Arquivo da categoria ‘Seitas & Heresias’

Pode Um Cristão Participar Halloween (Dia das Bruxas)?

Publicado: 13 de outubro de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

A Resposta é NÃO! Vejamos por que:
O Halloween é uma festa muito comum nos EUA e Europa e é celebrada no dia 31 de Outubro. A comemoração veio dos antigos povos bárbaros Celtas, que habitava a Grã-Bretanha há mais de 2000 anos.

Os Celtas realizavam a colheita nessa época do ano, e, segundo um antigo ritual, para eles os espíritos das pessoas mortas voltariam à Terra durante a noite, e queriam, entre outras coisas, se alimentar e assustar as pessoas. Então os Celtas costumavam se vestir com máscaras assustadoras para afastar estes espíritos.

Esse episódio era conhecido como o “Samhaim”. Com o passar do tempo, os cristãos chegaram à Grã-Bretanha, converteram os Celtas e outros povos da Ilha, especialmente através de S. Patrício no século IV e V; e com o grande S. Columbano no século VI. Com isso, a Igreja Católica transformou este ritual PAGÃO, em uma festa religiosa. Esta estratégia religiosa foi ensinada por S. Leão Magno e S. Gregório Magno. Ela passou a ser celebrada nesta mesma época e, ao invés de honrar espíritos e forças ocultas, o povo recém catequizado, deveria honrar os santos, daí veio o “All Hallows Day”: o Dia de Todos os Santos.

Mas, a tradição entre estes povos continuou, e além de celebrarem o Dia de Todos os Santos, os não convertidos ao Cristianismo celebravam também a noite da véspera do Dia de Todos os Santos com as máscaras assustadoras e com comida. A noite era chamada de “All Hallows Evening”, abreviando-se, veio o Halloween.

Concluímos, pois que o Halloween ou dia das bruxas não é uma festa cristã e sim pagã de origem diabólica por sinal, celebrar as bruxas e a espíritos é desonrar a Deus, então como cristãos não podemos participar de tal celebração mesmo que pensemos que tenha apenas conotação folclórica.

Podemos sim comemorar o dia dos santos, pois “o exemplo de suas vidas, os testemunhos que deixaram de Amor radical a Jesus, de vivência radical do Evangelho, de Caridade Heróica para com o próximo, nos motivam, nos animam, nos despertam, nos empurram para sermos melhores como filhos de Deus, como pessoas, como católicos, como servos de Deus!”.

Devemos nos lembrar da recomendação de São Paulo: “As coisas que os pagãos sacrificam, sacrificam-nas a demônios e não a Deus. E eu não quero que tenhais comunhão com os demônios. Não podeis beber ao mesmo tempo o cálice do Senhor e o cálice dos demônios. Não podeis participar ao mesmo tempo da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou queremos provocar a ira do Senhor? Acaso somos mais fortes do que ele?” (1 Cor 10,19-22).

E ai, ainda Vai Participar?!

Do Seu Irmão,

Rafael Rodrigues.

Fontes: Livro Falsas Doutrinas – seitas e religiões Prof. Felipe Aquino – http://www.cleofas.com.br

O Juízo Investigativo: Doutrina Cristã ou Heresia Adventista?

Publicado: 5 de outubro de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

[Cristo] sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna” (Hb 9,12).

Introdução

Ensina a Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) que no dia 22 de Outubro de 1844, Nosso Senhor Jesus Cristo entrou no Santuário Celeste para terminar Seu trabalho de Salvação por todos os homens que fossem dignos de tal benesse. Esta doutrina é chamada de Juízo Investigativo. A IASD também ensina que toda sua doutrina se baseia única e exclusivamente na Sagrada Escritura. Mas será que encontramos o Juízo Investigativo na Escritura? Será que a Escritura corrobora com esta doutrina adventista?

A Origem do Juízo Investigativo

Depois que os anúncios “proféticos” do precursor do Adventismo, o Sr. Guilherme Miller, foram frustrados, pois Nosso Senhor não voltou na data marcada (22 de Outubro de 1844), grande mal estar foi gerado entre os adventistas (até então não eram conhecidos como adventistas do sétimo dia).

Muitos deles fizeram como seu precursor, retornaram às suas seitas de origem. Porém, outros se negavam a reconhecer o evidente fracasso. Estas pessoas ficaram sob a liderança da jovem Ellen Harmon, que depois de casada viria ficar conhecida como Ellen White.

Bem, que Jesus não tinha voltado na data marcada pelo Sr. Guilherme Miller, todo mundo viu, porém resolveram criar uma emenda pior que o soneto para justificar este fracasso. Concluíram que a data estava correta, porém o fato é que estava equivocado: Jesus não deveria retornar á terra, mas entrar no Santuário Celeste e terminar a Sua obra de redenção. E isto é confirmado pela própria fundadora do Adventismo do Sétimo Dia:

[…] Em 1844 Cristo entrou no mais santo lugar do santuário celestial, para terminar o trabalho de expiação, preparatório de Sua Vinda” (The Great Controversy, p. 481).

Para fazer expiação por todos aqueles que se mostrassem aptos para receber os beneficios da mesma”. (Ibid., p. 456)

[…] em 1844. Assistido por anjos celestiais, nosso grande Sumo Sacerdote entra no lugar santíssimo, e ali comparece à presença de Deus a fim de Se entregar aos últimos atos de Seu ministério em prol do homem, a saber: realizar a obra do juízo de investigação e fazer expiação por todos os que se verificarem com direito aos benefícios da mesma” (Ibid, p. 480) (grifos nossos).

Claramente se vê que segundo os adventistas, Nosso Senhor não terminou a Sua obra de redenção com o Sacrifício do Calvário. Para eles, a morte e ressurreição do Senhor não inauguraram um novo tempo, o tempo de amizade entre Deus e os homens; pois segundo crêem, Jesus deveria ainda terminar o que começou com o “juízo de investigação”.

Ora, tudo isto é heresia e das “brabas” mesmo!

O que diz a Sagrada Escritura?

1. O tempo em que Jesus expia os pecados dos homens

[…] [Cristo] Depois de ter realizado a purificação dos pecados, está sentado à direita da Majestade no mais alto dos céus” (Hb 1,3) (grifos meus). Ora, o autor sagrado está dizendo que Cristo realizou a expiação dos pecados logo após Sua morte e ressurreição , pois em Mc 16,1-19 mostra que Jesus “foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus” após ter aparecido ressurreto aos apóstolos. Logo não foi em 1844 que Nosso Senhor realizou “a purificação dos pecados”.

2. O tempo em que Jesus entrou no Santuário Celeste

Porém, já veio Cristo, Sumo Sacerdote dos bens vindouros. […] sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna” (Hb 9,11-12) (grifos meus).

Esta passagem é suficiente para mostrar que o ensino adventista do Juízo Investigativo é uma heresia. O autor sagrado quando escreve a epístola aos hebreus, diz que Jesus JÁ “entrou de uma vez por todas no santuário adquirindo-nos uma redenção eterna” e NÃO QUE ENTRARÁ EM 1844.

3. A eficácia do Sacrifício de Cristo para a nossa salvação

Em seguida, [Cristo] ajuntou: Eis que venho para fazer a tua vontade. Assim, aboliu o antigo regime e estabeleceu uma nova economia. Foi em virtude desta vontade de Deus que temos sido santificados uma vez para sempre, pela oblação do corpo de Jesus Cristo” (Hb 10,9-10) (grifos meus). O autor sagrado declara que o sacrifício de Cristo nos santificou de “uma vez para sempre”. Ele não diz que ainda dependeremos de um Juízo Investigativo para que Jesus fará no Santuário Celeste em 1844 para sermos santificados. Ver ainda Hb 10,12-14.

A Contradição da Sra. Ellen White

Como já era de se esperar, toda falsa doutrina além de contrariar a Verdade, contraria a si mesma. A mesma Sra. Ellen White que ensinou que “Em 1844 Cristo entrou no mais santo lugar do santuário celestial, para terminar o trabalho de expiação, preparatório de Sua Vinda“, também ensinou:

Ele [Cristo] plantou a cruz entre Céu e terra, e quando o Pai viu o sacrifício do Seu filho,  Ele se curvou em reconhecimento de sua perfeição.  “É o suficiente“, Ele disse. “A espiação  está completa” (The Review and Herald, Sept. 24, 1901) (grifos meus).

O Tipo conheceu antittipo na morte de Cristo, o Cordeiro morto para os pecados do mundo. Nosso grande Pai  fez o único sacrifício que é de qualquer valor em nossa salvação.  Quando Ele se ofereceu na cruz, uma expiação perfeita foi feita pelos pecados das pessoas. Nós estamos  agora em pé no tribunal exterior, aguardando, a benção esperada,  o  aparecimento glorioso de nosso Senhor  e Salvador Jesus Cristo”. (The Signs of the Times, June 28, 1899) (grifos meus).

Como pode o Sacrifício de Jesus ser perfeito, suficiente e completo e ao mesmo tempo Jesus necessitar de fazer o Juízo Investigativo para terminar sua obra de redenção?

Conclusão

O ensino do Juízo Investigativo nada mais foi que uma desculpa que os adventistas encontraram para o fracasso profético do Sr. Guilherme Miller. Estavam errados e ao invés de se desviarem do erro, criaram um outro muito pior, que contraria fortemente a Sagrada Escritura.

Tenho um amigo adventista, muito querido, no entanto pouco sincero, pois “O homem sincero anuncia a justiça; a testemunha falsa profere mentira” (Pr 12,17) e ele se nega a enxergar o Sol ao meio-dia, insiste em seguir os erros ensinados por Ellen White. É boa pessoa, porém Jesus não disse que os bons que serão chamados bem-aventurados, mas aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põe em prática (cf. Lc 11,28).

Matéria Por: Alessandro Lima

Leitura Complementar:

LIMA, Alessandro. Apostolado Veritatis Splendor: O Problema do dia 22 de Outubro de 1844 para os Adventistas. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/4018. Desde 23/10/2006.

Falso Profeta Desmascarado!

Publicado: 15 de setembro de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramemnte: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (Mt 7.22, 23)

As vezes agente ver coisas no mundo “cristão” que fazem agente rir da “absurdeis” com que as pessoas estão vivendo o evangelho hoje. Mas essa que vão ver eu não sei se rio ou se choro!

Sempre na História a Igreja Católica foi a vilã, a malvada, a Igreja poder que não deixava os homens lerem a Bíblia para não terem acesso a verdade, que só queria dinheiro e mais dinheiro, e etc. Sempre se procurou ver “o lado mal” da Igreja e levantar falsas acusações, mas nunca mostram os beneficios que a mesma trouxe para o humanidade, para a ciência, para os mais carentes, para as famílias, os valores que ela sempre buscou portar e passar para as pessoas.

Por que estou falando isso tudo? Para mostrar a você caro leitor se algum dia já viu alguma coisa dessas que você vai ver aqui dentro nesse vídeo abaixo na Igreja Católica, se você já viu  Padres mentindo pra você para conseguir teu dinheiro, se você já viu Padres fazendo gritarias, furdunços em meio ao Culto ao Senhor, e profetizando mentiras em tua vida.  Assista e pense!

Esse Vídeo não é montagem, nem uma invenção, é algo que você vai ver com os próprios olhos e constatar o que está sendo feito com o evangelho de Jesus Cristo.

