170, extrato de uma de suas cartas aos Romanos conforme fragmento conservado na HE II,25,8).

“Eu, porém, posso mostrar o troféu dos Apóstolos [Pedro e Paulo]. Se, pois, quereis ir ao Vaticano ou à Via Ostiense, encontrarás os troféus dos fundadores desta Igreja” (Discursocontra Probo – Caio presbítero de Roma, + ou – 199 d.C). Eusébio também trata deste escrito em HE II,25,7.

“Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para baixo” (Orígenes, +253, conforme fragmento conservado na HE, III,1)

“Quando Nero viu consolidado seu poder, começou a empreender ações ímpias e muniu-se contra o culto do Deus do universo. […] Foi também ele, o primeiro de todos os figadais inimigos de Deus, que teve a presunção de matar os apóstolos. Com efeito, conta-se que sob seu reinado Paulo foi decapitado em Roma. E ali igualmente Pedro foi crucificado [cf. Jo 21,18-19; 2Pd 1,14]. Confirmam tal asserção os nomes de Pedro e de Paulo, até hoje atribuídos aos cemitérios da cidade.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,II,25,1-5 – 317 d.C).

“Pedro, contudo, parece ter pregado aos judeus da Diáspora, no Ponto, na Galácia, na Bitínia, na Capadócia e na Ásia [cf. 1Pd 1,1), e finalmente foi para Roma, onde foi crucificado de cabeça para baixo, conforme ele mesmo desejara sofrer.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE III,2 – 317 d.C)

 

Os críticos atuais não têm dificuldade de admitir a tese católica. Citemos algumas das linhas de Harnack  (“Cronologia”): “O martírio de S. Pedro em Roma foi antigamente combatido pelos preconceitos tendenciosos dos protestantes… Mas foi um erro que todo investigador, que não queira ser cego, pode verificar”. “Hoje em dia”, diz o mesmo crítico num discurso (1907) pronunciado na Universidade de Berlim, “sabemos que esta vinda (de S. Pedro a Roma) é um fato incontestável e que o começo da primazia romana remonta ao século II”.

 

Acusações protestantes infundadas (retiradas de um site do qual não tenho mais o link se alguém tiver, por favor, poste aqui):

“A lenda corrente de que o apóstolo Pedro residira em Roma por um período de 25 anos (de 42 a 67 d.C.), onde teria sido supostamente sepultado, faz parte do rico fabulário inventado pelo sistema católico romano, baseado na tradição!”

“Interessante que tal lenda, surgida lá pelos idos do século terceiro, determinava um período de 42 até 67 d.C., justamente quando o apóstolo desenvolvia seu ministério em inúmeras cidades.”

Estes acusadores de “meia tigela” não mostram de jeito nenhum de onde tiraram que Igreja diz que Pedro esteve em Roma por 25 anos. Os Historiadores eclesiásticos que citam Pedro como bispo de Roma por 25 anos são Eusébio e Jerônimo, porém não é um tempo exato veremos mais a frente. Como já mostrei antes nos testemunho Patristicos desde o ano 96 no 1º  século já vemos notícias de pedro em Roma!

Vejamos a explicação para o que Diz Eusébio e Jeronimo dos 25 anos:

A Tradição Cristã conserva, que terminado o Concílio em Jerusalém, Pedro viajou para Roma. Era um antigo ideal que zelosamente guardava no coração, de poder evangelizar o centro do Império Romano. Provavelmente se deslocou para Cesaréia e ainda no ano 49 ou 50, foi para a Itália, quando Cláudio era o Imperador Romano.

Esta conclusão é confirmada pela voz unânime da Tradição. É praticamente certo que Pedro viajou para Roma depois de 49 A.D. Sobre a duração do trabalho evangelizador de Pedro em Roma, há também controvérsias e não podemos seguir integralmente os dados cronológicos de Eusébio e Jerônimo, cujas considerações foram estabelecidas sobre crônicas do terceiro século, as quais não fazem parte da Velha Tradição, mas apenas constituem o resultado de cálculos que tiveram por base uma lista episcopal datada de fins do segundo século. Conforme Eusébio, foi apresentado no terceiro século o “Chronograph 354”, que estabelece um tempo de vinte e cinco anos de pontificado para São Pedro em Roma. Entretanto, consideramos o mencionado tempo excessivamente longo, se lembrarmos que a chegada de Pedro a Roma foi em 49. De acordo com a “Crônica” de Eusébio, o décimo terceiro ou décimo quarto ano do reinado de Nero é considerado como o ano em que ocorreu a morte de Pedro e Paulo (ou seja, ano 67-68). Assim sendo, como Pedro chegou a Roma no ano 49 e morreu no ano 67, a relação apresentada pelo “Chronograph 354” que fixa o seu episcopado em vinte e cinco anos, evidentemente não está correta e assim, o tempo de 25 anos deverá ser reduzido para dezoito anos, (porque 67 – 49 = 18 anos) (cf. Bartolini, Roma, 1868). Na verdade o período de 18 anos é um tempo mais condizente com os fatos conservados pela Tradição Cristã.²

Ano 54 – O imperador Claudio (41-54) expulsou de Roma todos os judeus, porque causavam distúrbios (Atos 18.2). Até o ano 54, pois, Pedro não podia estar em Roma porque era judeu, não tendo ouvintes judeus.

