Refutando o Livro 20 “VERDADES” SOBRE CATOLICISMO – Parte I

Publicado: 16 de agosto de 2010 por Rafasoftwares em Mentiras

Esse livro foi nos mostrado por um fiel católico que queria explicações sobre as acusações protestantes contidas nesse livro. Só nos passou 12 das 20 acusações apesar de nos ter mostrado o sumário com as 20. Então vou colocar aqui somente as 12 divididas em 4 partes, quando tivermos acesso as 8 que ficaram faltando coloco aqui, porém todas já foram exaustivamente refutadas aqui e em outros blogs.
O livro como é de praxe mostra total ignorância sobre as doutrinas católicas, mas até ai tudo bem a grande maioria das acusações protestantes sempre se mostram assim, o problema é que o autor, de caso pensado, usa técnicas psicológicas e engloba mentiras e doutrinas de outras seitas que não condizem nada com a Igreja e as coloca como se fossem da Igreja, o que leva os menos instruídos a acreditarem no que ele diz.
É Triste ver isso ainda mais de pessoas que se dizem cristãs, e que dizem querer mostrar a verdade para converter as pessoas!
Mas vamos lá:
Vermelho – Livro

Azul – Refutação

1) A VERDADE SOBRE A AUTORIDADE DE BÍBLIA

Bíblia é a Palavra de Deus. Nela encontramos a verdadeira doutrina. “A doutrina de Cristo excede toda a doutrina dos homens santos.” Analise os fatos com base na Bíblia Ave-Maria.

A Bíblia é o único fundamento da fé

Segundo Thomas à Kempis, da ordem de Santo Agostinho, autor de “A imitação de Cristo”, “deve-se buscar a verdade na Escritura Sagrada.” Disse Jesus: “Conhecereis a verdade e a verdade vos livrará” (Jo 8.32 – Bíblia Ave-Maria).

Onde está escrito isso na bíblia que ela é o único fundamento de fé? Faça a si mesmo uma pergunta, o primeiro livro impresso do mundo foi a Bíblia de Gutenberg e isso só ocorreu no século XV, nos séculos anteriores e nos primeiro séculos que não tinha isso, e logicamente que demorava muito tempo para se transcrever a mão uma bíblia toda, como era que o povo todo ficava sabendo do evangelho?

Resposta: Sagrada Tradição!

Pergunta a um protestante, como ele sabe que a bíblia que ele está lendo hoje é realmente a palavra de Deus e que seus tradutores não a adulteraram, como a SBB fez com a NTLH?

O Novo Testamento só passou a ser escrito a partir da década de 50 dC. e não foi o Evangelho mas sim a 2 Tessalonicenses. Os Evangelhos só começaram a ser escritos no mínimo depois da década de 60/70 dC. E foi concluído no ano 90/100dC com o Apocalipse de João. Logo, Até o ano 100 não havia um NT concluído. Foram de 20 a 70 anos de Cristianismo sem um NT pronto. Logo, esses cristãos viviam da Tradição Oral e não da Palavra de Deus Escrita!
A Bíblia está acima da tradição da igreja

“A Bíblia pode ser descrita como a forma material da revelação divina especial”, “Portanto, não crer em qualquer palavra da Escritura é não crer em Deus.” Veja o perigo da tradição:

“Deixando o mandamento de Deus, vos apegais à tradição. E Jesus acrescentou: na realidade, invalidais o mandamento de Deus para estabelecer a vossa tradição” (Mc 7.8-9 – Ave-Maria).

Bom ao analisarmos o contexto de (Mc 7, 8-9) que Jesus estava falando de tradição (costumes), ele se referia aos costumes judaicos que os fariseus criaram a partir dos tempos e que se apegaram a materialidade desses costumes, e não da essência da tradição (mensagem passada por via meramente oral) em si. Por que como é que você acha que eram passados os ensinamentos da lei para as pessoas? Acaso todo mundo tinha uma copia do antigo testamento em casa, como temos hoje?

Bom em nenhum lugar da bíblia encontramos que ela é um único fundamento de fé, se o autor afirma isso, por que ele não provou com um versículo bíblico? Lógico que a Palavra de Deus é sagrada e venerada por todos nós, mas como saber se o que estamos lendo é realmente a palavra de Deus e não uma deturpação da mesma?