Tem pessoas que começam a desacreditar no evangelho por causa de caras como esse, eu sou ao contrário, cada dia que vejo essas coisas passo a acreditar mais ainda, pois tudo que está escrito na bíblia está se cumprindo! Agora o engraçado é que os ditos “evangelicos”, que leêm a bíblia e andam com ela 24 hrs de baixo do braço, são enganados por caras como esse, como pode isso? Jesus mesmo falou: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, ora quem conheci a verdade não é mais engando. Como eles podem então ser enganados por esses profeteiros de meia tigela?

E o pior é que quando msotramos tais coisas para os “evangélicos”, eles dizem: “O importante é que eles estão ganhando almas para Cristo!”. Ahh… me faça uma garapa, tapem os olhos e não vejam então! A pregação de um anti-cristo vai trazer pessoas para Jesus?

Mateus 24, 24. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos.

ahh, já me cansei de falar, agora assistam e tirem suas próprias conclusões!

“Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós com vestes de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes” (Mt 7,15).

“Porque virá o tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Tendo nos ouvidos o desejo de ouvir novidades, escolherão para si, ao capricho de suas paixões, uma multidão de mestres. Afastarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas”. (2Tim 4,3-4).

2 Tessalonicenses 2, 9. A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. 10. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. 11. Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro. 12. Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal.

Seitas – Assembléia de Deus dos Últimos Dias

Publicado: 1 de setembro de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

Essa matéria visa expor a doutrina da Igreja Assembléia de Deus dos Últimos Dias, para quem não sabe o que é essa Igreja, é aquela do famoso Pastor Marcos Pereira (Pastor Sonic) que tira demônio do corpo das pessoas com maior freqüência do que respira! Ele ficou famoso por seu trabalho em presídios onde prega para os presos e faz vários exorcismos coletivos com gritarias, siri-canta e larabaxuais. Como toda seita protestante diz que suas doutrinas são baseadas nas Sagradas escrituras e/e somente elas são a base fé. Vamos expor aqui somente os pontos que ferem não só a Sã doutrina, como também os pontos que duvidam da inteligência de qualquer pessoa e extrapolam o senso do ridículo!

Essa matéria é de um site também protestante, eu não vou nem comentrar, pra depois não dizerem que eu estou difamando um “Ungidão e profeta” de Deus, tirem suas própias conclusões!

De missionário nas prisões à Pastor Sonic.

“Pois aparecerão falsos cristos e falsos profetas que realizarão grandes sinais e maravilhas para, se possível, enganar até os eleitos.” Mateus 24:24.

O Pastor Marcos Pereira da ADUD (Assembléia de Deus dos Últimos Dias) é um daqueles casos lamentáveis de homens que tinham tudo para fazer a boa Obra e terminaram por se perder na franca apostasia, culminado por iniciar uma seita que não tem relação nenhuma com o cristianismo.

Marcos Pereira, como consta em seu próprio site, se converteu em 1989 durante um culto de Silas Malafaia (*). Em uma carreira meteórica, em 1990 já era presidente da ADUD, quando iniciou o ministério que lhe rendeu fama no extinto presídio de segurança máxima, na Ilha Grande (RJ) e, em seguida, em diversas penitenciárias e centros de detenção do Rio de Janeiro, onde fez, inicialmente, um trabalho de grande visibilidade e admiração no meio evangélico sério. Pereira também contava com o respeito das autoridades da área de segurança do estado do Rio de Janeiro, em especial, durante o governo de Antony Garotinho. Em maio de 2004 Garotinho chamou o pastor para participar da mediação de uma rebelião na Casa de Custódia, centro de detenção na cidade do Rio de Janeiro, onde Pereira teve participação importante na solução do conflito que se arrastava a dias.

Contudo, a fama de Pereira apenas se espalhou quando imagens de supostos exorcismos realizados com presos ganharam a imprensa. Inicialmente, eram episódios esporádicos. Mas a ‘mosca azul da fama’ deve ter picado o pastor e, a cada dia, seus cultos se transformaram, mais e mais, em exibições teatrais de exorcismo.

O diabo virou o centro das atenções de suas performances, o convidado de honra.

Algumas reportagens de TV mostraram casos incríveis de testemunhos de vida mudada de ex-presidiários. Suas atividades na recuperação de viciados também receberam grande atenção e reconhecimento. Sempre houve alguma crítica ao legalismo da doutrina, mas o fato é que as práticas ainda estavam bem longe do perfil sectário atual. Ademais, a opinião majoritária era (e ai mora o perigo) que a camisa de força doutrinária da seita servia bem ao propósito de colocar nos eixos as vidas descarrilhadas de viciados e presidiários. Desta forma, o ministério ganhou espaço na mídia, inclusive internacional. O tempo passa e, como sempre, o interesse pelas boas notícias acaba. Sobra o ranço do casuísmo do líder e os holofotes da imprensa se apagam. A solução encontrada para manter o ministério na ribalta foram os shows de exorcismo e o circo dos horrores espirituais.

Quando o demônio é o show, Cristo está na platéia?

“Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores”. Mateus 7:15


Observe como o demônio é vaidoso (risos). Quando a menina levanta (possuída, risos), ela arruma o cabelo!

A cada novo espetáculo, mesmo com os impressionantes adendos de pirotecnia sobrenatural, o show seguia mais desgastado (aos olhos mais atentos) e a exigência de manter o espetáculo renovado, levou o conjunto da obra às raias do ridículo. A falcatrua que permeava as entrelinhas ganhou a obviedade das manchetes, revelando Marcos Pereira como um canastrão de filmes de horror de quinta categoria.

Recentemente Genizah publicou um artigo de um blogueiro amigo relatando a sua experiência em um dos shows do “pastor”. Ficou claro que Marcos Pereira dedica 90% do seu tempo a:

• Testemunhos de ex-presidiários (em seus vícios: drogas, bebida e pederastia), onde as curas e transformações são fruto de uma unção especial, dada a ele, unicamente, pelo próprio Deus. Todos os “curados” passaram a ser obreiros da seita.

• Exorcismo com ênfase em dois espetáculos: Um muito mórbido (vídeo acima), envolvendo a derrubada do alto de um palanque de uma menina endemoniada com o exu mais enjoado da esquina (não faltam meninas possuídas em cada um de seus shows!), e o famoso truque com o paletó que lhe rendeu o apelido de “pastor sonic” na internet, veja no vídeo a seguir:

O mais triste de tudo é o tipo de monopólio que este homem tem em certos presídios, onde os presos ficam fadados a escutar o evangelho apenas na sua interpretação canhestra, legalista e “mágica”.

“Não tomarás Coca-Cola, nem mesmo a Light bebereis”

“O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada e proíbem o casamento e o consumo de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ação de graças pelos que crêem e conhecem a verdade. Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada deve ser rejeitado, se for recebido com ação de graças, pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração.” 1 Timóteo 4:1

O senhor Marcos impõe aos membros da ADUD uma doutrina bem aos moldes de seitas extremistas como as Testemunhas de Jeová, incluindo: códigos de vestimentas (que relegam às mulheres uns sacos coloridos horrorosos); restrições ao uso de roupas de certas cores; limitação total da exposição da maior parte do corpo feminino e mesmo de partes prosaicas do corpo masculino; abolição total do uso de cosméticos (incluindo maquiagem, perfumes e cremes); além da proibição aos membros de possuir e assistir televisão. Os seguidores também não devem ir ao cinema, ler jornais, revistas, internet ou qualquer outro material não indicado pela ADUD, exceto aqueles ligados ao meio de vida do membro. Confira aqui no site oficial.

Seus seguidores vivem um código de conduta totalmente descabido que mistura referências bíblicas fora de contexto, com elementos do alcorão e práticas do candomblé! Os membros da ADUD não usam, ou possuem, objetos nas cores preta (*2) ou vermelha (até mesmo uma Bíblia preta é considerada uma adoração ao diabo). Os seguidores não comem carne de porco e demais alimentos proibidos no Levítico. Contudo, as referencias Bíblicas de sua dieta terminam ai. Todo o resto é fruto da mente do “grande líder”, ou segundo o mesmo afirma: revelações dadas a ele por “deus”. Um “deus” que, tal qual Hugo Chavez, parece achar que a Coca-Cola é coisa do diabo. Os prosélitos só pedem tomar refrigerante se for o Guaraná Jesus.

A linha dura da seita e os ursinhos encapetados

São doutrinas realmente bizarras. Uma das que me chamaram mais atenção foi a proibição da criação de qualquer tipo de animal de estimação! A seguir a um trecho da “pagina de doutrinas” do site da seita:

NÃO CRIAR ANIMAIS
Seja cachorro, gato, periquito, papagaio, peixes…, qualquer espécie ou tipo de bichinhos de estimação (pelúcia). Isto se dá aos animais (sic) serem seres irracionais, incapazes de se defenderem de ataques de espíritos malignos, trazendo males como enfermidades, dissensão, improsperidades e etc. Em Mc cap. 5 vimos um exemplo disto, onde os porcos não foram capazes de se defenderem dos demônios. (sic)

NÃO TER PLANTAS
Lembramos que as plantas também possuem vida. Em salmos cap. 148 vers 9, diz que os outeiros e árvores frutíferas louvam ao Senhor. Por isso não podemos tê-las presas em vasos. Pois também há possibilidade dos espíritos maus se esconderem nas tais, como nos animais.

Isto é que é EXEJEGUE! Caro leitor, eu imagino que, a esta altura, sua mente deva estar travada neste demônio que ataca os ursinhos de pelúcia. Provavelmente, um “exu mirim” tipo “cosme damião” ou Nelson Ned, risos. Eu tenho um pingüim de plástico sobre a geladeira que esta noite andou me olhando atravessado e olha que era ÁGUA que eu fui buscar! Fico arrepiado só de pensar num primo meu que guarda, ainda hoje, um daqueles bonecos do fofão que tinha fama de satanista. Não dormia na casa deles nem a pau!

A Mulher Samambaia e o “evangelho” com algema

E este negócio de planta possuída? Seria a espada de são jorge? Outro dia, contei esta trama circense para uns amigos blogueiros e já me veio um dizer que se for a “mulher-samambaia” ele se oferecia para desencapetar! Eu confesso que não sei se é o caso, ou se é trauma de alguma mulher-fruta que andou tentando o grande líder, mas já aviso que no quesito sentimental a coisa é feia por lá. Já pensou a sua esposa (noiva ou namorada) vestida com aquelas roupas “sublimes” que se vêem ai nas fotos? Pois é… Mas antes de imaginar, já fique sabendo que há regras muito rígidas também para o namoro: Deve ser santo. O problema é que o conceito “cultural” de santidade por lá é bem outro e pegar na mão está fora de cogitação! Abraço, só se for para expulsar algum exu renitente, mas expulse na maciota, no sapatinho, pois se distrair e der um beijinho… Já é pecado mortal e a regra exige o “sacramento” da confissão a um pastor da seita. Beijou, casou.

Olhando o fenômeno ADUD pelas lentes do planejador de marketing, fica muito claro que toda a diferenciação do “produto religioso” é também o foco único da comunicação: Os eventos sobrenaturais. Durante a última EXPOCRISTÃ, o Pastor Sonic tinha um stand todo decorado com fotos e muitos monitores de TV mostrando seus impressionantes espetáculos. Este é o gancho. Já o enorme agulhão doutrinário e as algemas da desinformação se encarregam de manter as ovelhas neste aprisco de horrores. Ovelhas magras. Pois lhes faltam o único alimento real: o Evangelho. Este, contudo, o pastor Marcos Pereira não lhes dará. Este alimento liberta. Não prende ninguém.

