Refutando Acusações sobre o Canôn Bíblico – Parte I

Publicado: 2 de setembro de 2010 por Rafasoftwares em Mentiras

Essa é uma Matéria do Blog  “O Crentinho”, com mais uma tentativa de descrebilizar os livros sagrados! A única coisa que me fez postar essa matéria foi por ter algumas acusações novas e não ser tão decorado e copiado como na maioria das acusações protestantes, mas como de praxe tenta colocar coisas onde não existem e atribuir isso a “mente maligna” da Igreja Católica.

Como sempre:

Vermelho: acusação

Azul: Refutação

Este texto é parte de um artigo maior sobre a igreja católica apostólica romana – ICAR. Por favor, você que é católico, pense bem sobre essas coisas, e creia-me, a idéia aqui foi ofender o mínimo possível.

É até que foi educado!

Neste caso, os apócrifos do Velho Testamento (VT) católico, 7 livros e 4 supostas partes de livros, que a ICAR “infalivelmente” declarou como sendo parte do cânon bíblico mais explicitamente em 1546, no Concílio de Trento. São eles: Tobias, Judite, Sabedoria de Jesus ben Siraque (Eclesiástico), Sabedoria de Salomão, Baruque, 1 Macabeus, 2 Macabeus, Acréscimos a Daniel, Acréscimos a Ester.

1º Os deuterocanônicos já eram usados na Igreja desde os primórdios, todos sabem que por volta do ano 400 d.C, foi traduzida a vulgata latina por São Jerônimo que continha todos os livros que hoje existem na bíblia católica!

2º isso só foi questionado após a reforma protestante por Martinho Lutero, que também queria remover a epistola de Tiago e o Apocalipse, e no entanto todos os protestantes usam essas epistolas até hoje!

Os apócrifos, chamados deuterocanônicos (segundo cânon) pela ICAR, são livros religiosos utilizados por Cristãos e Judeus, de autoria desconhecida e que não fazem parte do cânon Judaico e da Igreja Cristã primitiva, pois não são inspirados. A Enciclopédia Britânica (Versão Eletrônica) os define como: “… várias versões Judaizadas de contos bem representados em outras culturas”. Foram introduzidos no cânon bem mais tarde. Em geral, os católicos argumentam que [RCEAD, cap 9]:

Sim e quais são os livros inspirados? Como saber se tal livro é inspirado ou não? A bíblia é definida na subjetividade dos pensamentos de cada pessoa? Como saber se a bíblia que temos hoje realmente é a palavras de Deus, como ela foi dividida em versículos e capítulos e chegou até nós hoje? Veremos mais tarde!

Alguns Cristãos antigos, considerados “pais da igreja” os consideravam inspirados, e alguns católicos argumentam que isso é evidência a favor do uso dos apócrifos.

    • Todavia, essas são apenas as opiniões errantes e não inspiradas deles. Se os escritos destes pais fossem considerados inerrantes e inspirados, é bem possível que fizessem parte do cânon do Novo Testamento (NT), com valor doutrinário, assim como as cartas de Paulo e outras cartas do NT.

Certo, e os pensamentos de quem são inspirados e inerrantes? Dos protestantes? Os pais da Igreja apenas confirmam os livros que eram usados pelos primeiros cristãos. Quero saber por que é que ele não utiliza aqui textos patrísticos, ele apenas julga e define a bíblia segundo sua própria cabeça!

  • Outros católicos ainda argumentam que tais livros eram lidos.
    • Isso tem tanto valor quanto se dizer que os livros de qualquer escritor Cristão são lidos hoje em dia. Uma coisa é ter valor devocional, outra coisa é ter autoridade doutrinária.

Ora e eles iam ler livros que continham heresias, como os protestantes dizem? Se eu der um livro que um católico escreveu qual protestante vai ler e vai ter devoção por ele? E pior ainda no cristianismo primitivo que ele viviam a fé muito mais forte que nós hoje e se preservavam muito das heresias!

  • A Septuaginta, antiga tradução em grego do VT, continha a tradução dos apócrifos.
    • Grande coisa, A tradução alemã feita por Lutero também tinha.
    • Nem mesmo se sabe se as cópias mais antigas da Septuaginta os continham, pois os primeiros manuscritos gregos contendo estes livros datam do Século IV.
    • Nenhum manuscrito grego contém a lista completa de apócrifos aceita em Trento.