Vamos analisar o que Paulo diz:

“permanecei, pois, constantes, irmãos, e conservai as tradições que aprendestes, ou por nossas palavras, ou por nossa carta” (II Tes. 2,14)

“que vos aparteis de todos os que andam em desordens e não segundo a tradição que receberam de nós” (II Tes 3,6)

“O que de mim ouvistes por muitas testemunhas, ensina-o a homens fiéis que se tornem idôneos para ensinar aos outros” (II Tim 2,2).

“A Igreja fundada por Cristo, portanto, seria ela “a coluna e o firmamento da verdade” (I Tim 3,15)

A tradição serve pra isso ai salvaguardar as escrituras e tudo que foi passado pelos apóstolos por via meramente oral!
A Bíblia é superior à fé passada pelos pais

Como saber se o ensino dos pais confere com a Escritura, já que a maioria repassa o que recebeu pela tradição sem contudo, jamais ter lido a Bíblia? Avalie sua fé. A mulher samaritana cria nessa devoção à tradição familiar. Mas, quando Jesus a encontrou no poço de Jacó, disse a ela:

“Vós adorais o que não conheceis… Deus é espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em Espírito e em verdade” (Jo 4.22, 24 – Ave-Maria).

Conclusão: uma pessoa pode ser fiel na religião dos pais e estar fora do caminho da salvação, sem conhecer a Deus.

Certo, assim como a pessoa é fiel a religião dos pais e está no caminho de Deus, por que os pais mostram nos os caminhos de Deus, ou não é papel dos pais educar os filhos na fé?

Outra pergunta ao inteligentíssimo autor, no antigo testamento como era passado as escrituras para os fiéis? Todos tinham cópias das escrituras?

Como é que ele sabe que os pais das pessoas a quem ele endereça esse livro nunca leram a bíblia?

Os Adventistas vão ensinar aos filhos que devem guardar ainda o Sábado, e que as demais igrejas ensinam errado. As Testemunhas de Jeová vão ensinar aos filhos que Jesus não é Deus, e que todas as demais igreja ensinam errado. Uns vão defender que se usar cosméticos vai para inferno, outros não. E por ai vai. Tudo isso é tradição, pois, passam de pai para filho, e o curioso é que mesmo com a mesma Bíblia na mão, protestantes ensinam aos seus filhos doutrinas diferentes entre si.

No mais já foi respondido!!

2. A VERDADE SOBRE O DEVOTO E AS PROMESSAS

O devoto procura fazer a vontade de Deus, em amor a sua fé, da maneira que foi ensinado. As grandes romarias feitas a Aparecida do Norte e ao Juazeiro do Norte é uma evidência dessa dedicação. Contudo, por mais sincera que seja, esta fé deve ser examinada à luz da Bíblia. ” A autoridade da Escritura não depende do testemunho de qualquer homem ou Igreja, mas depende somente de Deus, que é seu autor” (II Tm 2.16). Veja como o próprio Tomas à Kempis comenta João 14.6:

“Sem o caminho, não há ida, sem a verdade, não há saber, sem vida, não há viver.”

Atos 18, 18. Paulo permaneceu ali (em Corinto) ainda algum tempo. Depois se despediu dos irmãos e navegou para a Síria e com ele Priscila e Áquila. Antes, porém, cortara o cabelo em Cêncris, porque terminara um voto.

A Caso Paulo estava contradizendo uma lei de Deus ao fazer um voto e não cortar o cabelo até que o voto terminasse? Bem que o autor pensa assim então vamos remover essa passagem da bíblia por que segundo ele está errado!
A Bíblia a devoção sincera

A Bíblia aponta o caso de devotos que foram ensinados que “fazer o bem sem olhar a quem,” salva. Contudo, o conhecimento da Escritura lhes revelou que “Deus não nos salva por sermos bons, mas nos torna bons por ter-nos salvo” e que “Jesus morreu pelos pecadores indignos, sem nenhum atrativo nem mérito.” Pois, “o que levou Deus agir em nosso favor não foi algo em nós (algum suposto mérito) mas, algo nele mesmo (Seu próprio favor que não merecíamos).

A Igreja Católica nunca ensinou em lugar nenhum que as obras sozinhas salvam ninguém!