Quero crer, que o crescimento inicial da ADUD foi fruto de uma “demanda reprimida” pelo oculto nas áreas geográficas de atuação do Pastor Marcos. Ninguém duvida que houve uma reversão na aceitação social da prática da macumba e do ocultismo. No Rio de Janeiro isto é muito claro. Centros de umbanda e candomblé foram, em certas áreas, totalmente substituídos por lojas de seitas neopentecostais. Contudo, boa parte do público não possui qualquer identificação com o cristianismo e, quando aparentemente cooptados pela “igreja”, logo trataram de transformar suas “congregações” em centros de macumba mal disfarçados. Não é de se estranhar que esta turba acorra a estes espetáculos de exorcismo espetacular e que, vez por outra, até apareça um caso de possessão demoníaca real, dada a qualidade espiritual da freqüência. Mas fica a questão: Tem este senhor a santidade necessária e a autoridade para expulsar tais demônios no nome do Senhor Jesus, ou estaria ele próprio possesso de uma legião dos tais espíritos imundos?

O Marketing do Grande Líder

“Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar. Por essa razão Deus lhes envia um poder sedutor, a fim de que creiam na mentira, e sejam condenados todos os que não creram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.” 2Ts.2:10-12

Seja qual for a sua conclusão, concorde comigo: O que este senhor representa não é cristianismo e as pessoas precisam saber disto!

Não deve ser fácil apimentar com novidades todos os “shows” do senhor Marcos. A pasmaceira pasteurizada de exorcismos contados às dezenas a cada show precisa ser quebrada, por um evento especial, ou uma estratégia a capaz de segurar a audiência já acostumada ao mesmo espetáculo que, se inebria durante algum tempo, não tem o alimento do verdadeiro Evangelho! O que eu tenho visto são sete esforços deste “ministério” para contornar o desgaste da sua “fórmula” e conquistar novos seguidores:

1. Defender a supremacia da doutrina da seita sobre as Sagradas Escrituras e a manutenção da restrição a qualquer outra interpretação do texto Bíblico, que não seja a do líder, mesmo quando a mesma se apresenta totalmente discrepante do entendimento geral. É a hermenêutica do ditador.

2. A busca constante de novos públicos que não conheçam o “esquemão” dos espetáculos de exorcismo, pois este é o atrativo principal da seita. A Expocristã, os vídeos no YOU TUBE e as caravanas fora da zona de influência da seita são exemplos deste esforço.

3. A ampliação da rigidez doutrinaria (as regrinhas da seita), buscando proteger o líder ungido de questionamentos e ainda mantendo os membros absortos em sua consumidora prática religiosa.

4. O agravamento das práticas sectárias, restringindo (ou proibindo doutrinariamente) o acesso aos meios de informação externos e vedando a comunhão com outras igrejas. Trata-se do capítulo 1 do manual “crie a sua própria seita”.

5. A reafirmação da autoridade apostólica do líder, que passa a doutrinar em defesa de seu papel “messiânico” e profético.

6. A construção de um braço político que garanta a proteção do líder contra as investigações do poder público sobre as práticas da seita. O ADUD prepara a eleição do ex-pagodeiro Waguinho e não esconde a obrigação de seus seguidores de votar no candidato sob pena de excomunhão (veja no site da seita e no artigo citado acima).

7. A constante busca de novos espetáculos de libertação com ênfase na demonstração espetacular de força espiritual.

Estratégia de Vendas

Levar o incauto ao show de exorcismo e maravilhas é o objetivo de toda a estratégia de comunicação da seita. Uma vez lá, os neófitos são submetidos a um processo de vendas que procura cobrir quatro ganchos de vendas muito efetivos:

MEDO – Gera a nova necessidade de um tratamento contra uma doença espiritual diagnosticada pelos obreiros da ADUD: O neófito é convencido a se desenvolver na seita de sorte a ser completamente liberto de uma pretensa possessão demoníaca golpeada, mas não destruida no encontro. Um encosto responsável por todos os seus problemas atuais.

CHANTAGEM – Gera o desejo de garantia do produto adquirido, a libertação do inimigo invisível: O neófito é induzido a exercer sua gratidão à seita com ofertas e ainda fazer-se membro da mesma como forma de evitar uma nova possessão (caso tenha sido totalmente liberto durante o “golpe” impetrado por táticas de sugestão psicológica, hipnose e outras).

ACEITAÇÃO – A seita oferece ao neófito, em geral uma pessoa com pouca inserção social e limitados meios de crescimento pessoal , a oportunidade de tomar parte e um grupo admirado e respeitado na comunidade, onde lhe são oferecidas diversas possibilidades de crescimento profissional e integração social com o grupo.

PODER – O neófito é seduzido a adotar a seita como forma de obter poder espiritual semelhante ao visto no show.

Nobel da Paz

De acordo com o site da ADUD, o Pastor Marcos Pereira da Silva informa que o “Comitê da Paz do Brasil” (claro, risos) indicou Pereira para concorrer ao Prêmio Nobel da Paz, tendo em vista o trabalho que vem desenvolvendo junto aos moradores das comunidades carentes, presidiários, crianças e dependentes químicos. (*3)

Este demônio é paraguaio?

O video a seguir é um exemplo do esforço de número 7. Infelizmente (ou felizmente para os enganados) nem sempre as coisas correm da forma mais verossímil possível. Eu NÃO vou aqui dizer que se trata de um armação para enganar neófitos. O leitor assista e conclua:

Pr Marcos Sonic Pereira toma cadeirada do diabo on

“Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda. Pois Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os lançou no inferno, prendendo-os em abismos tenebrosos a fim de serem reservados para o juízo.” 2 Pedro 2:2-4

(*) I rest my case.
(*2) Veja que o Marco Feliciano está com camisa preta e microfone vermelho, mas o Sonic está feliz da vida abraçado com ele…
(*3) Então tá… Vocês conhecem aquela do papagaio chamado Judas..

Fonte: http://www.genizahvirtual.com/2010/06/seita-do-pastor-marcos-pereira.html#ixzz0yHohh6Y0

Seitas – Adventistas do Sétimo Dia

Publicado: 3 de agosto de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

É desnecessário tentar um estudo sério das origens do movimento adventista. Muitos artigos e alguns livros apareceram ultimamente sobre este tema. Um breve resumo servirá para situar esta Igreja no conjunto das igrejas surgidas da Reforma.



Inícios

Nasceu no século XIX, nos Estados Unidos. A época de William Miller, seu primeiro fundador, e depois a de Ellen White, com seus importantes escritos e seu impulso decisivo para o movimento foi uma época de profetismo intenso. Miller nasceu em uma família batista, mas perdeu sua fé na juventude. Ao recuperá-la, e ser admitido de novo em sua igreja, dedicou-se ao estudo das Sagradas Escrituras.

Preocupado pelo advir do Senhor, acreditou poder chegar a determinar sua data com algumas cifras que aparecem no livro de Daniel e ele considerou que faziam referência à vinda de Cristo.

Seus cálculos o levaram a fixar esta para 1843. Assim profetizou em suas pregações e em seu livro: “Provas evidentes pela Escritura e pela História da Segunda vinda de Cristo para 1843”. Pouco feliz em suas predições, nem nesse ano, nem transferida a data por seu discípulo Snow para 22 de outubro de 1844, cumpriu-se sua profecia. Frente ao fracasso, seus seguidores trataram de buscar uma explicação, uma fórmula que decifrasse seu descumprimento.

Depois de aceitar que a vinda estava muito próxima, sem fixar data, encontraram quem elaborasse não somente uma explicação mas toda uma doutrina religiosa: a conhecida hoje por Adventistas do sétimo dia. Foi isto obra de uma mulher de qualidades verdadeiramente extraordinárias: Hellen Gould White.

White foi uma mulher com uma vida muita longa e ativa. Nascida em 1827 e afiliada a princípio no Metodismo, seguiu mais tarde as doutrinas de Miller, e por seu matrimônio com um pregador adventista se converteu em uma fervorosa propagandista destas idéias. Viajou incessantemente pela América, Europa e Austrália e escreveu infatigavelmente.

Dotada de um poderoso dom de organização, as doutrinas e a expansão do Adventismo devem-se a ela. Faleceu em 1916. Nos interessa dela especialmente seu caráter hispersensível de visionária e profetiza, em que certamente influenciou o ambiente naquele momento na América do Norte.

Era uma época em que abundavam os “profetas”. Em 1844 morre J. Smith, o fundador dos Mormons, quem com suas visões e pregações conseguiu arrastar, em um portentoso êxodo, milhares de seguidores através da América do Norte, de leste a oeste, até fundar um estado teocrático nas areias do Lago Salgado.

Esta época vê surgir também a Mary Baker Eddy, a “profetiza” fundadora da Ciência Cristã. Muitas outras seitas proféticas e escatológicas pululavam em uma atmosfera de fervor entusiasta e esperavam a próxima chegada do Senhor.

Havia missões, às vezes, em lugares quase desertos, às quais acudiam pessoas desde muito longe, acampando ao redor do pregador e em um ambiente de luta de umas e outras para ver quem apresentavam mais prodígios e se levavam consigo mais convertidos, que passavam de uma confusão a outra com pasmosa facilidade e manifestações cada vez mais exaltadas.

Nesta ambiente eram freqüentes as supostas revelações. Em H. G. White não somente isto a influenciou, mas também um grave golpe sofrido em sua infância, que pôde ser origem de desequilíbrios mentais.

Escritores protestantes como Canright, que a conheceu por mais de vinte anos, afirma que suas visões eram efeito de uma doença nervosa, e G. W. Ridaut disse que era uma fanática autenganada, cujas doutrinas torna seus leitores pusilânimes e tristes, produzindo-lhes dúvidas; e ela dizia a si mesmo que temia ser infiel.

Enumera este autor até trinta e oito as vezes em que ela disse em suas obras que teve o dom da inspiração. Com efeito, desde as primeiras páginas de “O conflito dos séculos”, passando por “As jóias dos testemunhos” e “O caminho de Cristo”, entre suas obras mais longas, até o reduzido de seus artigos, é freqüentíssimo, encontrar estas frases: “Mediante a iluminação dos Espírito Santo me foram reveladas…” “O senhor me disse…” “O Senhor quer…”

Esta mulher tratou de resolver os problemas que tinham suscitado os cálculos de Miller e a identificação do Santuário, de que se fala na passagem de Daniel, que interpretou Snow, fazendo uma arbitrária exegese de um texto, de indubitável sentido metafórico, do autor da Carta aos Hebreu, em que menciona o Santuário do céu , ali o localizou a senhora White.

A idéia da entrada de Cristo em 22 de outubro de 1844 no Santuário celestial para purificá-lo é o mais fanático que pôde urdir e manifesta bem a imaginação de novelista da irmã White, que para reforçar seus argumentos indicou que tudo isso tinha conhecido através de uma visão que tinha-lhe sido outorgada.

Seus discípulos deram a ela o título de “Espírito de profecia”, com o qual é conhecida, e é citado correntemente entre os seus, e o Adventismo, com uma série de doutrinas a esta encadeadas, ficou constituído em uma nova religião.
O Antigo Pacto

Os adventistas acreditam que as proibições sobre a comida na Antiga Aliança seguem como lei de Deus hoje em dia, por isso proíbem de comer carne de porco, mariscos e sangue, observam o Sábado e promovem o dízimo.

