40 Questões respondidas!

Publicado: 10 de julho de 2010 por Rafasoftwares em Mentiras

Como é de praxe mais uma vez os protestantes com suas inúmeras invensões contra a Igreja Católica, saem por ai propagando mentiras. Em uma discursão em uma comunidade achei 40 “acusações” contra a Igreja, ia até refuta-las mais algum outro irmão apologista já tinha o feito, então vamos postar (de vermelho) aqui as acusações e suas devidas refutações (de preto).

1) Em 320 foi introduzido o uso de velas, que é um hábito pagão:

– Esta afirmação mostra total ignorância da Bíblia. Desde o AT as velas são utilizadas na liturgia.

– Elas são utilizadas no templo: “Farás um candelabro de ouro puro… Far-lhe-ás também sete lâmpadas. As lâmpadas serão elevadas de tal modo que alumiem defronte dele” (Ex 25,31.37). Outros:  1Rs 7,49; 2Cr 4,7.20; Jr 52,19.

Na Igreja:

– Será que nas catacumbas, os cristãos usavam luz elétrica?

– A vela é luz, símbolo de Cristo. Ela se consome iluminando, como Cristo deu a sua vida, e todos os cristãos são chamados a consumir sua vida para iluminar o mundo (Mt 5,14).

Mt 5,15: O Senhor se refere à luz que brilha sobre um candeeiro.

Ap 1,13; 2,1: Cristo aparece entre candelabros.


2) Em 375 foi instituído o culto aos santos e anjos:

– Já nas catacumbas de Roma aparecem as imagens feitas pelos primeiros cristãos. Confira no nosso site Dicionário da fé, artigo “Respondendo aos Protestantes”.
3) Em 394 foi instituída a missa:

– A Missa foi instituída por  Nosso Senhor Jesus Cristo, na última quinta feira de sua vida mortal, conf. Mt 26,28; Mc 14,24; Lc 22,20; 1Cor 11,25. Aparece entre os primeiros cristãos, inclusive é citada nos Atos dos Apóstolos:No primeiro dia da semana, tendo-nos nós reunidos para a fração do pão…” (At 20,7). E Fazia parte do primeiro Catecismo cristão: “Reuni-vos no dia do Senhor para a fração do pão e agradecei (celebrai a eucaristia), depois de haverdes confessado vossos pecados, para que vosso sacrifício seja puro.(Didaqué, XIV,1).

– O primeiro a usar a palavra Missa no sentido atual foi provavelmente S. Ambrósio (+ 397) na epístola 20,4. S. Agostinho (+ 430) escrevia: “Eis que após o sermão se faz a missa (= despedida) dos catecúmenos; ficarão apenas os fiéis batizados” (serm. 49,8).
4) Em 431 foi instituída o culto a Virgem Maria:

– Ora, o culto a Maria é bíblico. Nós repetimos na Ave-Maria as palavras do Arcanjo Gabriel. É só ler Lc 1, 26ss…
E a proclamamos bem-aventurada…(Lc 1, 45.48).

– Concílio de Éfeso em 431 declarou-a “Theotokos”. mãe de Deus. Verdade que era crida desde os primórdios da Igreja.

5) Em 500 o uso da roupa sacerdotal:

– Os paramentos litúrgicos são bíblicos: “as vestes de cerimônia para o serviço do santuário, e os ornamentos sagrados para Aarão, como o Senhor havia ordenado a Moisés.”(Ex 39,1);

“Fizeram-se túnicas de linho, tecidas, para Aarão e seus filhos;” (Ex 39,27).

6) Em 528 a extrema unção:

– “Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.” (Tg 5,14).
7) Em 593 a doutrina do purgatório:

– Provas bíblicas:  Mq 7,8-9; Mt 12,32; Mt 5,25-26; 1Cor 3,15

– Quem tem poder de “ligar e desligar”, é que definiu a doutrina que sempre foi crida. Como já disse a data é para por fim à discussão, pois a doutrina é considerada absolutamente certa e imutável. E a Bíblia está cheia de passagens alusivas à purificação pós-morte (=purgatório). Mais um esclarecimento: Não é a palavra que interessa, mas é o conceito o seu significado que é bíblico. (Poderíamos perguntar aos protestantes: Santíssima Trindade é verdade? Esta palavra não está na Bíblia, e daí?).

