Pais da igreja: importância nula?

Publicado: 27 de janeiro de 2011 por Rafasoftwares em Mentiras
O Na mira da Verdade ( Blog Adventista ) ao tentar defender a guarda do sábado, acabou tirando o valor devido dos Pais da Igreja. Foi afirmado que: 

Os observadores do domingo, em uma tentativa desesperada de defender o indefensável, apelam aos pais da igreja e ao texto de Apocalipse 1:10 para “provar” que o “dia do Senhor” não é o sábado.

Segundo o texto, os defensores do domingo erram em dois pontos:

1) Em usar a autoridade dos pais da igreja no lugar da autoridade da Bíblia (Jo 17:17);

2) Em dizer que a expressão grega Kuriakê heméra (Dia do Senhor), utilizada em Apocalipse 1:10, se refere ao primeiro dia da semana.

E depois de citar alguns pais da igreja, foi feito o seguinte comentário:

Tais homens são as autoridades doutrinárias dos observadores do domingo, caro leitor! Pasmem! Não foi por acaso que Adam Clarck, comentarista evangélico, disse sobre eles: “Em ponto de doutrina a autoridade deles é, a meu ver, nula” – Clarkes’s Commentary, on Proverbs 8.

Essa não é uma tentativa desesperada de defender o indefensável, mas uma forma de expor uma conclusão clara quando se estuda a história da igreja. Verão que até mesmo o texto de vocês serve como mais um argumento pra guarda do domingo.
.
Então, pra começar, tenho que agradecer por me fazer perceber algo que não tinha notado antes.

Primeiro é bom deixar algo claro: A bíblia é sim autoridade para o cristão, mas é a única? Se é a única, o que dizer dos primeiros cristãos que não possuíam a bíblia como fonte pra doutrina cristã? Deixem-me explicar, assim verão que a tradição primitiva é sim também autoridade para o cristão.

Antes também gostaria de comentar o que afirmaram sobre os pais da igreja. Em que sentido a pessoa se torna assassino? Seria bom mostrar a passagem onde ele afirma isso pra avaliarmos, não?

Espero que não tenha feito como alguns que não chegaram a ler seus textos. Dá pra encontrar até na internet, e são muito bons pra leitura (tiveram forte influencia para que eu deixasse o protestantismo)
Ele está certo em dizer que a santa ceia não é apenas um simbolismo, foi isso o que aprendeu e o que a Igreja tinha como ensino apostólico, não é razoável desprezar o testemunho dele nesses casos por não concordar com ele. Isso sobre Inácio, mas depois volto a falar sobre ele.

Sobre os outros a questão é parecida. Seria bom citar os trechos pra avaliarmos o que eles tinham a dizer, e não é porque acreditavam em coisas cientificamente erradas (como o caso de Barnabé) que deveríamos ignorar seu testemunho.

Mas uma coisa é importante notar, e foi o que notei ao ler seu artigo: todos eles acreditam de forma universal que o domingo era guardado entre os Cristãos. É bom lembrar que a universalidade foi um dos fatores de aceitação do Canon.

Então, pra resumir, mesmo não concordando como heresias o que foi tachado como (purgatório, primazia de Roma e que a ceia não é apenas um simbolismo), não dá pra dizer que a autoridade deles é nula. Chega a ser engraçado, pois é através dessas mesmas autoridades que o Canon bíblico foi apoiado e estudado.

Duvido que quando forem defender o Canon vão chamar essas autoridades de nulas. Vamos ser honestos, e lembrem-se disso quando forem tratar do Canon Bíblico, seja sobre o Antigo Testamento ou no Novo.

Primeiro a Igreja observava a universalidade dos livros, se eram aceitos em todas as igrejas de origem claramente apostólica, então eram considerados canônicos. Os que não eram aceitos por todos, mas tinham certa confiabilidade, chamados deuterocanonicos (não estou falando dos deuterocanonicos do AT), utilizavam alguns outros meios, mas todos concordavam que a universalidade deve ser usada como fator.

Então é isso que quero dizer, também, na questão do sábado: a guarda do domingo era algo universal que, ao contrário do que dizem, pode ser observado até mesmo no Novo Testamento, mas essa não é a questão a ser tratada.
.
A importância da tradição primitiva e da crença universal (Católica) não para por aí. Continuemos com o exemplo do Canon.

Os cristãos primitivos não tinham o Novo Testamento. Eles tinham um livro aqui, outro ali recebido. Aos poucos eles foram aceitos e aos poucos o Canon foi determinado. Então, qual era a base de fé deles? O Antigo Testamento, as cartas que possuíam (e não eram completas como nós temos hoje graças a essa tradição) e a tradição oral recebida pelos apóstolos. As várias alusões às escrituras, na maioria das vezes, são sobre o AT.