Não são consistentes em sua obediência às leis do Antigo Testamento. Por exemplo, não praticam a Páscoa que era uma lei de igual importância à do Sábado. A Igreja Adventista do Sétimo Dia é uma das poucas igrejas e grupos sectários que praticam um tipo de lavatório dos pés. Os adventistas crêem que o Arcanjo Miguel era Jesus em forma de anjo.

Eles – ao contrário dos testemunhas de Jeová – acreditam que Jesus é Deus, que forma parte da Trindade. A revista mensal da Igreja Adventistas é chamada Enfoque dos Tempos. Como no caso de outros grupos sectários, temos que debilitar a confiança em sua religião para que os adeptos possam regressar à Bíblia com mais objetividade.

Isto se consegue mostrando-lhes algumas razões importantes para não confiar em Hellen White. Mais adiante encontraremos exemplos de algumas coisas que põem em dúvida suas pretensões de ser profetiza de Deus.

Hellen White

Segundo o ensinamento oficial dos Adventistas do Sétimo Dia publicado na revista oficial The Adventist Review, Hellen White é a chave par ao entendimento correto da Bíblia, já que ela é a intérprete infalível da Bíblia e a corte final de apelação para o povo de Deus.

Hellen White fez profecias que se cumpriram e outras que estão esperando seu cumprimento: “o Senhor lhe deu conselhos sobre a saúde, a educação, a vida familiar, a dieta, a medicina e a evangelização…” (p.226).

Seu papel principal era guiar o entendimento da Bíblia e confirmar as conclusões derivadas dos estudos bíblicos (p. 227). A Associação (Conferência) Geral, sede mundial dos adventistas em Washington. D. C., aponta que deve-se examinar e comprovar todas suas palavras para verificar se era ou não profetiza de Deus (p. 228).

Os editores, sob a direção oficial, falam dos cinco tomos mencionados: Dizem do tomo IV que é um livro inspirado (White, IV, 6). Sobre o primeiro tomo dizem que a obra reflete luz. No tomo V eles chamam a Hellen White de uma profeta. Pelo menos que saiba este autor, o adventismo não foi contra algum ensinamento de Hellen.

Doutrina

1. Atualmente já começou o juízo no Santuário celestial, revisando-se a vida de cada um. Terminado este, Cristo virá a terra, tendo começado já os sinais precursores que Ele anunciou no Evangelho a respeito de sua vinda. Com ela começará o milênio.

2. Nele Cristo ressuscitará aos justo, levando-os com Ele ao céu por mil anos. O demônio ficará atado à terra, vazia neste tempo.

3. Passado o milênio Satanás será solto, ressuscitarão os malvados; Cristo, os justos e a cidade celestial de Jerusalém descerão do céu. Acontecerá a batalha final de Satanás e os malvados contra ela. Um e outros serão aniquilados, e a terra, purificada pelo fogo, voltará a ser um paraíso, reino eterno de Deus com os seus.

4. A alma humana, que por si mesma não é imortal, fica na inconsciência no sepulcro com a morte. Na ressurreição, a imortalidade será um prêmio concedido aos justos e negado aos malvados, cujas almas são aniquiladas. Não existe, portanto, o inferno.

5. Os adventistas devem observar o Sábado como dia festivo, no lugar do Domingo. A imposição desta prática deve muito a outra suposta visão da irmã Hellen White.

6. Deverão observar e pregar a paz em todas as partes. São exaltados pacifistas.

7. Deverão seguir um regime de vida vegetariano naturista não somente na alimentação, mas também na aplicação de remédios medicinais.

8. Observarão rígidas proibições sobre o álcool, café, chá, tabaco, etc. É lamentável que uma doutrina basicamente cristã, pois tem a Cristo por Deus e Salvador, ao que parece professar um amor tão profundo e que pratica muitas virtudes, possa chegar a cair em tão profundos e perigosos erros e em tal grau de desvalorização “por afastar seus ouvidos da verdade para voltá-lo às fábulas” (2 Tm 4, 4) de imaginários milênios visões e profecias.
As práticas Adventistas

Com o adventismo nos encontramos frente a uma doutrina sistematizada, propagada com meios eficientes e economicamente abundantes, praticada dentro de uma perfeita organização, com uma disciplina severa, professada por mais de um milhão de adeptos, com uma tendência marcada ao crescimento em número. Interessa, portanto, depois de conhecidas suas doutrinas, já expostas, deter-nos no modo de praticá-las.

Por conseguinte, referimos a sua organização, culto, práticas de vida, propaganda, perigos que oferecem estas idéias para o católico vulgar e possíveis motivos de expansão das mesmas. A seita é congregacionalista, portanto, cada comunidade constitui uma igreja independente, unida às outras em um plano de cada nação pela Conferência Nacional e em ordem mundial, pela Conferência Geral.

Divide o mundo para sua atuação sobre ele em duzentos e oitenta e dois distritos. Os ministros destas igrejas são os pastores e os anciãos (presbíteros), sem que estes cargos tenham caráter sacerdotal, já que carecem do Sacramento da Ordem. São cargos conferidos por suas próprias assembléias àqueles que têm mas categoria ou antigüidade em suas igrejas (presbíteros, no sentido de anciãos) ou certa preparação e estudos religiosos (pastores).

A disciplina da seita é muito severa. Qualquer contravenção nas práticas de vida assinaladas pela mesma podem ser ocasião para expulsão dela. O valor que dão às profecias de sua fundadora e às decisões da Conferência Geral, para eles ” a mais alta autoridade de Deus sobre a Terra”, estão refreadas por uma infalibilidade absoluta, que eles submetem a uma dependência incomparavelmente maior da que possa ter um católico para com Roma.

Para o ingresso no Adventismo é absolutamente preciso responder afirmativamente a esta pergunta “aceitas o espírito de profecia tal qual se manifestou no seio da Igreja final pelo mistério e os escritos da senhora White?” (Manual da Igreja, artigo 18). O culto é celebrado aos sábados. Cantos, leituras da Bíblia, comentários sobre ela, lavatório dos pés, reconciliação pública e a Ceia.

Esta, na realidade, não é um sacramento, como tampouco é o seu Batismo. Estes são os dois únicos símbolos sacramentais que conservam. A primeira é celebrada com pão e sumo de uva sem fermentar, simbolizando eles o corpo e o sangue do Senhor, em memória de sua morte, e representando sua presença constante, embora puramente espiritual, na alma do crente.

O Batismo, só para adultos e por tripla imersão, simboliza a morte ao pecado do homem velho e a ressurreição do novo, assim como a morte, sepultura e ressurreição de Cristo. A escola sabática, em seções para crianças e adultos, e dentro destas, divididas em graus, tem programas muito bem planejados desde o ponto de vista didático.

O pagamento do dízimo é obrigatório, aparte de outras coletas celebradas por ocasião de suas reuniões e cultos. Todos os adventistas são em essência missionários de sua doutrina, porque esperando a próxima vinda do Senhor e dependendo esta de que a pregação desta mensagem tenha se estendido pelo mundo inteiro, é natural que dêem lugar preponderante de sua atividade a esta propagação.

Têm missões em trezentos e oitenta e cinco países de setecentas e quatorze línguas e dialetos, milhares de escolas e um espírito missionário intenso no seio de suas igrejas a mercê das organizações de juventudes missionárias voluntárias (J. M. V.) e o movimento “Compartilhe tua fé” (C. T. F.).

Não obstante, se observa em toda a vida religiosa da seita uma grande falta de espiritualidade, por Ter cortadas todas as fontes principais dela; os sacramentos, principalmente a Eucaristia, a falta de devoção à Maria, o conceito de alma, etc. Por isso, seus escritos sobre temas religiosos ou espirituais têm um campo muito reduzido.

Em geral, sua moral é austera e fundada no princípio ortodoxo de que o corpo humano é templo do Espírito Santo. Mas, como exaltados e fanáticos, parecem querer demonstrar que essa doutrina foi descoberta por eles, e atacam o catolicismo a crença de não dar nenhuma importância ao corpo, no plano divino da salvação , se dar somente à alma.

Com esta doutrina, “reinventada” por eles, não só sustentam que deve-se usar moderadamente dos alimentos para lutar com êxito contra a carne, o qual constitui uma verdade irrefutável e uma doutrina da mais sã espiritualidade, mas que, exagerando e desorbitando os fatos, chegam a proibir o consumo de muitos alimentos e de várias bebidas, tratando de fundar tudo isto na Escritura.

Parece que neles as virtudes se tornaram loucas, como observava Chesterton ao falar das virtudes separadas de seu verdadeiro tronco católico, e ao se sentirem isoladas e vagar com desordem causam não poucos estragos.

Pretendem fundamentar a abstenção do álcool, assim como a do tabaco, na Bíblia, porque “nada impuro entrará no céu” (Ap. 21,27). Chegam em seus exageros a pretender que na Escritura vinho e suco de uva são a mesma coisa, e que o Senhor, em sua última Ceia, certamente empregou este último e não precisamente o vinho; e em sua mania anticatólica a senhora White chega a dizer que por meio do vinho Satanás trama armadilhas não somente em todos os assuntos da vida, mas que faz chegar estas até o altar.

A proibição de comer carne parece ter também pretendido fundamento bíblico -talvez Gn 1, 29 -; mas, seja qual for o texto em que pretendiam apoiá-lo, o certo é que sempre estaria em contradição com Rm14, 14; Cl 2, 16-20; 1 Tm 4, 2-5; Lc 7, 34; Atos 10, 15, e Mc7, 18, os quais claramente se referem a toda cessação de impureza legal dos alimentos.

Mas, em realidade, o regime vegetariano, assim como o emprego dos remédios da medicina fisiátrica, são devidos a uma suposta revelação de H. G. White. Em 1864, estando gravemente doente seu marido, teve essa inspiração divina, e com ela não só impôs o regime à seita em sua alimentação, mas fundou a obra médica sobre princípios semelhantes.

Com efeito, em 1884 fundou o “Instituto do Oeste para a reforma da saúde”, destinado a formar os quadros dos médicos evangélicos missionários, e foi o começo da obra médica adventista, que existe atualmente em 150 hospitais e clínicas e milhares de médicos, enfermeiros e empregados sanitários.
Ainda que estas instituições estejam proscritas a maioria dos remédios clássicos em medicina, não deixam de ser uma importante realização adventista em sobretudo, um maravilhoso meio de propaganda de suas idéias.
Propaganda

Fanáticos missionários, sua propaganda é insistente, de porta em porta, oferecendo publicações sobre temas que atraiam a curiosidade do leitor. Muito intensa também tanto por meio da imprensa como da rádio. Os vendedores da literatura adventista são astutos propagandistas e tanto lhes admirava a fundadora, que lhes chamava “missionários que consagram a Deus para dar a última mensagem de admoestação ao mundo”.

A propaganda impressa é enorme e hábil. Têm imprensas e editoriais em todos os países do mundo, tirando milhões de exemplares de suas publicações em todas as línguas. Em países onde não gozam de liberdade de propaganda funcionam seus editoriais encobertamente, publicando obras e revistas em que, sem defender claramente as doutrinas principais da seita, tratam de obras de praticam tais como o vegetarianismo, antialcoolismo, pacifismo, etc., desde um ponto de vista que pretende ser científico ou moral.