Não? E a vulgata (século 4) foi traduzida de que língua? Olha o autor caindo em contradição, ele diz que os livros só foram aceitos em Trento, ora Trento como ele aqui mesmo cita foi em 1547, a reforma protestante ocorreu em 1517, 30 anos antes e Martinho Lutero traduziu a bíblia com os “apócrifos”, como pode isso? 30 anos antes já estava na bíblia os “apócrifos” que o autor diz que só foram aceitos em 1547? Fiquei confuso agora! e não foi o próprio lutero que condenou esses livros?

  • Mas no NT, alega-se que há citações sobre os apócrifos, e que estas citações eram da Septuaginta.
    • Em primeiro lugar, os autores do NT nunca citam os apócrifos (ou pelo menos o que se alega ser deles) como Escrituras Sagradas, nenhuma citação supostamente de materiais dos apócrifos começa com termos tipo: “Assim diz o Senhor”, “Está escrito”, ou “As Escrituras dizem”. O contrário acontece com as citações sobre os livros canônicos [RCEAD, cap 9, p 6]. Ainda sobre esse problema:

Bom se a questão para definir um livro como canônico for essa então vamos eliminar: Crônicas, Ester, e Cânticos dos Cânticos, pios não há nenhuma citação desses no novo testamento, da forma que o autor disse! E mesmo assim não é verdade que não tem nenhuma citação deles no novo testamento vou mostrar aqui apenas algumas delas no itens seguintes para não ficar muito grandes por que são várias!


Apesar do fato dos escritores do NT citarem amplamente a Septuaginta, ao invés do VT Hebreu, não há um único caso bem definido de uma citação de qualquer um dos 14 livros apócrifos … O máximo que pode ser dito é que os escritores do NT mostram estar familiarizados com esses livros, e talvez se refiram a eles de forma indireta, mas de forma alguma os citam como Escrituras inspiradas ou como tendo autoridade. (Merrill F. Unger, Introductory Guide to the Old Testament, Grand Rapids: Zondervan, 1951, p. 101).

Veja mais: http://www.justforcatholics.org/a63.htm


Olha novamente a contradição do autor ai veja o que ele disse antes:

Nem mesmo se sabe se as cópias mais antigas da Septuaginta os continham, pois os primeiros manuscritos gregos contendo estes livros datam do Século IV.

Nenhum manuscrito grego contém a lista completa de apócrifos aceita em Trento.”

E o que ele diz agora:

“O máximo que pode ser dito é que os escritores do NT mostram estar familiarizados com esses livros, e talvez se refiram a eles de forma indireta”

Ora champs, explica pra nóis direitinho se a Septuagina tinha ou não tinha os “apócrifos” e se os apóstolos usavam eles ou não, por que está meio confuso suas afirmações!

* Hebreus 11:35 refere-se a 1 Reis 17:17-24 e 2 Reis 4:25-37, e não a 2 Macabeus 7:12.

Vamos ver se é verdade isso?

Hb 11, 35 Devolveram vivos às suas mães os filhos mortos. Alguns foram torturados, por recusarem ser libertados, movidos pela esperança de uma ressurreição mais gloriosa.

Dividi em 2 cores (verde e laranja) o versículo para vermos em qual cor se encaixa  1 Reis 17:17-24 e 2 Reis 4:25-37 e se Macabeus 7:12 entra nessa história também

Agora vamos aos livros dos Reis para saber:

1 Reis 17, 17. Algum tempo depois, o filho desta mulher, dona da casa, adoeceu, e seu mal era tão grave que já não respirava. 18. A mulher disse a Elias: Que há entre nós dois, homem de Deus? Vieste, pois, à minha casa para lembrar-me os meus pecados e matar o meu filho? 19. Dá-me o teu filho, respondeu-lhe Elias. Ele tomou-o dos braços de sua mãe e levou-o ao quarto de cima onde dormia e deitou-o em seu leito. 20. Em seguida, orou ao Senhor, dizendo: Senhor, meu Deus, até a uma viúva, que me hospeda, quereis afligir, matando-lhe o filho? 21. Estendeu-se em seguida sobre o menino por três vezes, invocando de novo o Senhor: Senhor, meu Deus, rogo-vos que a alma deste menino volte a ele. 22. O Senhor ouviu a oração de Elias: a alma do menino voltou a ele, e ele recuperou a vida. 23. Elias tomou o menino, desceu do quarto superior ao interior da casa e entregou-o à mãe, dizendo: Vê: teu filho vive. 24. A mulher exclamou: Agora vejo que és um homem de Deus e que a palavra de Deus está verdadeiramente em teus lábios.