Isso pode ser visto em todos os pais da igreja que escreveram muito antes da formação do Canon. Era o registro da tradição oral que eles haviam recebido, um registro das crenças primitivas antes da formação do Canon e que ajudaram a formar o mesmo. Eles são unânimes quanto a isso.

Não dá pra ignorar isso, nem a tradição oral preservada no primeiro século como explicação de passagens difíceis, e dizer que a importância deles é nula. Os livros do NT são inspirados? Sim. Sabemos isso de que forma? A Bíblia caiu do céu e veio se reproduzindo de forma assexuada? Não.

Por esses motivos (e existem outros, mas pretendo escrever de forma resumida) não seria honesto negar que a Igreja é mãe do Canon. Alguns dizem que ela é serva do Canon, mas, se fosse serva o mesmo teria surgido antes da fundação da Igreja. Mas não foi assim que aconteceu. E o Antigo Testamento? Bom, só ele não serve como manual para o Cristão, e através dele não podemos determinar quais deveriam ser os livros inspirados e escritos pelos apóstolos.

Apesar de termos uma lista dos livros canônicos pelos pais da Igreja, eles não mostram alusões conclusivas, pois às vezes são citados os apócrifos. A decisão foi tomada pela Igreja, através do Magistério, observando somente os livros de acordo com a tradição, e não o contrário.

Mas por não ser algo conclusivo, deveríamos ignorar os textos patrísticos? De maneira nenhuma, eles serviram como base para essas discussões. Mas o que dá pra ser observado é que a Tradição Católica (Universal) da Igreja foi um dos fatores pra o reconhecimento do Canon, o que já exclui a possibilidade da Igreja ser serva do Canon.

E o Canon não foi reconhecido pra servir de regra para os cristãos somente, mas como forma de listar os livros autorizados para serem lidos nas Igrejas pelos cristãos e lutar contra os livros que começavam a surgir, os apócrifos.

Só isso acaba com a suficiência da bíblia para todos os assuntos importantes do cristianismo, pois se fosse suficiente, seria suficiente até mesmo para determinar quais são os livros inspirados, mas se não foi suficiente pra isso, então não é suficiente pra todo assunto importante para o cristianismo.

Assim, não deve ser a única regra de fé. Mas qual seria? Bom, é outra questão, e não quero sair mais do assunto principal (embora esse seja relacionado).

Tratei isso aqui apenas pra mostrar a importância da tradição primitiva, pois se negá-la (principalmente dizendo que sua importância é nula), a conseqüência vai ser negar a própria bíblia.

Mas a principal evidencia para que o Dia do Senhor seja o Domingo não é o texto do evangelho de Pedro, e sim de Inácio. Veja:

“Aqueles que viviam na antiga ordem de coisas chegaram à nova esperança, e não observam mais o sábado, mas o dia do Senhor, em que a nossa vida se levantou por meio dele e da sua morte. Alguns negam isso, mas é por meio desse mistério que recebemos a fé e no qual perseveramos para ser discípulos de Jesus Cristo, nosso único Mestre” – Magnésios 9,1

Ele cita alguns que negam, os judaizantes, mas não os que estavam de acordo com a sucessão e tradição apostólica.

Inácio de Antióquia que viveu entre 30 e 106/110 d.C (bem antes da formação do Novo Testamento, e logo no nascimento da igreja, que veio de tradição e sucessão apostólica), foi discipulo de João e conheceu Paulo. Fala claramente que os cristãos deixaram de guardar o Sábado para guardar o dia do Senhor (se não fosse o sábado, seria que dia que estaria se referindo?).

Essa data é muito próxima a escrita do livro de Apocalipse o que mostra que não é nula a evidencia de que o Dia do Senhor que se fala no Apocalipse é o domingo, já que isso fazia parte da linguagem cristã e Inácio viveu no tempo em que o Apocalipse foi escrito, além de ter sido discípulo de João.

Então, mesmo que no AT o sábado seja considerado o Dia do Senhor, isso não muda o fato de que todos os cristãos primitivos de origem apostólica consideravam o Domingo este dia. Por isso eles não servem pra serem usados como argumento para um cristão, no máximo isso pode servir pra um judeu.

Também, no segundo artigo, citaram algumas palavras de Jesus. Isso também em nada influencia no que os cristãos acreditavam, afinal, as falas foram ditas por Jesus antes de sua morte e ressurreição. É óbvio que como um judeu, ele guardaria o sábado, e como Deus, é Senhor do Sábado. Mas o cristianismo tem vários elementos diferentes do judaísmo, e, repito, isso não muda o fato da universalidade da guarda dos domingos pelos cristãos.