Peço que provem o contrário! O que a Igreja afirma e sempre afirmou é que com as obras quem advêm da nossa fé cooperam para a abundância da graça de Deus em nós:

São Tiago fala bem o que significam as obras na história da salvação:

Tiago 2, 14. De que aproveitará, irmãos, a alguém dizer que tem fé, se não tiver obras? Acaso esta fé poderá salvá-lo? 15. Se a um irmão ou a uma irmã faltarem roupas e o alimento cotidiano, 16. e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, mas não lhes der o necessário para o corpo, de que lhes aproveitará? 17. Assim também a fé: se não tiver obras, é morta em si mesma. 18. Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. 19. Crês que há um só Deus. Fazes bem. Também os demônios crêem e tremem. 20. Queres ver, ó homem vão, como a fé sem obras é estéril? 21. Abraão, nosso pai, não foi justificado pelas obras, oferecendo o seu filho Isaac sobre o altar? 22. Vês como a fé cooperava com as suas obras e era completada por elas. 23. Assim se cumpriu a Escritura, que diz: Abraão creu em Deus e isto lhe foi tido em conta de justiça, e foi chamado amigo de Deus (Gn 15,6). 24. Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé? 25. Do mesmo modo Raab, a meretriz, não foi ela justificada pelas obras, por ter recebido os mensageiros e os ter feito sair por outro caminho? 26. Assim como o corpo sem a alma é morto, assim também a fé sem obras é morta.

Quer exemplo melhor que esse?

Até hoje os protestantes não entendem a questão da fé e obras e a Salvação pela Graça. É claro que Deus não nos salvou por sermos bons (2.ª Tm 1:9; Tt 3:5). Até porque ninguém é só bondade, temos pecados.

Salvação pela Graça significa simplesmente que Cristo veio ao mundo para nos salvar sem esperar que fôssemos bons, sem esperar que ajudássemos o próximo. A ida Dele para cá para nos salvar não dependeu disso. No entanto, para que esta Graça seja real na nossa vida, sem dúvida alguma precisamos, entre outras coisas, ajudar o próximo, por Amor a Ele. Ele está no próximo, no doente, no preso, no que vivem na miséria. Ajudar o próximo inclusive no material. Mas, mesmo estas boas obras não são frutos unicamente do coração humano, elas já foram preparadas por Deus para a nossa Salvação.

Ler mais:

Mt 25, 31-46; 1.ª Jo 3, 16-19, Hb 6:10, 10:24; Tt 3:14Ap 2:23.

O caso de Cornélio, o devoto que buscava ser salvo pelas obras

A Bíblia fala de Cornélio (At 10.2): “Ele era religioso com toda sua casa, fazia esmolas e orava a Deus”. Pedro, porém, mostrou-lhe o único meio de ser perdoado e salvo. Veja:

“Deus ungiu a Jesus de Nazaré. Os que nele crêem recebem o perdão dos pecados por meio do seu nome.” (At 10.38-43; Bíblia Ave-Maria)

“A Graça, porém, retorna tudo a Deus, de quem originalmente fluiu. Não atribui bem nenhum a si.”

Veja como uma pessoa para suprir seu ódio deturpa a bíblia de acordo com sua própria vontade, o autor desonesto coloca apenas metade da passagem e completa com outra para dar sentido ao que ele quer dizer, então vamos ler a passagem toda para desmascará-lo:

Atos 10, 1. Havia em Cesaréia um homem, por nome Cornélio, centurião da coorte que se chamava Itálica. 2. Era religioso; ele e todos os de sua casa eram tementes a Deus. Dava muitas esmolas ao povo e orava constantemente. 3.4. Cornélio fixou nele os olhos e, possuído de temor, perguntou: Que há, Senhor? O anjo replicou: AS TUAS ORAÇÕES E AS TUAS ESMOLAS SUBIRAM À PRESENÇA DE DEUS COMO UMA OFERTA DE LEMBRANÇA. Este homem viu claramente numa visão, pela hora nona do dia, aproximar-se dele um anjo de Deus e o chamar: Cornélio!

Vejam o que o anjo disse: “AS TUAS ORAÇÕES E AS TUAS ESMOLAS SUBIRAM À PRESENÇA DE DEUS COMO UMA OFERTA DE LEMBRANÇA.”

As esmolas de Cornélio Serviram para que Deus se lembrasse dele, veja ai a contradição do autor!

Cornélio era um homem bom e já era convertido ao Senhor fazia obras por causa da sua fé e o Senhor se agradava com isso, o autor não poderia ser mais infeliz em deturpar essa passagem, acho que ele pensava que ninguém ia conferir na Bíblia a passagem inteira. Só pode!!