Ora todos sabem que os primeiros cristãos viviam nas catacumbas de Roma onde os soldados romanos não podiam ir, e Pedro era Cristão e não mais judeu. E no entanto isto não quer dizer que ele não estava em Roma, visto que em muitos casos os apóstolos pregavam escondidos para não serem presos.
Ano 55 – Mencionado como “evangelista itinerante” (1Coríntios 9.5). Neste período, evangelizou o Ponto, a Galácia, aCapadócia, a Ásia, a Bitínia e Babilônia (1Pedro 1.1;5.13).

Vamos verificar está citação:

1 Coríntios 9, 5 Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?

Onde nesta passagem está escrito que Pedro era evangelista itinerante? O que eu posso ler ai é que Pedro pode levar consigo a esposa dele, além do mais em todos os lugares que os apóstolos passavam eles evangelizavam, porém isto não diz que eles são itinerantes!

Outro erro feio  o acusador cita 1 Pedro dizendo que os acontecimentos dela foram no 55, sendo que  1ª Pedro foi escrita depois do ano 60, entre 64 e 67 para ser mais exato. Portanto mais do que furada está acusação!

Ano 57 – Paulo, na Epístola aos Romanos, saúda, nominalmente, 28 pessoas, mas não fala de Pedro (Romanos 18.1-15).

Ora e o que isto tem haver com uma pessoa está em Roma ou não?

O argumento fundado no silêncio não tem valor algum, a não ser que se prova que o fato passado em silêncio devia ser tratado ou mencionado por Paulo.

Paulo, três dias depois de chegar a Roma, “convocou os judeus mais notáveis”, pregando-lhes a Salvação em CRISTO JESUS. Desconheciam a doutrina que lhes era anunciada (Atos 28.17-29).

Ora o fato de alguns judeus não conhecerem a doutrina cristã não quer dizer que Pedro não estava lá, o fato de alguns africanos não conhecerem Cristo não quer dizer que João Paulo II nunca esteve na África.

E onde estavam os cristãos que Paulo se dirigiu em suas epistola aos romanos que não evangelizaram estes judeus? Então não havia nenhum cristão em Roma, para pregar para aqueles judeus?

Anos 61 a 63

Paulo esteve preso em Roma por 2 anos, mas nunca Pedro o visitou.

Onde é que diz que Pedro nunca o visitou? Lucas em atos disse somente que Paulo esteve lá por 2 anos e não cita mais nada, é desconhecida as atividades de Paulo em Roma!

Na Segunda Epístola a Timóteo, escrita na prisão, no ano 63, Paulo queixou-se dos discípulos e amigos que se ausentaram: “Só Lucas está comigo” (2Timóteo 4.11). Pedro devia estar em Babilônia,de onde escreveu sua Primeira Epístola (1Pedro 5.13).

Mais uma omissão e deturpação e contradição:

Ele omite que Paulo mandou Timóteo levar Marcos para Roma, é só conferir os versículos seguintes a passagem que ele cita para ver, e já mostrei que Marcos estavam em Roma.

Se contradiz dizendo que em 63 Pedro estava em Babilônia. Ora como ele disse que Pedro era itinerante e disse que em 55 ele escreveu 1ª Pedro, então Pedro esteve ao menos 8 anos na Babilônia do Eufrates, e por que não encontramos nenhum indício na tradição ou mesmo histórico de nenhuma comunidade cristã lá?

Ano 67 – Pedro escreveu suas epístolas. Não há nenhum sinal de sua presença em Roma!

Vejam ai que Grande contradição, afinal Pedro escreveu suas epistolas em 55 como ele citou anteriormente ou em 67?

Ele era itinerante ou permaneceu 12 anos na babilônia do Eufrates? Por que de 55 a 67 são 12 anos quando foi então martirizado. É confuso entender tantas contradições!

Assim, entendemos, que a estada de Pedro em Roma, por 25 anos e a qual o catolicismo romano dá foros de verdade, não passa, isto sim, de uma ” lenda escandalosa e pérfida, não havendo provas de seu martírio em Roma”, conforme nos relata o ex-padre (ex-locutor do Vaticano), Antônio Gonçalves Pires, em seu livro “Pode um católico salvar-se?”