A propaganda de rádio adquiriu ultimamente grandes picos. Na América do Norte são muitas centenas de emissoras que transmitem várias palestras semanais para um sem número de ouvintes, e cursos por correspondência por meio da emissão “a Voz da Profecia”. Algo parecida na América do Sul com “A Voz da Esperança” em nosso idioma, e na Europa por meio da Rádio Luxemburgo, Montecarlo, etc.
Conclusão

Com a Igreja Adventista do Sétimo Dia, não estamos frente a uma seita fervente em seu “despertar”, mas ante uma igreja estabelecida, bem organizada, solidamente assentada sobre abundantes financiamentos e prudentemente administradas. O espírito de profecia parece ter cedido paulatinamente a passagem a um severo ensinamento dogmático, ensinamento duplicado pelas práticas estrias. Seu progresso, principalmente nos países de missão, e um pouco em todas as partes, é bastante notável.

À margem de uma autêntica grandeza cristã, a igreja adventista insiste repetidamente em impor doutrinas sumamente opináveis em que se baseiam desgraçadamente sua originalidade. É possível que o grande defeito adventista seja o ter querido renovar o cristianismo com elementos retirados do Antigo Testamento.

Tão oposta às confissões reformadas como ao catolicismo, a Igreja adventista rejeita participar do movimento ecumênico, não parece crer em um milagre do Espírito Santo para reunir todos os cristãos desunidos e só vê nestas tentativas de um pragmatismo rude, não outra finalidade que constituir uma frente comum contra o comunismo.

Mais seriamente “bíblica” que a maioria das demais seitas importantes, sua interpretação das profecias está viciada, infelizmente por uma fantasia que acabará aparecendo patente aos olhos de seus membros mais importantes, quando sua ciência bíblica receba mais luzes. Ao menos nos convida a um aprofundamento na Escritura por parte do povo cristão, não para descobrir argumentos com vistas a uma refutação inútil, mas para um maior conhecimento da autêntica Palavra de Deus.

Fonte: ACIDIGITAL

Seitas – Testemunhas de Jeová

Publicado: 3 de agosto de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

Os Estados Unidos têm sido, especialmente a partir do século XIX, uma espécie de ‘celeiro’ religioso para o mundo, desde onde irradiaram diversos credos religiosos, tais como o pentecostalismo, o mormonismo (“Igreja dos Santos dos Últimos Dias”), o adventismo e dos Estudantes da Bíblia, que mais tarde chegaram a ser conhecidos como Testemunhas de Jeová, mais uma de suas muitas ramificações.


O fundador

Charles Russel foi educado como presbiteriano e passou a maior parte de sua infância entre as cidades de Allegheny e Pittsburgh, no estado onde nasceu. Seu pai, um comerciante esperto, treinou ao filho para ser seu sócio nos negócios, função esta que Charles passou a desempenhar já aos 11 anos, em uma loja de roupa masculina.

À idade de 18 anos formou seu próprio grupo independente de estudos, o qual acabou como um movimento a parte, elegendo a ele, seis anos mais tarde, como seu “pastor”, contando para isso com o apoio de dois adventistas: Geoge Stetson e George Storrs, que foi o que mais influenciou nas idéias de Russell.

Em 1876, Russell faria um importante e decisivo contato, do que obteria alguns conceitos chaves que, somados aos anteriores, formariam o arquétipo de sua teoria doutrinal e a bandeira de sua cruzada missionária. Tratava-se de Nelson Barbour, que, ao mesmo modo em que George Storrs, também foi um seguidor de William Miller, e que, agora, liderava um grupo independente em Rochester, N. York. Sua publicação, “Herald of the Morning” (Arauto da Manhã), chegou às mãos de Russel uma manhã de janeiro daquele ano. Os conceitos que ali expressavam referiam-se a que a vinda de Cristo seria invisível, Cristo já estava presente, sua presença tinha acontecido em 1874.

Paradoxalmente, talvez esta mudança de atitude tinha sido a mais forte e, ao mesmo tempo a de maior franqueza de seu ministério. Perambulando por caminhos diferentes às Escrituras e aproveitando-se dos cálculos escatológicos já publicados entre outros, os de John Asquila Brown, em 1823 e os de Nelson Barbour, em 1875 -Russell adotou o mesmíssimo princípio “dia-ano” dos rabinos do primeiro século, aplicando-o arbitrariamente a certos textos bíblicos, até chegar a sua tríade de datas: 1799, 1874 e1914.

Em 1877 fundiram-se os dois grupos, o de Pittsburgh – liderado por Russell – e o de Rochester -liderado por Barbour – . Os dois, com a cooperação de outro associado de Barabour – John Paton – iniciaram um trabalho de divulgação corpo a corpo, que se materializou na obra de Three Worlds (Três Mundos), da colheita de Barbour, mas com o apoio intelectual e financeiro de Russell.

Além disso, começou a aparecer como co-editor da publicação Herald of the Morning (Arauto da Manhã), ao lado de Barbour e de Paton. Todavia, esta seria uma união que duraria pouco. Um dos pontos que o livro de Barbour destacava era que no ano 1878 seria marcado pelo arrebatamentos dos ‘santos’ ao céu. Quando tais esperanças não se materializaram, ocorreu o primeiro cisma no ministério de Russell, com muitos abandonando o movimento.

A medida em que Russell permanecia apegado à teoria da “inviabilidade” – adotada depois do fracasso de 1874 – esta nova decepção exerceria sobre Barbour um efeito análogo ao que William Miller experimentou 34 anos antes. Não era de se surpreender que fosse assim, já que se tratava da quinta desilusão religiosa em sua vida – 3 delas em sua época de millerista e 2 consigo mesmo – coisa pela qual Russell, mais jovem e menos experimentado, não tinha passado. De modo que foi impelido a outras direções. Isto não tardou em produzir discordâncias doutrinais francas e abertas entre eles, o que culminaria com a ruptura dos compromissos.

Em 1879 -em meio a um intercâmbio de acusações – Russell se retirou oficialmente da sociedade, acompanhado de Paton, com o qual também romperia, tempo depois. Agora o então ‘pastor’ Russell estava financeira e mentalmente preparado para lançar as bases de seu próprio movimento, por meio da criação de uma revista – Zion´s Watch Tower and Herald of Christ´s Presence (A Torre do Vigia de Sion e Arauto da Presença de Cristo), começando em julho de 1879.

Esta publicação chegaria a se chamar simplesmente Watch Tower (A Atalaya), a literatura mais popular dos Testemunhas de Jeová. Cinco anos depois, Russell registraria oficialmente a Zion’s Watch Tower Tract Society (Sociedade Torre do Vigia de Tratados de Sion), na Pensilvânia.

Esta corresponde atualmente com a Watchtower Bible and Tract Society (Torre de Vigia de Bíblias e Tratados), de Brooklyn, New York.

Durante o resto de seu ministério, até o ano de sua morte -1916 – Russell se apegou tenazmente ao significado das datas 1799, 1874 e 1914, as duas últimas aprendidas de seu ex-companheiro, Barbour.

À morte de Russell, seus adeptos eram aproximadamente uns 25.000 e se gloriavam de ter repartido 300 milhões de panfletos e folhetos. Seu endereço social está em Nova York.

O juiz de Rutherford

Com seu sucessor, o “juiz” de Rutherford, a seita entra em sua fase de grande difusão. Fala e escreve em abundância. Praticamente dele provém toda a literatura dos testemunhas de Jeová, pois retirou de circulação todas as obras de seu predecessor. A maioria das obras atualmente propagadas pelas seita são suas.

Rutherford se considera como o único interprete inspirado da Bíblia e não duvida em substituir as inspirações de Russell pelas suas. Foi também um orador e uma viajante incansável que deu auge ao movimento especialmente na Suíça e Alemanha.

Rutherford faleceu em 1942 sendo sucedido por seu “chefe de publicidade” e principal assistente, Nathan knorr, que ainda é o chefe da seita.

Knorr criou “cursos de formação ministerial teocrática e uma escola bíblica da Atalaya (Sentinela).

Sua doutrina

É um adventismo mas especialmente desvalorizado onde o melhor do adventismo desapareceu e o pior está hipertrofiado. Monoteístas ao estilo judeu e muçulmano, os Testemunhas de Jeová rejeitavam a “Trindade” e – seguindo isto mais de Víctor Hugo do que a Bíblia – chamam a Deus de Jeová.

O verbo não é Deus, Cristo é unicamente uma criatura. Assim, o essencial do cristianismo se evapora. A “alma” não é imortal. Com a morte, tudo acaba. Não há, pois, nem purgatório, nem inferno. A maior parte da humanidade, desde Adão até nossos dias, está às ordens de “Satã”, que joga um grande papel na teologia dos Testemunhas: em torno a eles tudo é satânico.

Na história da humanidade existem três períodos:

Desde a criação até o dilúvio: fracasso do plano de Deus: satã predomina sobre o homem.

Do dilúvio à morte de Cristo: poder limitado ainda que predominante de Satã.

Da morte de Cristo a 1914: somente 144.000 homens podem ser salvos plenamente, com céu como destino porque Satã continua exercendo ainda seu poder no mundo. Assim escreveu Russell antes de 1914.

Posteriormente apresentou os dois períodos do futuro:

De 1914 a 2914, reino de mil anos de Cristo sobre a terra; durante este tempo os mortos ressuscitarão uns após os outros; um pequeno número de irredutíveis serão aniquilados; os 144.000 verdadeiros testemunhas de Jeová tomarão posse de seu lugar no céu.

2914 ao final do reino de mil anos; tudo será cumprido; a nova terra e os numeroso céus estarão estabelecidos para toda a eternidade.

Aconteceu algo em 1914? Sim, Jeová converteu-se em Rei. Foi este o sinal da primeira guerra mundial? Exatamente: Satã furioso, quis destruir a terra, e enviou também a peste chamada “gripe espanhola” e numerosos tremores de terra. Estes acontecimentos foram eco da terrível batalha que travou no céu em 1914 como conseqüência da qual “o diabo e seus anjos foram expulsos da terra”. Assim vaticinou Rutherford, uma vez morto Russell, para adaptar suas teorias aos acontecimentos.

Assim mesmo, os testemunhas apontam a Satã como o criador de todas as religiões, e consideram a religião católica como uma “grande mascarada religiosa que representou, em um falso e desonesto dia, ao verdadeiro Deus e a seu Cristo”.

Também os estados, como tudo neste mundo, é satânico. O dever de todo testemunha é manter-se a margem. A lei divina o obriga a guardar-se das manchas do mundo. Portanto, não deve participar na eleições locais, nacionais ou internacionais, e com maior razão, deve rejeitar todo serviço militar ou civil e saudar a bandeira. De onde, praticamente, o dever de “objeção de consciência” tem sido a causa de tantas perseguições das que se orgulham os testemunhas de todos os países.

Suas crenças

Atualmente há 4.5 milhões de Testemunhas em mais de 100 países. A parte mais nociva de sua doutrina é a referida à rejeição às transfusões de sangue, que de vem em quando causa a morte de alguma criança e os meios de comunicação fazem eco. Pensam que ‘beber sangue’ é algo blasfemo.