-E como  dogma foi promulgado em 1274.
8) Em 600 os serviços feitos em latim e rezas dirigida a Maria:

– O latim é tão importante que foi uma das 3 línguas em que foi escrita a causa da condenação de Jesus e colocada na sua cruz (Jo  19,20).  Assim no Oriente o rito litúrgico continuou com o grego como língua oficial. No ocidente (Roma), o grego foi cedendo lugar ao Latim, até que no quarto século, a Igreja de Roma foi definitivamente latinizada (cf. A. G. Martimort ed; La Chiesa in preghiera, Collegeville, 1992, I, p. 161-165).

9) Em 606 Bonifácio III se declara Bispo Universal, ou Papa:

– O primeiro papa foi Pedro instituído por Jesus(Mt 16,16-19).  Antes de Bonifácio III (606-607) houve 65 papas !!!

10) Em 706 a obrigatoriedade de se beijar os pés do Bispo Universal:

– Onde ? Qual documento ?

11) Em 786 foi introduzida a adoração a imagens e relíquias:

– Deus não se contradiz. Se Ele proibisse fazer imagens, como Ele mesmo mandaria fazer em Ex 25,28; Ex 26,1; Nm 21,8… ???

12) Em 850 foi introduzido o uso da água benta:

– A aspersão de purificação também existe deste o AT –  Nm 19,17ss);

– Na Igreja é ousada desde os primórdios, em correlação com o Batismo. o Batismo é um sacramento; a água benta é um sacramental);

– Onde os protestantes arranjaram esta data? Qual documento?
13) Em 890 o culto a José:

– O culto aos santos remonta aos primórdios da Igreja, como atesta o historiador Eusébio de Cesaréia: “Igualmente o trono de Tiago, o primeiro a receber do Salvador e dos apóstolos o episcopado da Igreja de Jerusalém e freqüentemente nas Escrituras é designado como irmão de Cristo (Gl 1,19; 1Cor 15,7; Mt 13,55), foi conservado até hoje e os irmãos da região sucessivamente o cercaram de cuidados. Deste modo realmente demonstram a todos a veneração que os homens de outrora e os atuais dedicavam e ainda dedicam aos homens santos, porque amados de Deus. Eis o referente a esta questão.” (Eusébio de Cesaréia, HE VII,19. 375 DC).

14) Em 993 a canonização dos santos:

– As referências aos santos estão profusamente assinaladas nas Escrituras. São inúmeras passagens: Lc 1 ,70; At 3,21; Rm 1,7; 8.27; 1Cor 7,14 …etc…etc..

15) Em 998 o jejum as sextas feiras e na quaresma:

– O jejum é bíblico:  “Podem porventura jejuar os convidados das núpcias, enquanto está com eles o esposo?” (Mc 2,19). Outros: Mt 17,20; At 27,9.33…)

16) Em 1003 foi instituída as festas dos fiéis defuntos:

– Desde o Antigo Testamento já havia o costume de se rezar pelos mortos(2Mc 12,46)…

17) Em 1076 o dogma da infalibilidade da igreja

– Qual o documento? O que sabemos é que a infalibilidade da Igreja se fundamenta na Palavra do Senhor, claríssima: “as portas do inferno não prevalecerão contra ela.“(Mt 16 ,18).

18) Em 1079 foi decretado o celibato sacerdotal por decreto de Bonifácio VII, para que os herdeiros não desviem as possessões da igreja:

– O Celibato não se opõe ao Matrimônio que é um Sacramento da Igreja, e é fundamentado na Palavra de Jesus que diz: “há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus.”(Mt 19,12. Conselho reforçado por São Paulo: “Pois quereria que todos fossem como eu…” (1Cor 7,7). A praxe do celibato sacerdotal tem suas raízes em 1Cor 7,32-34.

Na Igreja: Concílio de Elvira (Espanha) por volta do ano 300; proibia aos Bispos, sacerdotes e diáconos, sob pena de degradação, o uso do matrimônio e o desejo de ter prole (cânon 33). Concílio Ecumênico de Latrão-I em 1123: a todos os clérigos, a partir do subdiaconato, foi prescrito o celibato.