Assim entendemos que as tentativas de deturpar a verdade a qual a “acusogética” protestante dá foros de verdade, não passa, isto sim, de uma lenda escandalosa e pérfida, havendo VÁRIAS provas de seu martírio, episcopado e estadia em Roma conforme nos relata a bíblia, a história, geografia e a tradição!

E para Terminar nada melhor que um pastor Protestante Falar por nós:

In Cord Jesu, Semper,

Rafael Rodrigues.

 

Referencias Bibliográficas:

¹ http://www.veritatis.com.br

² http://apostoladosagradoscoracoes.angelfire.com/chero.html

http://capuchinhos.org

Conego A. Boulenger, Manual de Apologética.

comentários
  1. Johnny de Queiroz disse:

    Parabéns, ótimo artigo.
    Conseguiu outra vez, Rafael. =D

    **TOMA PROTESTANTADA**

  2. reginaldo disse:

    Rafael,

    Voce já deu uma lida nesse artigo aqui:

    *

    ?

    • Rafasoftwares disse:

      Olá Reginaldo], que a paz do Senhor esteja com você e com os seus.

      Sim, já li, mas não todo.

      Analizei aqui e nada do que exponho aqui se encontra refutado, muito pelo contrário, o que se encontra nesta matéria ai já está refutado nesta minha, como por exemplo em relação a quem era a babilônia em que Pedro se referia. No mais está tudo ai exposto.

      Além de tudo temos todos os testemunhos patrísticos comprovando a estadia de Pedro em Roma.

      In cord Iesu Semper,

      Rafael Rodrigues.

  3. reginaldo disse:

    Voce poderia especificar quais argumentos do lucas foram refutados no seu artigo?
    Por que o artigo dele tem muito mais embasamento biblico que o seu,inumeros argumentos contra a tese católica do primado de Pedro em Roma.

    • Rafasoftwares disse:

      Caro Reginaldo, que a paz do Senhor esteja com você e com os seus.

      Não estamos aqui para comparar nossos textos com os de outro site, logo o que expomos já são refutações de acusações anteriores.

      Quando ao Seu comentário Sobre A Babilonia de 1 Pd 5, 13; não aceitei por que os posts aqui não são para divulgar matérias de outros sites, mas sim para debater sobre a matéria exposta, apesar de poder citar outros sites sem problema, mas não matérias imensas que ninguem ler.

      Quando aoSobre A Babilonia de 1 Pd 5, 13; Não ser Roma já está respondido e refutado no texto crteio que você não leu vou citar aqui novamente:

      “A babilônia do Egito, sendo provavelmente um posto militar do Império Romano, no local onde hoje é a cidade do Cairo, não existe nenhum registro das missões e da tradição que havia uma comunidade de cristãos ali naquela época muito menos que Pedro tenha estado ali, não encontramos nenhum indicio de cristianismo lá.

      Já a babilônia do Eufrates não existe notícia nem tradição de qualquer apóstolo ter estado na Mesopotâmia, salvo Tomé.

      Ou seja, em nenhuma das outras babilônias literais há qualquer noticia de comunidade cristã por perto, somente Roma se encaixa na descrição de Pedro.”

      Logo se o autor do texto que você citou tivesse algum interesse em mostrar a história, veria que nunca ouve nenhum indício que Algum apóstolo esteve na Mesopotamia, nem mesmo na cartas do Cristianismo primitivo vemos qualquer menção de atividade apóstolica para estes lados. Muito Pelo Contrário desde o ano 99 d.C a menção de Pedro em Roma, é só você conferir as passagens que eu coloquei no texto.

      Todos os historiadores eclesiásticos, falam da missão de Pedro em Roma. E das cidades onde os outros apóstolos estiveram e ali pastorearam a Igreja.

      Ninguem nunca citou nada sobre nenhum apóstolos na Mesopótamia, salvo Tomé, há indícios que São Judas tadeu também tenha estado lá, porém não é nada muito contundente.

      Logo como o autor mesmo Cita Pedro estava em Missão secreta na Babilonia do Eufrates visto que ninguem nunca soube que ele esteve lá. Pois todos os textos dos primeiros cristãos testemunham Pedro sempre em Roma é só conferir nas obras dos mesmo que eu fiz referencias no texto. Logo fazer suposições em passagens bíblicas que não falam nada a respeito do assunto, é meio que fraco como argumentação para quem já estudou a história.

      Não se atenha a quem muito escreve e bombardeia palavras, se atenha aos fatos que são simples.

      Fica na paz.

      In Cord Jesu, Semper,

      Rafael Rodrigues.