Que cor é esse versículo? Verde né?

Agora 2 Reis 4:25-37  a partir do Vs 30 para não ficar muito grande :

30. A mãe do menino exclamou: Por Deus e pela tua vida, não te deixarei! Então Eliseu seguiu-a. 31. Entretanto, Giezi, que os tinha precedido, pôs o bastão no rosto do menino; mas não houve voz, nem sinal de vida. Ele voltou a Eliseu e disse-lhe: O menino não despertou. 32. Eliseu entrou na casa, onde estava o menino morto em cima da cama. 33.34. Depois, subiu à cama, deitou-se em cima do menino, colocou seus olhos sobre os olhos dele, suas mãos sobre as mãos dele, e enquanto estava assim estendido, o corpo do menino aqueceu-se. 35. Eliseu levantou-se, deu algumas voltas pelo quarto, tornou a subir e estendeu-se sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos. 36. Eliseu chamou Giezi e disse-lhe: Chama a sunamita; o que ele fez. Ela entrou e Eliseu disse-lhe: Toma o teu filho. 37. Então ela veio e lançou-se aos pés de Eliseu, prostrando-se por terra. Em seguida tomou o filho e saiu. Entrou, fechou a porta atrás de si e do morto, e orou ao Senhor.

Sem duvida verde!

Então onde estão os mortos e torturados esperando uma ressurreição mais gloriosa?

Macabeus 7, 7. Morto desse modo o primeiro, conduziram o segundo ao suplício. Arrancaram-lhe a pele da cabeça com os cabelos e perguntaram-lhe depois: Comerás carne de porco, ou preferes que teu corpo seja torturado membro por membro? 8. Ele respondeu: Não, no idioma de seu país, e padeceu então os mesmos tormentos do primeiro. 9. Prestes a dar o último suspiro, disse ele: Maldito, tu nos arrebatas a vida presente, mas o Rei do universo nos ressuscitará para a vida eterna, se morrermos por fidelidade às suas leis.

Laranjinha né?

Veja que no antigo testamento, as pessoas não tinham esperança alguma de ressurreição os únicos livros que citam a ressurreição é Macabeus e Daniel! Dou um ano a qualquer protestante para procurar em sua bíblia a referencia correspondente a essa passagem!

Mais do que provado que Hebreus 11, 35b se refere a II Macabeus 7!

Algumas catacumbas de Cristãos antigos mostram imagens e textos que faziam referências a eventos dos apócrifos.

Mas se você procurar direito nos cemitérios das redondezas, é bem possível que encontre tumbas misturando Chico Xavier com Jesus. Novamente, as opiniões dessas pessoas não eram inspiradas ou inerrantes.

É os protestantes não aceitam nenhuma herança teológica ou histórica nem dos primeiros cristãos. Mas por que isso? Por que se aceitarem não terão como comprovar suas afirmações subjetivas!

O fato é que esses livros não preenchem o requisito para fazer parte do cânon do VT, que é o caráter profético. Os livros verdadeiramente canônicos comumente citam uns aos outros em seqüência, veja alguns exemplos [RCEAD, cap. 9, p.12]:

Os escritos de Moisés são citados por todo o VT, começando com seu sucessor imediato, Josué (Josué 1:7, 1 Reis 2:3, 2 Reis 14:6, 2 Crônicas 17:9, Esdras 6:18, Neemias 13:1, Jeremias 8:8 e Malaquias 4:4). De forma semelhante, os profetas posteriores citavam os anteriores (ex: Jeremias 26:18, Ezequiel 14:14-20, Daniel 9:2, Jonas 2:2-9, Miquéias 4:1-3). No NT, Paulo cita Lucas (1 Timóteo 5:18), Pedro reconhece as epístolas de Paulo (2 Pedro 3:15-16), e Judas 4-12 cita 2 Pedro. O Livro do Apocalipse é cheio de imagens e idéias tiradas de Escrituras anteriores, especialmente Daniel (ver Apocalipse 13).