Sua principal crença é que o Armagedon, o Fim do Mundo está muito próximo. Foi anunciado para 1914, 1925 e 1975. Depois a data manteve-se em segredo, supondo-se para 1992, ainda que atualmente eles admitam que somente o Senhor conhece o dia e a hora mas que restam poucos dias e há muitos sinais que o atestam.

Somente eles sobreviverão, o resto será aniquilado para sempre (não acreditam na imortalidade da alma), e eles viverão eternamente em uma Terra convertida em Paraíso.

A “Sociedade” fundou-se em 1879 por um empresário da Pensilvânia chamado Charles Taze Russell. Deixou o cristianismo para interessar-se por religiões orientais e a piramidologia, e depois uniu-se aos Adventistas do Sétimo Dia, outra seita apocalíptica que ainda subsiste. Após a morte de Russell em 1916. O movimento passou a ser dirigido pelo juiz Rutherford que constituiu uma mansão em São Diego para quando ressuscitassem Noé, Isaac, Davi, Gideão e Josué.

Dispõem de uma ampla lista de proibições que são mudadas em quanto assim se publica em suas revistas, de compra quase obrigatória para logo tentar vender porta a porta. Movem muito dinheiro, com todos os benefícios fiscais.

Enquanto as bíblias de todas as confissões cristã (católicos, ortodoxos e protestantes) estão inspiradas na Vulgata latina e coincidem entre si, os Testemunhas contam com uma versão em que se introduziram pequenas mudanças para que não contradigam o que ditam os seus líderes.

Como pensam que Cristo não é Deus, mas uma espécie de anjo, todas as alusões vêm trocadas (Jo. 1:1, Col. 1:14-16, 2:9-10, Fl.2:5,Tt.2:13, Hb.1:8, 2Pe.1:1), mudam a adoração a Cristo por “render-lhe homenagem” (Mt.28:17, Lc.24:52, Hb.1:6), mudam as referências à imortalidade da alma (Lc.23:43), e do inferno (Mt.25:46) para passar por alto ambos conceitos.

Já que os testemunhas compram suas bíblias no Salão do Reino, nunca advertirão que sua doutrina está baseada antes em umas revistas que em tão antigo (e fustigado) livro. Ao menos que se lhes ocorra consulta outras bíblias, ou aprender grego, hebreu e latim.

Estrutura

A teocracia dos Testemunhas de Jeová está estruturada em 11 escalões ou graus, que são: Jeová Deus. Jesus Cristo, Classe do escravo fiel e discreto. Corpo Governante (composto por 11 membros ungidos), Servo de Zona, Servo de Sucursal, Servo de Distrito, Servo de Circuito, Superintendente ou Ancião da Congregação, Servo Ministerial, e Publicador (vendedor).

Os dois primeiros escalões não se fazem ouvir muito freqüentemente, e estão mais que nada para que eles possam negar que são uma seita, pois Segunda sua literatura uma seita é um grupo de gente que segue a um líder humano.

O terceiro escalão (que nem é escravo nem fiel, ainda que sim discreto) é o ditador dentro de um estado totalitário e policial até a medula, em que uns expiam aos outros. Todos os cargos são eleitos e nomeados desde a central norte americana, e é o “espírito santo” que os nomeia ( deve ficar mais próximo trabalhar exclusivamente na central dos EUA e não substituir-se por cada congregação para as nomeações).

Em cada país monta-se a estrutura lega de modo que os nativos dão a cara oficialmente e os norte americanos dirigem o negócio e levam os benefícios. Praticamente todos os Servos de Sucursal (dirigente do país) são americanos.

O presidente e seu Corpo Governante vigiam todos os Servos da Zona, os quais visitam e controlam aos Servos de Sucursal, que por sua vez vigiam continuamente os Servos de Distrito, que duas vezes ao ano repassam contas com os Servos de Circuito, que a cada quatro meses fazem o mesmo com os superintendentes.

Estes vigiam de perto a todos os Servo Ministeriais, e estes não tiram o olho um dia do que fazem os Publicadores, que por sua vez vigiam-se entre si e consideram um privilégio denunciar que um colega (seja familiar, amigo, cônjuge, filho…) transgrediu alguma das infinitas normas da seita.

Os dirigentes conhecem em cada momento o rendimento econômico de cada membro, já que entregam informes que inclusive contam com dados e seguimento de possíveis novos membros, e também sua vida particular por meio de entrevistas pessoais e denúncias. Nenhuma congregação tem contato com as demais, se não através de representantes, de modo que estão isolados e não sabem mais que o que contam, manipulam, e ordenam seus amos e senhores.

Proibições

Podem mudar com o tempo, mas estas são algumas das proibições da seita:
Não se deve cantar nada que enaltece a pátria, a bandeira ou qualquer outra coisa (é proibido manifestar a alegria cantando), nem mencionar a Deus.

Não se deve ler livros de ficção, nem livros mundanos, nem imprensa mundana, nem ouvir radio ou ver televisão, ao menos é aconselhável não fazê-lo.

Quando se faz um presente, nunca deve figurar o nome ou identificação de quem o faz, nem no Natal nem no aniversário deve se ter presentes.

As mulheres não devem usar calças. Os homens nem bigode, nem barba, nem cabelo comprido.

Não se deve casar com quem não seja Testemunha de Jeová (o que provocou um suicídio em Valência), nem se pode romper um compromisso matrimonial.

  • Não se deve celebrar o Natal nem o aniversário de Bodas.
  • Fazer amizades íntimas é perigo de sectarismo.
  • Não se pode acompanhar o casamento de um familiar que não seja Testemunha.
  • Não se pode brindar levantando copos.
  • Não se pode ser esportistas porque cria nacionalismo.
  • Não se pode caçar ou pescar por esporte.
  • Não se pode participar de loterias ou jogos por dinheiro.
  • Não participar nem apoiar as Olimpíadas porque são adoração pagã.
  • Não se podem organizar festas sociais com amigos e menos ainda com os não testemunhas de Jeová.
  • Não se pode batizar nem ser testemunha quem fuma tabaco.
  • Não se devem celebrar aniversários.
  • Não se deve dar esmola aos mendigos.
  • Não se pode trabalhar para nenhuma outra religião.
  • Não se deve jogar xadrez.
  • Não se deve vestir luto.
  • Não se deve colaborar em campanhas caritativas.
  • Não se deve deixar fazer transfusões de sangue nem soro, antes deixar-se morrer.
  • Não se devem comer nem morcelas nem nada no que intervenha o sangue.
  • Não se deve ir a hospitais religiosos para se curar.
  • É obrigatório ensinar a Bíblia aos filhos mesmo quando para isso seja preciso fazê-lo com o látego na mão.
  • É obrigatória a assistência as reuniões dos Testemunhas, sob pena de ser castigado.
  • Há que batizar-se como testemunha, de outra forma não há a possibilidade de salvação.
  • Há que pregar sempre, ainda que esteja cansado ou sem vontade.
  • Há que assistir a todas as assembléias.
  • Não se pode levar nada em ouro.
  • Não se pode servir em nenhum exército.

Um negócio lucrativo

A Watch Tower Bible and Tract Society of New York, Inc. é a melhor empresa editorial do mundo e conta com as maiores imprensas do planeta. De um só livro, “A verdade que leva à vida eterna”, vendeu-se entre 1968 e 1974, 74 milhões de exemplares.

Anteriormente, com o mesmo conteúdo mas mudando os títulos e a ordem dos capítulos, foram vendidos 29. 246. 710 exemplares. Em 1980 venderam livros em todos o mundo por um total de 22.837. 471 exemplares, e de revistas 218.827.546 exemplares (“Atalaya”, em 106 idiomas, e “Despertai!” em 34), e 16.465. 248 folhetos.

Os livros são vendidos a um preço 10 vezes maior ao da edição. Em suas sete mansões do Brooklyn trabalham em troca de comida, hospedagem e uma propina mensal, dois mil adeptos fabricando a literatura de base. A comida chega de suas próprias granjas, onde trabalham quatrocentos voluntários, também em troca de sua manutenção.

A isto acrescenta-se o saldo em direitos do autor, já que todos os cedem à seita, o não pagar impostos por ser uma sociedade “religiosa” e o ter milhões de vendedores (tantos como adeptos) que trabalham de forma gratuita. E ainda nos resta o melhor: cada adepto não só é obrigado a ser vendedor mas também comprador. E não só um exemplar por família, mas um para cada pessoa, para que assim não tenham que fazer fila para ler. Além disso, os adeptos compram, e pagam adiantado, todos os livros e revistas que logo devem vender (ou presentear) porta a porta.

Em cada reunião semanal fala-se da venda de livros e revistas, de como “colocar” literatura. Posto que o fim do mundo está próximo, há que se proclamar a palavra de Jeová o mais rápido possível, ou serão responsáveis pela morte dos infiéis.

É muito fácil escrever um desses livros. Primeiro pode aparecer em revistas, que se compram todas, logo se fundem os capítulos em um livro que também é vendido, e quando se saturou o mercado, mudam-se as ordens dos capítulos, acrescentam-se, muda-se o título e a capa, e um novo êxito editorial. O mesmo texto foi vendido com cinco títulos diferentes em mais de uma ocasião. Desde o início e com as mesmas idéias doutrinais básicas, entre 1874 e em 1974 foram vendidos 704. 163.616 livros e folhetos, nos dez anos seguintes outros 355 milhões. Entre 1918 e 1974 foram vendidos 3.970.261. 080 revistas e 3.185.000.000 nos dez anos seguintes. Aparte temos que considerar uns dois milhões de assinaturas anuais a suas revistas.

Mas nunca acabam-se de fazer números com esta “organização não lucrativa”, pois os modos de tapear aos adeptos (como os caminhos do Senhor) são infinitos. Também os fazem pagar os formulários e folhas de registro obrigatórias para o controle interno, as tarjetas de território e os envelopes, as folhas de convite ao Memorial (cerimônia) e a conferências, os cartões postais que logo são repartidos de forma gratuita… têm suas contribuições mensais, outras para necessidades concretas com caixinhas habilitadas a tal efeito em cada Salão do Reino. E tendo em conta que a maioria de adeptos são de baixo estado social, muitos acabam vivendo quase na miséria. Mas em fim, sem luxos nem estudos universitários seguramente viverão com mais entrega.

Também devem-se sufragar as viagens dos líderes quando vão aos EUA. Se um adepto vai pregar fora de sua localidade corre com todos os gastos e estes não são descontados dos benefícios por vendas. As assembléias são outro negócio. São reunidos milhares de testemunhas em estádios ou similares (uns 70.000 recentemente) durante vários dias, ali lhes são vendidos de tudo (comida, refrescos, literatura…) mais caro e de pior qualidade. Ali deixam tudo o que trouxeram, depois de ter pago até as credenciais para assistir.

Outro hábil sistema de saque é o que a central da seita oferece créditos a seus fiéis com interesse abaixo do mercado, para adquirir bens imóveis. A verdade é que muita gente se pergunta ( entre esta gente não estão os responsáveis para assuntos religiosos, claro) que faz um grupo assim registrado como religião e gozando de todos os benefícios fiscais.

Fonte: ACIDIGITAL

Seitas – Igreja Universal do Reino de Deus

Publicado: 12 de julho de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

A igreja Universal do Reino de Deus foi fundada por Edir Macedo no Brasil no ano de 1977. Antes de se auto proclamar “Bispo”, Macedo trabalhou como caixeiro da loteria no estado do Rio de Janeiro.