      • ilha gande disse:

        rafael me responda porque que paulo escrevendo a carta aos romanos nao manda nenhuma saudaçao a “sua santidade” o “papa” neste caso pedro nao seria uma blasfemia contra o “primeiro papa”?ja que ele fez memoria de tantas pessoas ali menos o papa rm cap 16 vcs 3…. 16 depois vcs 21… 24

      • Rafasoftwares disse:

        Primeiro Paulo naõ estava mencionando ninguém que estava em Roma, ele estava mencionando o pessoal da àsia Menor, e outra o argumento do silêncio não vale de nada até que se prove que era necessário Paulo ter mencionado Pedro.

        Este peseudo-argumento é mais uma estupefada argumentação que só funciona para alimentar as sandices de vocês. Além do que Pedro para ser bispo de Roma não precisaria estar com lá sentado em ROMA o tempo todo, Pedro era missionário, era bispo de Roma mais ia evangelizar em outros cantos!

  4. alttbarreto disse:

    Quanto a presença de Pedro em Roma:

    Suplicio Severo(363-420): “Pois, naquele tempo, a nossa religião divina tinha obtido uma ampla prevalência na cidade. Pedro estava ali executando a função de bispo, e Paulo, também, depois de ele ter sido trazido para Roma, e apelar para César da sentença injusta do governador.”(História Sagrada Livro II cap 28)

    Tertuliano(+220): “. Uma vez que, além disso, você está próximo a Itália, você tem a Igreja de Roma, de onde vem em nossas próprias mãos a autoridade dos apóstolos. Como feliz é essa igreja, em que os apóstolos derramaram toda a sua doutrina, juntamente com o seu sangue! Onde Pedro teve uma paixão como o seu Senhor! Onde Paulo ganha a sua coroa de uma morte como a de João, onde o apóstolo João foi o primeiro sair ileso, em óleo fervente e depois, transferido para sua ilha exílio! (Prescrições Contra Hereges Cap. 36)

  5. Benedito Carneiro disse:

    Bom dia! Meu nome é Carneiro e sou cristão(católico). Hoje tomei conhecimento do seu texto. Olha, gostei. Mas, toma cuidado com a redação pois na sede de apologizar você esquece a língua portuguesa. Outra, quanto à bibliografia, há muito material bem mais rico que “sites” e se você quiser posso até indicar, melhor, se pesquisar na “net” vai encontrar. Olha, há outros caminhos mais saudáveis e corretamente cristãos do que se preocupar em refutar teses mais do que fundamentalistas, conservadoras, reacionárias e sectárias. Não enriquecem ninguém além de acirrar o antiecumenismo. Paz e bem! Carneiro.

    • Rafasoftwares disse:

      Olá Carneiro, Que a Paz do Senhor Esteja com você e com os seus.

      Não estamos mais trabalhando com este blog, você pode nos mandar recados agora em http://www.apologistascatolicos.com.br esse site é para onde migramos. Que bom que gostou do nosso texto.

      Em relação a redação, redação de blog é um pouco fraca, eu naõ corrijia meus textos, só digitava e postava, pois não tenho tempo para fazer isto, dai os erros de pontuação e etc., mas nada que prejudique a leitura ou o correto entendimento.

      Porém como agora estamos com um site que está com grande crescimento entre o publico católico, estamos revisando todos nossos textos e esse “erros” desapareceram.

      Temos uma vasta literatura e material teológico, não nos atemos a “sites”, colocamos na web um pouco daquilo que estudamos EM LIVROS. Agora é bom referenciar para sites, pois as pessoas podem ir lá conferir, o que em livros seria dificil. Porém só referenciamos sites renomados, sérios e confiáveis.

      Em relação aos “caminhos mais saudáveis”, não conheço outro mais saudável do que esse, defender a nossa fé. Posso te dizer que isso enriquece MUITA GENTE, só basta ver os testemunho que nos são enviados, de pessoas que renovaram seu compromisso com Cristo, sairam do erro e hoje são católicos convictos.

      Se isso gera ANTIECUMENTISMO, que seja, nem Jesus nem os apostolos estavam interessados em agradar ninguém, eles mostravam a verdade e combatiam os erros, se isso doía a judeus ou a gregos, não importava. Os apostolos foram mortos justamente POR NÂO SEREM ECUMENICOS, se eles fossem ECUMENICOS e estivessem preocupados em ficar de conversinha com pagãos, eles ficariam VIVOS. Eles estavam interessados era na salvação das almas, e não em beijos e abraços com hereges. Corroborar com o erro é tratar o erro como se fosse Correto. Se calar diante da mentira é dizer que ela é verdadeira.

      Feito isso aqui me despeço.

      In Cord Iesu, Semper,

      Rafael Rodrigues.