19) Em 1090 a invenção do rosário:

– O Rosário é um conjunto de orações: Credo ( = símbolo dos apóstolos); Pai-nosso (bíblico); Ave-Maria (bíblia + oração da Igreja)…
20) Em 1184 instituição da Santa Inquisição:

– Procedimento de toda a sociedade medieval. Houve também a inquisição protestante e o massacre calvinista e até hoje ainda vemos casos como este: “assim que os protestantes ficaram sabendo que eu retornei para o Catolicismo, muitos me procuraram e começaram a me ameaçar, fui até agredido fisicamente e hoje sou ameaçado de morte.” (Albertove, Ex- Pastor da Assembléia de Deus). Veja o testemunho completo no site:  www.recados.aarao.nom.br – Mais sobre Inquisição protestante no artigo “Respondendo aos Protestantes-item-VII”, do site: www.dicionariodafe.com.br.

21) Em 1190 a venda de indulgências:

– A doutrina das indulgências têm fundamento bíblico em 2Sm 12,13-14. Já no Antigo Testamento aparecem claras as duas dimensões do pecado: A culpa e as penas. Quando Davi arrependeu-se o seu pecado: “Pequei contra o Senhor“(2Sm 12,13), o profeta Natã lhe disse: “O Senhor perdoa o teu pecado; não morrerás“(2Sm 12,13), mas acrescenta em seguida: “Todavia, como desprezaste o Senhor com essa ação, morrerá o filho que te nasceu” (2Sm 12,14). Aí estava a pena imposta pelo Senhor, embora o seu pecado tivesse sido perdoado, quanto à culpa.

Quanto ao ‘bom ladrão’, é preciso dizer que Jesus é a única fonte de todo bem: Tanto para apagar a culpa como as penas do pecado. Por isso ele concedeu ao ‘bom ladrão’ os dois benefícios. Não sou eu que vou limitar a misericórdia de Jesus…

22) Em 1200 o pão da comunhão foi substituído pela hóstia:

– Pão existe é nas “ceias” protestantes…

– No Santo Sacrifício da Missa, após a consagração, a Hóstia é Jesus, e Jesus sendo Deus, deve ser adorado!

Desde que Jesus instituiu a Eucaristia na última 5ª feira, véspera de sua Paixão, foi assim: “Isto é o meu Corpo” (Mc 14,22; Lc 22,19).

23) Em 1215 criou-se a confissão:

– Desde o Antigo Testamento é prefigurado o sacramento da confissão (Nm 5,7; Eclo 4,31; Ne 9,2-6) e Jesus o instituiu: “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos” (Jo 20,23). Também Mt 3,6. Fica a pergunta: “Como os apóstolos poderão cumprir a ordem de Jesus de PERDOAR ou RETER os pecados de alguém, se ninguém lhes confessa esses pecados?“.
24) Em 1215 o dogma da transubstanciação:

– A Igreja não “cria” dogmas. Depois de estudar em profundidade e ouvir o Espírito Santo a Igreja proclama doutrinas, como verdades definitivas, às quais chamamos de “dogma”. Transubstanciação significa a mudança de substância. É o que ocorre com o pão e o vinho que se convertem no Corpo e no Sangue de Jesus, pelas palavras do sacerdote na consagração, onde opera “in persona Christi” (na pessoa de Cristo). – Está fartamente fundamentada nas Escrituras e nos escritos dos primeiros cristãos.

Bíblia: Mc 14,22; Lc 22,19; 1Cor 11,24; Mt 26,28; Mc 14,24; Lc 22,20; 1Cor 11,25…

Tradição:[Cristo] declarou o cálice, uma parte de criação, por ser seu próprio Sangue, pelo qual faz nosso sangue fluir; e o pão, uma parte de criação, ele estabeleceu como seu próprio Corpo, pelo qual Ele completa nossos corpos.” (Santo Irineu de Lião, Contra Heresias, 180 d.C.).
25) Em 1220 a adoração da hóstia:

– A Hóstia consagrada é Jesus presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade (conf. Mc 14,22; Lc 22,19; 1Cor 11,24; Mt 26,28; Mc 14,24; Lc 22,20; 1Cor 11,25…). Portanto nela adoramos a Jesus, digno de toda honra, toda glória, todo louvor, desde agora e por todos os séculos…
26) Em 1229 a proibição da leitura da Bíblia pelos leigos:

– O que houve  não foi proibição de leitura, mas o Concílio de Tolosa (França) proibiu traduções da Bíblia para o vernáculo para evitar erros, proibição retirada pelo Concílio da Tarragona (Espanha) em 1233). O Sínodo de Oxford (1408) proibiu a publicação e a leitura de textos vernáculos da Bíblia não autorizados. O mesmo se deu no Sínodo dos Bispos alemães em Mogúncia (1485), devido a confusão doutrinária criada por John Wiclef (1320-84). O Concílio de Trento (1545-1563) declarou autêntica a Vulgata latina, tradução devida a S. Jerônimo (+420) e decretou que as traduções da Bíblia deveriam conter o visto do Bispo diocesano, para se evitar abusos de tradução.