O que dá a entender que quando alguns cristãos (como os apóstolos) iam aos sábados às sinagogas, não significava que eles estavam guardando como forma de salvação ou algum tipo de aliança, mas aproveitando a oportunidade para pregar a Palavra de Deus, como Paulo afirmou que fazia.

Bom, escrevi isso pra mostrar que a Tradição é sim importante e decisiva (e foi até mesmo para o Canon). Apesar de que podemos ver biblicamente que o sábado não precisa ser guardado pelos cristãos, não pretendi escrever sobre isso aqui. Apenas mostrar que a unanimidade dos cristãos sobre esse assunto não é uma tentativa desesperada, mas sim uma prova histórica da crença cristã primitiva, e que, se ignorar isso (ou tentar tirar o credito deles), vão ter que ignorar a própria formação do Canon.

Autor: Jonadabe Rios ( Membro do Apostolado Sã doutrina )

comentários
  1. Paulino disse:

    So quero que vc me responda 2 perguntas?
    Se o domingo veio a ser o dia do senhor depois da morte de Cristo, então como explicar a profecia de Jesus que diz: (Mateus 24:20 orai para que vossa fuga nao se dê no inverno, nem no SÁBADO.)
    Nao me venha com blá blá blá, essa profecia se cumpriu em 70dc. Será que Jesus disse pra fuga nao ocorre no sábado porque? E claro que os cristão mesmo depois da morte de Jesus guardava o sábado!
    Na verdade Jesus deveria se referir ao domingo.kkkkkkkk que piada!

  2. Paulino disse:

    O apóstolo Paulo um grande missionário que estabeleceu varias igrejas, ungiu diversos presbíteros e NUNCA falou ou fez nada que apóia-se a mudança do sábado para o domingo.pelo contrário em efesios ele guardou 194 sábados em 3 anos e noves meses e em nenhum momento falou nada da mudança.enstranho nao é?
    Cristo também ressucitou e ficou 40 dias instruindos seus dicipulos sobre o estabelecimento da igreja e nao falou nada dessa mudança. Estranho nao é?
    Lucas investigou diligentemente todas as coisas para que conhecêssemos bem as verdades(Lucas 1:1-4 ; atos 1: 1-3). E nao disse nada que o domingo passou a ser dia santo. Pelo contrário em Lucas 23:54-56 se diz que o dia de repouso no novo testamento e o sábado( e isto foi escrito cerca de 63 AD, 32 nãos depois da ascensão de Jesus,) se depois da morte de Cristo o dia de guarda passou a ser o domingo porque então o apóstolo Lucas nao se referiu como dia do senhor? Estranho nao é. Me calo por aqui!

  3. Jonadabe Rios disse:

    Pois é, é em todo esse blablabla que acreditavam os cristãos primitivos que sofreram essa perseguição.

    Sem contar que poderiam haver outras explicações, (1) como a de que no sábado seriam impedidos a ajuda dos judeus, já que estes estariam guardando o sábado, (2) que os judeus convertidos poderiam continuar indo as sinagogas aos sabados, segundo seu costume (como Paulo fazia para pregar o Evangelho), só qué importante diferenciar o culto cristãos de reuniões nas sinagogas, assim, isso ficaria livre do judeu decidir impedindo qualquer imposição aos pagãos convertidos.

    Os evangelhos foram escritos não para relatar eventos posteriores a vida de Jesus, exceto em profecias, e sim no cotidiano dele, por isso mesmo que tenha sido escrito depois de sua ascenção, não justifica utilizar isso como argumento.

    Interessante é que no NT relata as reuniões cristãs nos domingos e várias das aparições de Jesus também (mas isso não vem ao caso agora, pois seria muito extenso)

    Dentre outras que não são importantes agora, já que nem mesmo respondeu a proposta do texto que é a importancia dos Pais da Igreja. Estes que preservaram os textos que você está citando de forma errada.

    Mas não acho que se possa fazer muita coisa quando se prefere ter idéias preconcebidas impedindo qualquer tipo de argumentação.

    Abraços.

  4. paulino filho disse:

    amigo eu nao vejo nada demais os cristao se reunir no domingo, segumda, terça, etc…
    o que eu quero saber é se tem alguma lei na biblia mandando a guarda do mesmo? procure quando achar me mande.
    concordo com vc quando diz que Os evangelhos foram escritos não para relatar eventos posteriores a vida de Jesus, so que as reunioes no primeiro dia da semana, ja deria ter sido relatada como dia do senhor.o que nao aconteceu!