Aos 20 anos abandonou o catolicismo e se converteu ao pentecostalismo, ingressando à denominada Igreja Nova Vida. Permaneceu ali durante 10 anos antes de abandoná-la -segundo disse- por ser “elitista”. Em 1977, junto com um grupo de amigos abriu um pequeno local em um bairro pobre do Rio de Janeiro. Declarou se “bispo” e fundou a Igreja Universal do Reino de Deus. Nos primeiros anos apenas sobrevivia economicamente até que uma crente vendeu um terreno e lhe doou o dinheiro. Nesse momento comprou 10 minutos por dia na Rádio Metropolitana. Começou o êxito.

Em 1980 tinha várias horas de rádio e uma hora de televisão no canal Rio Tupi. Abriu um local na cidade de São Paulo e em 1982 comprou a primeira emissora de rádio -Rio Copacabana -. Seu carisma, falte de limites e o uso de técnicas de manipulação produziram uma explosão em sua igreja e um crescimento incomparável.


No que Acreditam

A Igreja Universal é similar a outros evangélicos pentecostais. Por exemplo, crêem na deidade de Jesus Cristo, a Trindade, a ressurreição corporal de Jesus Cristo e a salvação pela graça através da fé.

Entretanto, Macedo incorporou novos elementos a sua doutrina que pouco têm a ver com o bíblico. Para curar-se vendem “pedras da tumba de Jesus”, ” a água benta do rio Jordão”, “a rosa milagrosa”, “sal abençoado pelo Espírito Santo”. Além disso, convidam aos fiéis a participar das reuniões e “comer o pão abençoado para curar doenças”.

Atualmente existem mais de 2.000 templos em todo Brasil, com aproximadamente 6 milhões de membros.

A doutrina central do “bispo” Macedo é a luta contra os demônios e a teologia da prosperidade. A Igreja Universal pratica a libertação de demônios nos fiéis. Em todos seus templos se reza pela libertação de espíritos, tais como a feitiçaria, adultério, fornicação, zelos, pleitos, invejas, embriagues, etc.

Em um de seus livros o bispo Macedo diz que “Há algumas doenças que caracterizam possessão (pelo diabo): a neurose, dores de cabeça constantes, insônia, temor, desmaios ou ataques; desejos suicidas, as doenças que os médicos não podem descobrir, vícios e depressão”. Além disso culpa ao demônio pela homossexualidade e a AIDS.

Desde o princípio Edir Macedo copiou dos pregadores norte-americanos a chamada teologia da prosperidade, quer dizer, que os fiéis devem entregar seus dízimos para não serem conduzidos às garras de Satanás.

Na Igreja Universal as reuniões duram aproximadamente duas horas com a metade do tempo dedicada à Bíblia e a outra metade a arrecadar dinheiro. Os seguidores de Macedo têm que aderir-se às seguintes normas:

– Se quiser sair da miséria, se quiser conseguir um emprego, se quiser curar-se de alguma doença deve entregar o dízimo.

– Deus disse: trazei os dízimos. Quando você dá o seu dízimo, Deus abre as janelas do céu e derrama bênçãos.

– O dízimo não é somente o dinheiro do salário, também da aposentadoria e da pensão.

– Se não entrega seu dízimo o dinheiro vai desaparecendo porque o demônio devorador entrou.

– Tirem todas as moedas que vocês têm. Eu não quero tirar dez centavos. Isso não existe. Quero todas as moedas porque elas representam a miséria.

– Se for dizimista, conseguirá trabalho. O dízimo não é uma doação é uma devolução. Honra a Deus com teus bens.
Arrecadações milionárias

O tema da arrecadação de dinheiro converteu-se no melhor negócio de Macedo. Diferente de outros cultos pentecostais que promete a seus fiéis a felicidade no ‘além’, Macedo assegura que Deus dará as gratificações de seus fiéis aqui na t
Terra. Daí que quanto mais dinheiro se entrega, terá mais possibilidades de ser rico nesta vida.

Diversas organizações, incluindo as Associações Evangélicas do Brasil, denunciaram Macedo por utilizar a manipulação como método para obter dinheiro.

Nos suplementos econômicos dos noticiários brasileiros pode-se ler este tipo de notícias: “A Igreja Universal fatura mais que a Autolatina: Em um ano a Igreja teve um ganho de 735 milhões de dólares, enquanto a Autolatina somente 337 milhões, sendo esta a melhor empresa privada do país”.

Em menos de 20 anos, Edir Macedo converteu um pequeno local alugado de um bairro humilde do Rio de Janeiro na maior multinacional brasileira.

Hoje a Igreja Universal conta com 6 milhões de fiéis e 1 milhão de ingressos anuais que produz, livre de impostos, tem 3.000 templos distribuídos maioritariamente no Brasil e em 46 países de todo o mundo.

A Igreja Universal conta em todos os seus templos, mais de 2.000 só no Brasil, com cinco cultos por dia onde os fiéis são incentivados a doar seu dízimo. Macedo organizou sua empresa de forma piramidal, ele é o dono, o segue um grupo seleto de bispos, que discutem duas vezes por ano as políticas a seguir, e mais de 7.000 pastores que cobram um salário de 700 dólares, recebem uma casa e um carro quando pastoreiam em mais de um templo. O que se diz um negócio redondo.

Alguns personagens vinculados a Macedo dizem que seu sonho é converter o Brasil em um estado religioso e governar com mão dura e messiânica.

O poder dos meios de comunicação e a política

Além de concentrar seu capital na expansão de seus templos, outra das obsessões e Macedo é, ser o dono da mais importante rede de meios de comunicação. Efetivamente o proprietário de dois jornais com mais de um milhão de exemplares, de 30 emissoras de rádio e da segunda rede de televisão mais importante do Brasil.

Em 1989 comprou a tradicional cadeia de televisão TV Recórd com 25 repetidoras em todo o país. Em um princípio a cadeia televisiva converteu-se em um púlpito de 24 horas, em pouco tempo contratou um serviço de notícias independente, adquiriu os melhores filmes dos Estados Unidos e obteve direitos para televisionar as partidas do clube São Paulo, uma das equipes de futebol mais populares. Atualmente a emissora se converteu em uma rival da famosa rede Globo. Além disso no exterior comprou e contratou emissoras em Portugal, Moçambique e Argentina.

Outra das áreas de interesse e de poder de Macedo encontra-se na política partidária.

Sua participação começou em 1986 quando patrocinou a vários candidatos a deputados que lhe prometeram benefícios para a Igreja. Atualmente a igreja universal apresenta seus próprios candidatos e nas últimas eleições conseguiu eleger 34 deputados.

Para o sociólogo brasileiro Alexandre Fonseca existem vários motivos para que os fiéis não hesitem em votar nos candidatos da igreja universal, mas principalmente sobressai a idéia de que são perseguidos.

Malversação de fundos

Em meados de 1990 a Justiça brasileira começou a investigar o bispo Macedo e os negócios da Igreja Universal. Em 1992 terminou preso durante doze dias acusado de fraude e malversação já que sua conta bancária tinha acumulado mais de 100 milhões de dólares. No fim seus advogados conseguiram a absolvição no processo judicial.

Em 1995, Carlos Magno de Miranda, um bispo dissidente da Igreja Universal, relatou que narcotraficantes colombianos tinham entregado em 1989 vários milhões de dólares para a compra da TV Recórd, a cadeia televisiva; que Macedo utilizava a Igreja para a lavagem de dinheiro do Cartel de Cali e utilizava uma dupla contabilidade para evadir a fiscalização.

A justiça começou a investigar Macedo por fraude fiscal, extorsão de seus fiéis para obter contribuições e laços com o narcotráfico. O juiz Guilherme Calmon derrubou 12 locais da seita e ordenou quebrar o sigilo bancário das empresas e dos líderes da Igreja universal.

Nestas circunstâncias a rede televisiva Globo aproveitou e mostrou, uma e outra vez, imagens do bispo Macedo ensinando a seus pastores a pedir dinheiro.

A rede Globo obteve um vídeo onde se observava em um cenário de um templo, um pastor da igreja universal do reino de Deus chutando e quebrando em pedaços a figura da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

Frente à gravíssima situação que irritou a milhões de católicos brasileiros, a Confederação Nacional dos Bispos (CNBB) pediu aos fiéis não responder aos ataques e somente realizar atos de desagravo à padroeira do Brasil.

Invasão na América Latina

A seita de Macedo está presente em mais de 40 países (por toda a América Latina, em algumas cidades dos Estados Unidos, Europa, África e Ásia).

Possuem, só no Brasil, em Banco, dois jornais, uma revista, 30 emissoras de rádio e a rede televisiva TV Recórd com 25 repetidoras em todo o território. Desde vários anos a Justiça e o governo do Brasil investigam aos líderes por presumidas vinculações com o Cartel de Cali e a lavagem de dinheiro.

Em 1990 instalaram o primeiro templo na Argentina. Hoje expandiram-se por todo o território argentino.

A seita chegou á Argentina em 1990. Em princípio se instalaram mais ativamente no interior do país, especialmente nas províncias do Norte e a capital de Córdoba. Quando se consolidaram começaram uma atividade agressiva na Capital e grande Buenos Aires com a abertura de uma grande quantidade de templos.

A partir do crescimento massivo no país compraram as 24 horas de programação de uma rádio Argentina, uma AM com alcance em todo o território nacional. A rádio tem um formato similar às emissoras brasileiras onde se promovem atividades da Igreja Universal.

Fonte: ACIDIGITAL

Já tinha planejado um dia postar algo sobre adivinhações, magia, tarô e etc., porém nunca tinha colocado em prática tal planejamento, até que recentemente vi aqui no painel de controle do Blog uma entrada de Pesquisa que dizia bem assim:


É pecado um católico consultar o futuro através do tarô?


O que nos mostra ainda uma ignorância por parte de muitos católicos sobre esses tipos de práticas e a necessidade de esclarecimentos.

Não tive o trabalho de elaborar nenhum estudo, pois o catecismo de nossa Igreja já nos disponibiliza as exortações e ensinamentos a respeito dessas coisas. Vou aqui postar na integra o que a Bíblia e o catecismo nos ensina.

Bíblia:

Deuteronômio 18, 9-13 Quando tiveres entrado na terra que o Senhor, teu Deus, te dá, não te porás a imitar as práticas abomináveis da gente daquele terra. Não se ache no meio de ti quem faça passar pelo fogo seu filho ou sua filha, nem quem se dê à adivinhação, à astrologia, aos agouros, ao feiticismo, à magia, ao espiritismo, à adivinhação ou â invocação dos mortos, porque o Senhor, teu Deus, abomina aqueles que se dão a essas práticas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, teu Deus, expulsa diante de ti essas nações. Serás inteiramente do Senhor, teu Deus.

Catecismo da Igreja Católica:

III. “NÃO TERÁS OUTROS DEUSES DIANTE DE MIM”

2110 O primeiro mandamento proíbe prestar honra a outros afora o único Senhor que se revelou a seu povo. Proscreve a superstição e a irreligião. A superstição representa de certo modo um excesso perverso de religião; a irreligião é um vício oposto por deficiência à virtude da religião.

A SUPERSTIÇÃO

2111 A superstição é o desvio do sentimento religioso e das práticas que ele impõe. Pode afetar também o culto que prestamos ao verdadeiro Deus, por exemplo, quando atribuímos uma importância de alguma maneira mágica a certas práticas, em si mesmas legítimas ou necessárias. Atribuir eficácia exclusivamente à materialidade das orações ou dos sinais sacramentais, sem levar em conta as disposições interiores que elas exigem, é cair na superstição.