      • Benedito Carneiro disse:

        Boa noite, Rafael! Olha, primeiro obrigado pela atenção ao meu comentário, porém, o conceito de ecumenismo como se entende na Igreja Católica e em muitas confissões cristãs, parece-me um tanto distante de seu ponto de vista. É o que penso. De qualquer forma, apenas tentei apontar alguns caminhos. Observo novamente que a refutação de ideias fundamentalistas e conservadoras em nada enriquece nossa missão evangelizadora. E a abertura ao diálogo sério não seria evangélico? Seus três últimos parágrafos não têm nada a ver com aquilo que comentei. Entendo que complica num blog como este tratar de assuntos diversos ou específicos. O que quis dizer é que existe uma literatura excelente a respeito, só isso. Agora, depende também do espírito de quem for lê-las. Discernimento ainda vale. Entenda-me bem, não estou dando conselho a você, oonge disso. Também procuro não apenas o olhar do Cristo Senhor!
        Pax et bonum! Carneiro.

  6. edmilson disse:

    Pedro é o nosso primeiro papa e para provar isso incontestavelmente biblicamente teologicamente historicamente mostro aqui grandes estudos de de apologéticas de grandes estudiosos da verdadeira Igreja católica apostólica Romana

    Lc 22,31s: “Simão, Simão, eis que Satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; eu, porém, roguei por ti, a fimde que tua fé não desfaleça. Quando te converteres, confirma teus irmãJo 21,15-17: “Jesus disse a Simão Pedro: ‘Simão, filho de João, tu me amas mais do que esses?’ Ele respondeu: ‘Sim, Senhor, tu sabes que te amo’. Jesus lhe disse: ‘Apascenta as minhas ovelhas’. Pela segunda vez lhe disse: ‘Simão, filho de João, tu me amas?’ ‘Sim, Senhor’, disse ele, ‘tu sabes que te amo’. Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta as minhas ovelhas’. Pela terceira vez disse-lhe: ‘Simão, filho de João, tu me amas?’ Entristeceu-se Pedro porque pela terceira vez lhe perguntara: ‘Tu me amas?’ e lhe disse: ‘Senhor, tu sabes tudo, tu sabes que te amo’. Jesus lhe disse: ‘Apascenta as minhas ovelhas’.

  7. edmilson disse:

    .Pedro é o nosso primeiro papa e para provar isso incontestavelmente biblicamente teologicamente historicamente mostro aqui grandes estudos de de apologéticas de grandes estudiosos da verdadeira Igreja católica apostólica Romana

    Lc 22,31s: “Simão, Simão, eis que Satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; eu, porém, roguei por ti, a fimde que tua fé não desfaleça. Quando te converteres, confirma teus irmãJo 21,15-17: “Jesus disse a Simão Pedro: ‘Simão, filho de João, tu me amas mais do que esses?’ Ele respondeu: ‘Sim, Senhor, tu sabes que te amo’. Jesus lhe disse: ‘Apascenta as minhas ovelhas’. Pela segunda vez lhe disse: ‘Simão, filho de João, tu me amas?’ ‘Sim, Senhor’, disse ele, ‘tu sabes que te amo’. Disse-lhe Jesus: ‘Apascenta as minhas ovelhas’. Pela terceira vez disse-lhe: ‘Simão, filho de João, tu me amas?’ Entristeceu-se Pedro porque pela terceira vez lhe perguntara: ‘Tu me amas?’ e lhe disse: ‘Senhor, tu sabes tudo, tu sabes que te amo’. Jesus lhe disse: ‘Apascenta as minhas ovelhas’.

  8. edmilson disse:

    Pedro é o nosso primeiro papa e para provar essa maravilhosa bem aventurança
    digo que em Aramaico temos duas palavras para designar materiais rochosos:

    1º Evna = Pedra

    2º Kepha כף (ou cefas, transliterado para o grego) = Rocha

    Em Grego, assim como o aramaico, temos também 2 palavras:

    1º Lithos (λίθος), = Pedra pequena

    2º Petra (πέτρᾳ ) = Rocha maciça, Pedra Grande (que é o equivalente de Kepha)

    A Bíblia nos diz que Jesus deu um nome novo a um pescador que se chamava Simão e este nome foi “KEPHA” (Aramaico) e transliterado como “cefas”, que no grego ficou “Petrus”, como podemos ver em João 1, 42:
    “Levou-o a Jesus, e Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de Jonas, serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro).” (Negrito meu)

    Em aramaico não temos gênero, mas em grego sim, por isso a palavra Petra que é o equivalente a KEPHA (cefas) foi masculinizada para dar nome a um homem, Petrus, mas o significado permaneceu o mesmo (Rocha ou pedra grande) como é atestado nos seguintes Léxicos protestantes:
    Mais algumas passagens com o nome de “Cefas”.

  9. edmilson disse:

    1Co 1:12 Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo.

    1Co 3:22 Seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo é vosso,

    1Co 9:5 Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?