  5. Jonadabe Rios disse:

    Depende de como deveriam ser relatadas, o proposito do autor.

    Como disse na argumentação do texto, não se pode ignorar a importancia dos Pais da Igreja e interpretar as escrituras sem essa Tradição.

    Além disso, é bom lembrar qu as doutrinas cristãs em sua totalidade não surgiram num piscar de olhos, e sim depois da reflexão dos cristãos de acordo com o que lhs fora passado pelos apóstolos, e pelos costumes que passaram a adotar.

    Ou seja, devemos avaliar também o impacto que os eventos da morte e ressurreição de Jesus tiveram com a igreja nascente em seu desenvolvimento ajudado pelo Espírito Santo.

    Abraços.

  6. paulino filho disse:

    Os “pais” da igreja teve sua importancia mais não podemos colocar acima da BIBLIA!!!
    E vc não respondeu minha pergunta, nao desvia o assunto cara.
    cadê uma lei no novo testamento para a santificação do domingo?
    R: não existe.
    quem criou isso foi a tradição, não é?
    veja o que Jesus pensa da tradição quando se afasta da palavra de Deus:
    Mateus 15:1-9(e assim por causa da VOSSA TRADIÇÃO invalidaste a palavra de Deus.
    HIPÓCROTAS! bem profetizou o profeta Isaias a vosso respeito, dizendo: este povo honra-me com os lábios; o seu coração está longe de mim. Mais em VÃO me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de HOMEM.
    E MAIS no capitulo 3 diz: PORQUE TRANSGREDIS O MANDAMENTO DE DEUS POR CAUSA DA VOSSA TRADIÇÃO? gostaria que vcs respondessem a pergunta do MESTRE!

    amigo a lei do descando dominical esta nessa “biblia” ai:

    Por isso, é natural que os cristãos se esforcem para que, também nas circunstâncias específicas do nosso tempo, a legislação civil tenha em conta o seu dever de santificar o domingo. Em todo o caso, têm a obrigação de consciência de organizar o descanso dominical de forma que lhes seja possível participar na Eucaristia, abstendo-se dos trabalhos e negócios incompatíveis com a santificação do dia do Senhor, com a sua alegria própria e com o necessário repouso do espírito e do corpo.
    Fonte: Carta Papal Dia do Senhor (1998) Item 67

  7. Jonadabe Rios disse:

    Primeiro, não acredito na Sola Scriptura, pois já faz algum tempo que abandonei essa heresia. Por isso não tenho nenhuma obrigação de mostrar algo assim, mas quem sabe posteriormente um outro texto mostrando as razões (além da própria história cristã) de se guardar o domingo, mas que seja em especifico sobre esse assunto.

    Segundo, sobre a tradição, me espanta ignorar a tradição e falar mal dela quando depois vai recorrer a ela pra defender seu canon (com textos fora do contexto, pois se você botar até mesmo numa busca online em biblias verá vários outros fazendo alusão positiva a uma tradição).

    Aconselho que faça essas perguntas a si mesmo se imaginando no tempo de Inácio de Antióquia [quando não havia um canon], e sim a Tradição Oral que era considerada tanto Palavra de Deus quanto as cartas que receberam dos apóstolos e posteriormente os evangelhos. Tal tradição que posteriormente nos ajudou a reconhecer quais livros são inspirados. E repito: se não podemos confiar nela, não podemos confiar nos livros que foram reconhecido por essa tradição. Pois se a Tradição é corrompida, o que ela reconheceu também é. Não adianta vir com a petição de principio com algo de que “Deus usou algo assim para preservar sua palavra” pois é puro argumento em círculo de quem quer ignorar a verdade e fatos históricos.

    No mais, encerro por aqui, pois quem está fugindo do assunto é você, que nem mesmo respondeu o assunto do tópico passando pra outras questões.

    Fica na Paz.

    http://porquecreio.blogspot.com

  8. paulino filho disse:

    ok.Se vc acha que a tradição não erra e que é 100% confiável vc está numa enrrascada.
    então siga sua tradição, que eu sigo a palavra de Deus!
    Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua LEI!(salmo 119:18)

  9. paulino filho disse:

    Rafael solta os comentáriossssss!!!!!!!!!!!!

  10. Jonadabe Rios disse:

    Paulinho

    Sinto que também discordo de mais coisa, como que somente as escrituras é a Palavra de Deus.

    Enfim, esse é um outro assunto.

    Abraços.

  11. manuel disse:

    Paulino;

    O assunto do tópico é sobre os Padres da Igreja e não Sábado ou Domingo.

    Não adianta citar textos da bíblia e negar os ensinos dos Padres da Igreja,porque foram eles que aprovaram os livros da Bíblia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s