Kkkkkkkkkk, ow champs, então onde está o manual que diz qual livro é canônico ou não? Eu nunca vi, é bom você mostrar pra nóis, para que todos os católicos leiam!

Leiam:

Tobias 12, 12. Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor. 13. Mas porque eras agradável ao Senhor, foi preciso que a tentação te provasse.14. Agora o Senhor enviou-me para curar-te e livrar do demônio Sara, mulher de teu filho. 15. Eu sou o anjo Rafael, um dos sete que assistimos na presença do Senhor.

Comparem com:

Apocalipse 8, 2. Eu vi os sete Anjos que assistem diante de Deus. Foram-lhes dadas sete trombetas. 3. Adiantou-se outro anjo e pôs-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro na mão. Foram-lhe dados muitos perfumes, para que os oferecesse com as orações de todos os santos no altar de ouro, que está adiante do trono. 4. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus.

Será que é mera conhecidência?

Vamos a adiante

“Ele se gaba de conhecer a Deus, e se chama a si mesmo filho do Senhor! Sua existência é uma censura às nossas idéias; basta sua vista para nos importunar. Sua vida, com efeito, não se parece com as outras, e os seus caminhos são muito diferentes. Ele nos tem por uma moeda de mau quilate, e afasta-se de nossos caminhos como de manchas. Julga feliz a morte do justo, e gloria-se de ter Deus por pai. Vejamos, pois, se suas palavras são verdadeiras, e experimen­temos o que acontecerá quando da sua morte, porque, se o justo é filho de Deus, Deus o defenderá, e o tirará das mãos dos seus adver­sários. Provemo-lo por ultrajes e torturas, a fim de conhecer a sua doçura e estarmos cientes de sua paciência. Condenemo-Io a uma morte infame. Porque, conforme ele, Deus deve intervir” (Sabedoria 2,13-21).

A profecia acima se refere ao escárnio promovido pelo Sinérdio contra o Senhor Jesus.

Veja o testemunho do NT sobre o cumprimento da profecia acima:

“A multidão conservava-se lá e observava. Os príncipes dos sacerdotes escarneciam de Jesus, dizendo: Salvou a outros, que se salve a si próprio, se é o Cristo, o escolhido de Deus! [ … J Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo. [‘ ..] Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele: Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e sal­va-nos a nós!” (Lc 23,35.37.39).

“Mas Jesus se calava e nada respondia. O sumo sacerdote tomou a perguntar-lhe: És tu o Cristo, o Filho de Deus bendito? [‘ ..] Alguns começaram a cuspir nele, a tapar-lhe o rosto, a dar-lhe socos e a dizer­ lhe: Adivinha! Os servos igualmente davam-lhe bofetadas” (Mc 14,61.65)

“Querendo Pilatos satisfazer o povo, soltou-lhes Barrabás e entregou Jesus, depois de açoitado, para que fosse crucificado. [. .. ] Davam­ lhe na cabeça com uma vara, cuspiam nele e punham-se de joelhos como para homenageá-lo. Depois de terem escarnecido dele, tiraram-lhe a púr­pura, deram-lhe de novo as vestes e conduziram-no fora para o crucificar” (Mc 15,15.19-20).

“Salva-te a ti mesmo! Desce da cruz! Desta maneira, escarneciam dele também os sumos sacerdotes e os escribas, dizendo uns para os outros: Salvou a outros e a si mesmo não pode salvar! Que o Cristo, rei de Israel, desça agora da cruz, para que vejamos e creiamos! Também os que haviam sido crucificados com ele o insultavam” (Mc 15,30-31).
Em 1 Macabeus 9:27 lê-se:

Israel caiu numa tribulação tão grande, como nunca tinha havido, desde que os profetas desapareceram.

Ou seja, o próprio livro admite não ser profético! E os apócrifos datam justamente deste tempo (400 A.C. até o nascimento de Jesus).

Ninguém nunca disse que Macabeus era profético! Macabeus é um livro Histórico! Como o champs  ai mesmo cita a seguir.

Continua…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s