    1Co 15:5 E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.

    Gal 2:9 E conhecendo Tiago, Cefas e João, que eram considerados como as colunas, a graça que me havia sido dada, deram-nos as destras, em comunhão comigo e com Barnabé, para que nós fôssemos aos gentios, e eles à circuncisão;
    Refutando Algumas objeções dos que dizem que:

    1 º O significado do nome de Petrus é Pedregulho.

    Não existe nenhum prova para isto, até por que no NT Petrus só é designado para Pedro e para nada mais.

    2º O significado do nome Petrus é pequena pedra para arremessar.

    Isso não existe no grego koiné. No grego koiné usa-se a palavra “lithos” para significar “uma pedrinha ou uma pedra para arremessar” como podemos constatar no caso da mulher adúltera (João 8, 7) ou de Jesus (João 8, 59).

    João 8, 7 Ὡς δὲ ἐπέμενον ἐρωτῶντες αὐτόν, ἀνακύψας εἶπεν πρὸς αὐτούς, Ὁ ἀναμάρτητος ὑμῶν, πρῶτον ἐπ᾽ αὐτὴν τὸν λίθον βαλέτω.

    Tradução: “Como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra.”

    John 8:59 Ἦραν οὖν λίθους ἵνα βάλωσιν ἐπ᾽ αὐτόν· Ἰησοῦς δὲ ἐκρύβη, καὶ ἐξῆλθεν ἐκ τοῦ ἱεροῦ, διελθὼν διὰ μέσου αὐτῶν·

    Tradução: “Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou.”

  10. edmilson disse:

    Pedra de arremesso nunca foi nem será Petrus.

    E para azar e confusão na cabeça dos protestantes que sustentam esta mesma idéia, Jesus em 1 Pedro 2,4 é chamado de “Lithos” a mesma palavra em gênero, número, grau e declinação que foi usada para a Pedra de arremesso da adúltera e das pedras jogadas em Jesus.

    1 Pd 2:4 “πρὸς ὃν προσερχόμενοι λίθον ζῶντα ὑπὸ ἀνθρώπων μὲν ἀποδεδοκιμασμένον παρὰ δὲ θεῷ ἐκλεκτὸν ἔντιμον..”

    Tradução “Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa…”

    Seria também Jesus uma pequena pedrinha de arremesso e não a grande Rocha da Salvação?

    Gostaria de ver algum protestante respondendo isto!

    3º O significado do nome Petrus é pequena pedra igual as demais como citado em sua epístola.

    Não existem bases ou sustentações para afirmar que “Petrus” significa “pedra pequena” porque para isto a Bíblia utiliza outra palavra (lithos ou lithon) como foi mostrado.

    E vejam:

    1 Pd 2:5 καὶ αὐτοὶ ὡς λίθοι ζῶντες οἰκοδομεῖσθε οἶκος πνευματικός, ἱεράτευμα ἅγιον, ἀνενέγκαι πνευματικὰς θυσίας εὐπροσδέκτους τῷ θεῷ διὰ Ἰησοῦ χριστοῦ.

    Tradução: Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.

    Ou seja, a palavra “Lithos” que é usada para Jesus em 1 Pd 2, 4 se referindo a Jesus é novamente utilizada em grau e gênero para os demais Cristãos em 1 Pd 2, 5.

    E ainda aparecem protestante vindo dizer que a rocha ou pedra só pode ser utilizada para Jesus.

    Em outras passagens Jesus também é chamado de PETRA, assim como Pedro (Petrus). Mas isso não tira a magnitude de Jesus como rocha da Salvação, nem da função de Pedro como Rocha da Unidade da Igreja.

  11. edmilson disse:

    Penso que por aqui já basta a explicação sobre o nome de Pedro, agora vamos a linda passagem do evangelho de Mateus que é o foco desta matéria.

    Em Mateus 16, 18 lemos:

    “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.”

    Em Grego:

    “κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶ ἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳ οἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν καὶ πύλαι ᾅδου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς.”

    Vejamos em aramaico este trecho em negrito na Bíblia Peshita (Tradução do grego para o aramaico do século V):

    (lê se da direita pra esquerda)

    Veja que não há diferença entre a rocha (em aramaico) e o nome de Pedro (em aramaico).

    Agora analisaremos duas palavras em especial.

    Voltemos ao grego de Mateus 16, 18:

    “κἀγὼ δέ σοι λέγω ὅτι σὺ εἶ Πέτρος, καὶ ἐπὶ ταύτῃ τῇ πέτρᾳ οἰκοδομήσω μου τὴν ἐκκλησίαν καὶ πύλαι ᾅδου οὐ κατισχύσουσιν αὐτῆς.”