3. A VERDADE SOBRE ROMARIAS E A SALVAÇÃO

Nicodemos era um homem muito religioso e temente a Deus. Ele era uma espécie de padre. Contudo, Jesus lhe diz:

“Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus” (Jo 3.3; Bíblia Ave-Maria).

Muitos, no entanto, afirmam que serão salvos por causa da Igreja. Dizem: “eu nasci nesta religião e morrerei nela.” A Igreja existe para servir, mas não serve para salvar.

O que “muitos afirmam” que vão ser salvos por causa da Igreja é problema deles, o que a Igreja diz é outra coisa. Vamos ao prólogo do catecismo da Igreja:

“PAI, … a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o Deus único verdadeiro, e aquele que enviaste, Jesus Cristo” (Jo 17,3). “Deus, nosso Salvador … quer que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade” (1 Tm 2,3-4). “Não há, debaixo do céu, outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12), afora o nome de JESUS.

A Igreja está ai para pregar o evangelho de Jesus Cristo no mundo para que todos o conheçam a verdade e se salvem e não para salvar, ninguém é salvo por se dizer católico nem por se dizer protestante! Vejam o que diz o parágrafo 837 do catecismo:

“Contudo não se salva, embora esteja incorporado à Igreja, aquele que, não perseverando na caridade, permanece dentro da Igreja ‘com o corpo’, mas não ‘com o coração.”

O homem que buscava ser salvo pelo esforço próprio

No caso de Lc 18. 9-14, Jesus conta que o fariseu dizia como muitos, parafraseando: “sou uma boa pessoa, procuro fazer o bem, nunca roubei e não desejo o mal para ninguém.” Mas, “ele orava de si para si,” por isso não foi salvo e sim o publicano, que reconheceu que as obras nada valem para salvar.

O autor já foi desmascarado quando mostrei a própria passagem que ele citou (Atos 10,1-4) no item anterior, e pela epistola de São Tiago capitulo 5!

O mal é não saber diferenciar as coisas, Obras sem Jesus, de Obras com e por Jesus!!

O homem que buscava ser salvo pela tradição e mandamentos

Paulo era um devoto à tradição dos antigos como muitos católicos que guardam com sinceridade a tradição dos parentes, seguindo novenas, procissão, o batismo e crisma. Paulo também era pregador de votos (promessas) e desde a infância guardava os mandamentos. Mas, ele diz em At 22 e 23 que estas práticas de nada valeram para salvá-lo. Foi preciso encontrar-se com o Salvador. Veja o que ele diz:

“A Lei não justifica ninguém diante de Deus.” “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não de obras, para que ninguém se glorie.” “Eu não me envergonho do Evangelho, pois ele é a força salvadora de Deus para todo aquele que crê” (Gl 3.10-11; Ef 2.8-9; Rm 1.16 – CNBB).

Bom e desde de quando a Igreja católica diz que alguém é salvo por essas práticas, apesar delas contribuírem para a nossa caminhada a salvação? Releiam o prólogo do catecismo! E nas refutações mais adiante vou mostrar realmente o pensamento da Igreja em relação a salvação!!

Ele diz que Paulo antes de ser cristão era pregador de votos (promessas), e que depois não era mais então segundo o autor a bíblia está mentindo, confira:

Atos 18, 18. Paulo permaneceu ali (em Corinto) ainda algum tempo. Depois se despediu dos irmãos e navegou para a Síria e com ele Priscila e Áquila. Antes, porém, cortara o cabelo em Cêncris, porque terminara um voto.

Paulo já era cristão quando fez isso!!


Somos salvos para praticar boas obras, mas não fomos salvos porque praticamos boas obras. Só Jesus salva.

É quem desde quando a Igreja católica disse que outra pessoa salva? O que os protestantes não entendem é que existe a diferença do que Deus dá por que não merecemos a salvação, para o que fazemos para mostrar que somos gratos a ele e conseqüentemente “provar” a Deus que o amamos. Já citei na acusação anterior a passagem que Tiago explica direitinho a história da obras na salvação!

“encobre uma multidão dos pecados” (cf. 1Pd 4,8; Tg 5,20; Pr 10,12);

Leiam e descubram o que “encobre uma multidão de pecados!”

Continua….

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s