A IDOLATRIA

2112 O primeiro mandamento condena o politeísmo. Exige que o homem não acredite em outros deuses afora Deus, que não venere outras divindades afora a única. A escritura lembra constantemente esta rejeição de “ídolos, ouro e prata, obras das mãos dos homens”, os quais “têm boca e não falam, têm olhos e não vêem…” Esses ídolos vãos tornam as pessoas vãs:

“Como eles serão os que o fabricaram e quem quer que ponha neles a sua fé” (Sl 115,4-5.8). Deus, pelo contrário, é o “Deus vivo” (Jo 3,10) que faz viver e intervém na história.

2113 A idolatria não diz respeito somente aos falsos cultos do paganismo. Ela é uma tentação constante da fé. Consiste em divinizar o que não é Deus. Existe idolatria quando o homem presta honra e veneração a uma criatura em lugar de Deus, quer se trate de deuses ou de demônios (por exemplo, o satanismo), do poder, do prazer, da raça, dos antepassados, do Estado, do dinheiro etc. “Não podeis servir a Deus e ao dinheiro”, diz Jesus (Mt 6,24). Numerosos mártires morreram por não adorar “a Besta”, recusando-se até a simular seu culto. A idolatria nega o senhorio exclusivo de Deus; é, portanto, incompatível com a comunhão divina.

2114 A vida humana unifica-se na adoração do Único. O mandamento de adorar o único Senhor simplifica o homem e o livra de uma dispersão infinita. A idolatria é uma perversão do sentimento religioso inato do homem. O idólatra é aquele que “refere a qualquer coisa que não seja Deus a sua indestrutível noção de Deus”.

ADIVINHAÇÃO E MAGIA

2115 Deus pode revelar o futuro a seus profetas ou a outros santos. Todavia, a atitude cristã correta consiste em entregar -se com confiança nas mãos da providência no que tange ao futuro, e em abandonar toda curiosidade doentia a este respeito. A imprevidência pode ser uma falta de responsabilidade.

2116 Todas as formas de adivinhação hão de ser rejeitadas: recurso a Satanás ou aos demônios, evocação dos mortos ou outras práticas que erroneamente se supõe “descobrir” o futuro. A consulta aos horóscopos, a astrologia, a quiromancia, a interpretação de presságios e da sorte, os fenômenos de visão, o recurso a médiuns escondem uma vontade de poder sobre o tempo, sobre a história e, finalmente, sobre os homens, ao mesmo tempo que um desejo de ganhar para si os poderes ocultos. Essas práticas contradizem a honra e o respeito que, unidos ao amoroso temor, devemos exclusivamente a Deus.

2117 Todas as práticas de magia ou de feitiçaria com as quais a pessoa pretende domesticar os poderes ocultos, para colocá-los a seu serviço e obter um poder sobrenatural sobre o próximo – mesmo que seja para proporcionar a este a saúde – são gravemente contrárias à virtude da religião. Essas práticas são ainda mais condenáveis quando acompanhadas de uma intenção de prejudicar a outrem, ou quando recorrem ou não à intervenção dos demônios. O uso de amuletos também é repreensível. O espiritismo implica freqüentemente práticas de adivinhação ou de magia. Por isso a Igreja adverte os fiéis a evitá-lo. O recurso aos assim chamados remédios tradicionais não legitima nem a invocação dos poderes maléficos nem a exploração da credulidade alheia.

Revista Blasfêma semeando heresias!

Publicado: 7 de julho de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

Já dizia São Paulo:

“Não vos enganeis, de Deus não se zomba, pois tudo o que o homem semear, isto também ceifará” (Gálatas 6,7).


Ontem a noite recebi uma reportagem de uma amiga, mostrando me uma abominação. Uma “homenagem” ao escritor português ateu José Saramago (Crítico ferrenho da Igreja Católica), morto no último mês, feita pela Playboy de portugal. A revista colocou um homem fantasiado de Jesus em meio a suas (da revista) prostitutas nuas (quem vende seu corpo seja para qualquer fim é prostituta). O ensaio é uma referência ao também polêmico livro do autor, “O Evangelho segundo Jesus Cristo” que abalou suas relações com a Igreja.

Além de já semear o pecado da luxúria e a pornografia, agora comete um pecado maior ainda que é blasfemar a imagem de Nosso Senhor, mas Deus retribuirá cada um segundo as suas obras (Romanos 2,6)

Feito os devidos comentários, vou colocar aqui as fotos, a intenção não é divulgar tais fotos apenas expor como nosso Senhor anda sendo ridicularizado pela mídia, e nós o que fazemos?

Fonte: EGO

O grande engano da Teologia da Prosperidade

Publicado: 3 de julho de 2010 por Rafasoftwares em Seitas & Heresias

Jesus nunca ensinou que o Evangelho pudesse ser uma fonte de enriquecimento ou um meio de se levar uma vida “regalada”, “em nome de Deus”; ao contrário, o Senhor ofereceu a renúncia e a cruz àqueles que o seguirem:
“Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz a cada dia e me siga. Porque, quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, mas quem sacrificar a sua vida por amor de mim salvá-la-á” (Lc 9,23-24).

Jesus fala de sacrifico, renúncia, perder a própria vida; e diz que se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, não pode dar fruto (cf. Jo 12, 24). Isto está longe de ser um ensinamento de enriquecimento porque se faz a vontade de Deus. Ele não é contra a riqueza justa, e sabiamente usada para o bem de si mesmo e dos outros, mas isto está longe de justificar a teologia da prosperidade.

No entanto o adeptos dessa teologia, baseiam-se no Antigo Testamento para dizer que os homens de Deus foram ricos como Salomão, e que Jesus prometeu que veio para que tenhamos “vida em abundância”. (Jo 10,10)

Segundo a Teologia da Prosperidade, Deus concede riqueza e bens materiais a quem Lhe é fiel e paga o dizimo com generosidade; mas esta concepção está mal fundamentada. Todos os católicos devem dar a sua contribuição material à Igreja para que ela possa prover suas necessidades materiais; isto é ensinado pelo Catecismo:

§2043 – “Os fiéis cristãos têm ainda a obrigação de atender, cada um segundo as suas capacidades, às necessidades materiais da Igreja. O quinto mandamento [da Igreja] (“Ajudar a Igreja em suas necessidades”) recorda aos fiéis que devem ir ao encontro da necessidades materiais da Igreja, cada um conforme as próprias possibilidades (CDC, cân. 222)”.

Nem o Catecismo e nem outro documento da Igreja obriga que o dízimo seja 10% do salário, embora muitos adotem isto na prática, o que é bonito. Mas o dizimo não pode ser uma troca com Deus; deve ser uma doação generosa de quem ama a Deus gratuitamente e desinteressadamente.

Na mentalidade do AT, quando não se tinha uma noção clara da vida eterna, os antigos judeus julgavam que a recompensa de Deus para os bons seria neste mundo mesmo; mas esta mentalidade foi mudando, como se pode ver no livro de Jó, Eclesiastes, Daniel, etc. A certeza da vida eterna e de uma recompensa muito melhor foi finalmente trazida por Jesus: “Dirá o rei aos que estiveram a sua direita: Vinde, benditos do meu Pai, recebei por herança o reino preparado para vós desde a fundação do mundo”.(Mt 25, 26).

E São Paulo completa: “O que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram, e o coração do homem jamais percebeu, eis o que Deus preparou para aqueles que O amam” (1Cor 2,9).

Jesus não propôs riqueza nem prosperidade aos seus seguidores. Prometeu sim, vida, e vida em abundancia, mas não é a vida mortal, sempre ameaçada, que o homem conhece na terra, mas a vida imortal em comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. A “Carta aos Hebreus” ensina que Deus nos corrige para o nosso bem:
“É para a vossa educação que sofreis: Deus vos trata como filhos. Qual é, com efeito, o filho cujo pai não educa? Se sois privados da educação da qual todos participam, então sois bastardos e não filhos”. (Hb 12, 7s) Dessas palavras pode-se ver que é falso dizer que Deus paga em dinheiro e bens materiais a quem Lhe é fiel.

São Paulo mostra os riscos do enriquecimento para quem não sabe se contentar com o que tem; isto, o avarento:
“A piedade é de fato grande fonte de lucro, mas para quem sabe se contentar. Pois nada trouxemos para o mundo, nem coisa alguma dele poderemos levar. Se, pois, temos alimento e vestuário, contentemo-nos com isso. Ora, os que querem se enriquecer caem em tentação e cilada, e em muitos desejos insensatos e perniciosos, que mergulham os homens na ruína e na perdição. Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro, por cujo desenfreado desejo alguns se afastaram da fé, e a si mesmos se afligem com múltiplos tormentos”. (1Tm 6,5-10)

E Jesus deu-nos uma lição importante quando do encontro com aquele jovem rico, que perdeu a coragem de seguir Jesus por causa do dinheiro:
“Jesus lhe respondeu: Se quiseres ser perfeito, vai vende os teus bens e dá aos pobres, e terás um tesouro nos céus. Depois, vem e segue-me. O moço, ouvindo essa palavra, saiu pesaroso pois era possuidor de muitos bens. Então Jesus disse aos seus discípulos: Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no Reino dos Céus. E vos digo ainda: é mas fácil um camelo entrar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus. Ao ouvirem isso, os discípulos ficaram muito espantados e disseram: Quem poderá então salvar-se? Jesus fitando-os, disse: Ao homem isso é impossível, mas a Deus tudo é possível”. (Mt 19,21-26).

O Brasil tomou conhecimento do triste caso do casal de “bispos” da igreja Renascer. Um juiz brasileiro, da 1ª Vara Criminal de São Paulo, Paulo Antonio Rossi, decretou a prisão deles, em 11 jan 07 (Folha de SP), depois de terem sido presos nos EUA pelo FBI. O casal foi detido no aeroporto de Miami, na Flórida, em, 09 jan 07, pelo FBI, ao tentar entrar no país com US$ 56 mil não-declarados (mais de R$ 120 mil) em dinheiro vivo, que estava dentro de uma Bíblia, em um porta-CD e nas malas. No despacho, os promotores acusam Estevam e Sônia de continuar a praticar lavagem de dinheiro, dessa vez em solo norte-americano -eles já respondem a esse mesmo tipo de crime na capital paulista.

No Brasil, Estevam e Sônia também são réus em processos por falsidade ideológica, estelionato e evasão de divisas. Desde então, já tiveram bens e contas bancárias seqüestrados ou bloqueados pela Justiça. É o caso do haras em Atibaia (a 60 km de SP), comprado pela Renascer por R$ 1,8 milhão, e uma casa de praia em Boca Raton, na Flórida, que vale US$ 470 mil (R$ 1,27 milhão).

Esses fatos confirmam os argumentos evangélicos apresentados de que a teologia da prosperidade é uma farsa perigosa que tem enganado a muitos. Pessoas bem intencionadas, às vezes desesperadas com os seus problemas, dão o que têm, e às vezes o que não têm a essas “igrejas”, e depois ficam muitas vezes em pior situação ainda. Não é esta a vontade Deus; Jesus alertou: “cuidado com os falsos profetas… pelos seus frutos os conhecereis”. (Mt 7,15-16)

Prof. Felipe Aquino