    Note as duas palavras em vermelho que são ταύτῃ τῇ que quase todas as traduções (católicas e protestantes) traduzem simplesmente por “esta”.

    Vamos fazer uma analise:

    ταύτῃ (tauth) é o dativo feminino de οὗτος (outós) e sua tradução simples é “esta”. E serve para dar ênfase a algo previamente mencionado.

    τῇ (th) é também o dativo feminino e ὁ (o) e é o artigo da frase ou seja sua tradução é “a”.

    Estas duas palavras juntas ταύτῃ + τῇ, tem o sentido ou tradução de “esta mesma”, “esta própria”.

    Então juntando o nome de Pedro que foi previamente confirmado como ROCHA, e PETRA que também foi confirmada como ROCHA pelos léxicos protestantes, podemos traduzir Mateus 16, 18 da seguinte forma:

  12. edmilson disse:

    “TU ÉS ROCHA E SOBRE ESTA MESMA ROCHA, EU EDIFICAREI A MINHA IGREJA.”

    A pergunta que todo protestante faria ao ver isto “então por que as traduções católicas não traduzem assim?”

    A Resposta : Por que o artigo, no grego, depois de um pronome demonstrativo não precisa ser traduzido, já é sub-entendido, então se traduz somente o “esta” na maioria das vezes, mas o sentido continua o mesmo.

    Além disso São Jerônimo traduziu para o Latim da seguinte forma “HANC PETRAM” ou seja “Esta mesma Rocha“.

    HANC no latim tem o sentido próprio de “esta mesma”, “esta própria” assim como ταύτῃ + τῇ no grego. São Jerônimo, como falava fluentemente o grego koiné, sabia muito bem o sentido real da passagem, quando ele traduziu a vulgata o grego koiné ainda era “vivo”.

    E agora para o desespero de protestantes que apesar de tudo o que aqui foi demonstrado até agora ainda estejam duvidando, vou usar a própria bíblia João Almeida para provar que ταύτῃ + τῇ tem o sentido e também tradução de “esta mesma”, apesar da maioria das passagens que contém estas duas palavras os tradutores não traduzam assim, por que já está implícito. Vou pegar aqui 1 passagem que a própria João Almeida confirma o que eu estou dizendo.

    Antes que algum protestante venha com conversinha de versão da bíblia João Almeida, estou utilizando aqui 4 versões da mesma que traduzem a passagem do mesmo jeito em todas.

    Vejamos em Atos 27, 23:

    Grego:

    Atos 27, 23 παρέστη γάρ μοι ταύτῃ τῇ νυκτὶ τοῦ θεοῦ, οὗ εἰμι [ἐγώ] ᾧ καὶ λατρεύω, ἄγγελος

  13. edmilson disse:

    João Almeida

    Atos 27, 23 Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem eu sou, e a quem sirvo, esteve comigo.

    Podem conferir ai no grego e em suas bíblias.

    Ai vai vim um protestante me dizer que viu em sua bíblia as palavras “esta mesma” e no grego não estavam escritas como ταύτῃ τῇ.

    Como eu já disse ταύτῃ e τῇ estão no dativo, declinadas, ou seja conjugadas. No português só temos conjugação para verbos na maioria das vezes, mas no grego não, acontece também com pronomes e substantivos, as palavras “esta mesma” podem ser encontradas também desta forma ταύτην τὴν, ondeταύτην equivale a ταύτῃ e τὴν equivale a τῇ. Onde não há nenhuma diferença entre as mesmas, apenas a declinação.

    Portanto podemos dizer com clareza a quem quiser ouvir, PEDRO É A ROCHA.

    “TU ÉS ROCHA E SOBRE ESTA MESMA ROCHA, EU EDIFICAREI A MINHA IGREJA.”

    Na parte II desta matéria veremos os vários testemunhos patrísticos a respeito disso.

    Bibliografia Utilizada:

    1 – Malzoni, Cláudio Vianney, 25 Lições de Iniciação ao Grego do novo testamento/ Cláudio Vianney Malzoni. – 1. Ed. – São Paulo: Paulinas, 2009 (Coleção Línguas Bíblicas).

    2 – Dicionário de Grego do Novo Testamento / Carlo Rusconi; [Tradução Rabuske] – São Paulo : Paulus 2003. – (Dicionários)

    3 –Strong, James – Exaustiva Concordância – Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo : Sociedade Bíblica do Brasil 2002.

    4 – Friberg, Analytical Greek Lexicon.

    5 – Thayer, Greek Lexicon Of Nt.

  14. edmilson disse:

    Padres Latinos:

    Santo Ambrósio de Milão (397)
    Santo Arnóbio (330)
    Santo Agostinho de Hipona (430)
    São Bento de Núrsia (550)
    São Cesáreo de Arlés (542)
    São João Cassiano (435)
    São Celestino I (432)
    São Cornélio (253)
    São Cipriano de Cartago (258)
    São Dâmaso (384)
    São Dionísio (268)
    Santo Enódio (521)
    Santo Eucherio de Lyon (450)
    São Fulgêncio (533)
    São Gregório de Elvira (392)
    São Gregório Magno (604)
    Santo Hilário de Poitiers (367)
    Santo Inocente (417)
    Santo Ireneu de Lyon (202)
    Santo Isidoro de Sevilla (636) (Último dos Padres latinos)
    São Jerônimo (420)
    Lactâncio (323)
    São Leão Magno (461)
    Mário Mercator (451)
    Mario Victorino (século IV)
    Minucio Félix (século II)
    Novaciano (257)
    Santo Optato (século IV)
    São Paciano (390)
    São Pânfilo (309)
    São Paulino de Nola (431)
    São Pedro Crisólogo (450) San
    Febádio (século IV)
    Rufino de Aquileya (410)
    Salviano (século V)
    São Sirício (399)
    Tertuliano (222)
    São Vicente de Lerins

    Jesus Cristo disse a Pedro Bem aventurado és tu, Simão Bar Jonas, porque não foi a carne, ou o sangue que te inspiraram, mas meu Pai que está nos céus. E eu te digo que tu és Pedro, e sobre essa pedra eu edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus; e tudo o que ligares sobre a terra será ligado também nos céus; e tudo o que desligares sobre a terra será desligado também nos céus” (Mt. XVI, 17-20)
    0 nome de Pedro aparece em primeiro lugar em todas as listas que enumeram os apóstolos (Mt 10,2; Mc 3,16; Lc 6,14; At 1,13). Mateus até o chama de “o primeiro” (Mt 10,2).
    S. Pedro é quase sempre mencionado em primeiro, mesmo quando aparece ao lado de outros. A (única) exceção está em G1 2,9, onde ele é listado após Tiago e João, mas, mesmo assim, o contexto coloca-o em preeminência (ex.: G1 1,18-19; 2,7-8).
    Pedro é o único entre os Apóstolos que recebe um novo nome, Pedra, solenemente conferido (3o 1,42; Mt 16,18).

    Da mesma forma, Pedro é estimado por Jesus como o Pastor chefe, logo após Ele (]o 21,15-17), de forma especial pelo nome, e sobre a Igreja universal, apesar dos demais apóstolos terem uma função similar mas subordinada (At 20,28; lPd 5,2).
    S. Pedro é o único apóstolo mencionado pelo nome quando Jesus Cristo orou para que “a sua fé (=Pedro) não desfalecesse” (Lc 22,32).

  15. neuma disse:

    bom dia a todos que a paz de Cristo esteja com vocês
    bem eu gostaria de algumas explicações a igreja romana sempre disse que é a igreja de Jesus Cristo porem quando ele fala da pedra edificada na terra ele fala dele mesmo 1corintios10:1.2.3.4
    fica claro que a pedra edificada igreja na terra é Jesus e como Jesus iria entregar a igreja dele nas mãos de um homem que ele chamou de possuído por satanás e em Matheus16:21.22.23 ele acusa pedro de estar possuído por satanas e como Jesus iria entregar uma igreja a hum homem que o renegou 3 vezes e quando ele foi crucificado e pediu para ser crucificado de cabeça para baixo não seria porque ele negou a Jesus novamente
    gostaria muito da sua explicação.obrigada

  16. Jorge disse:

    Eu não sei aquém me dirigir, aos irmãos em cristo jesus.

    Um comentário a acrescentar ao seu conhecimento.

    Em um blog protestante tinha uma acusação já antiga onde dizia que o silencio de Paulo na epistola aos Romanos não citar Pedro.

    E o autor fala que 27 pessoas são saudadas e Pedro o apostolo não, dai é prova que Pedro não foi papa, tal.

    Mas o que quero dizer é que o capitulo 16 de Romanos não faz parte da Epistola original.

    Se vocês já sabem ótimo, se não, é só ver a introdução da bíblia TEB, onde tem esse relato, e a isso fui ver algumas indicações que relata a intrução dessa bíblia, onde diz que o capitulo 15, entre 15, 22-33, é um texto de finalização da epistola e de fato percebe isso.

    Romanos 15, 31-33, 31. para que eu escape dos infiéis que estão na Judéia, e para que o auxílio que levo a Jerusalém seja bem acolhido pelos irmãos. 32. Então poderei ir ver-vos com alegria e, se for a vontade de Deus, encontrar no vosso meio algum repouso.

    33. E o Deus da paz esteja com todos vós. Amém.

    Compare com galatas

    Gálatas 6, 18, A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com vosso espírito, irmãos. Amém

    Agora é minha vez, a paz do senhor, amém.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s