– É a Igreja exercendo seu papel de zelar pela fidelidade da doutrina conf. 2Tm 4,2; Tt 1,13.
27) Em 1245 o uso de sinos na missa:

– Apenas uma maneira de alertar os fiéis e reuni-los para as cerimônias religiosas. Que mal há nisto ou onde há proibição disto?

28) Em 1316 a instituição da reza Ave Maria:

– A Ave Maria é a saudação do anjo Gabriel a Maria:  Lc 1 e complementada pela Igreja no Concílio de Éfeso (431 AD).


29) Em 1414 a eliminação do vinho na comunhão:

Até hoje é servido, embora nem todo dia.

30) Em 1439 a doutrina do purgatório:

–  Mq 7,8-9; Mt 12,32; Mt 5,25-26; 1Cor 3,15. Quem tem poder de “ligar e desligar”, é que definiu a doutrina que sempre foi crida. Como já disse a data é para por fim à discussão, pois a doutrina é considerada absolutamente certa e imutável. E a Bíblia está cheia de passagens alusivas à purificação pós-morte (=purgatório). Mais um esclarecimento: Não é a palavra que interessa, mas é o conceito o seu significado que é bíblico.

31) Em 1508 a Ave Maria oficialmente aprovada:

– Qual o documento? Sabemos que a Ave Maria tem sua primeira parte bíblica, na saudação do anjo Gabriel a Maria (Lc 1) e a complementação foi feita pela Igreja no Concílio de Éfeso (431 AD).
32) Em 1517 começa a reforma:

– Não rebatida.
33) Em 1545 a doutrina que equipara a tradição com a Bíblia:

– Na verdade isto já está na própria escritura…2Ts2,15: “ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.”.

– A própria Bíblia diz que nem tudo está nela, ou porque Jesus não ensinou (Jo 16,12) ou porque não foi escrito (Jo 20,30; 21,25).

– Os concílios nada mais fazem que ratificar as verdades que sempre foram cridas.

34) Em 1546 os apócrifos foram incorporados ao cânon:

– Os apócrifos nunca foram incorporados ao Cânon. Há aí uma confusão com os deuterocanônicos. Mas reafirmamos que os deuterocanônicos também não foram acrescentados pela Igreja ao Cânon. Na realidade eles foram retirados pelos protestantes, pois já integravam a Bíblia desde o século IV (Concílio de Hipona, 393 AD). Somente no século XVI eles foram retirados da Bíblia protestante, mas a Bíblia Católica continua inalterada.

35) Em 1600 a invenção dos escapulários:

– A devoção do Escapulário foi pedida por Nossa Senhora, na sua aparição a São Simão Stock, em 1251.


36) Em 1854 dogma da imaculada concepção de Maria:

– O dogma da Imaculada Conceição da Virgem Maria foi realmente promulgado pelo papa Pio IX em 1854. Como já se sabe, foi a confirmação de uma verdade que foi crida pela Igreja em todos os tempos desde os seus primórdios. A promulgação do dogma não “cria” a verdade, mas apenas a ratifica e coloca um termo às discussões sobre sua pertinência.

37) Em 1864 condenação da separação da igreja do estado:

– Desde o Aantigo Testamento Deus constituiu seu povo eleito e mandava ungir os reis para o seu governo. 1Sm 16,13; 1Rs 1,39…

38) Em 1870 foi declarada a infalibilidade papal por Pio IX:

– A Infalibilidade papal foi dada a Pedro por Jesus Mt 16,16-19 e Lc 22,32. O dogma não é criado em data “x’. A data de sua solene proclamação é apenas a colocação de um ponto final na discussão do assunto. Pois a Igreja já concluiu que “tal verdade” não pode ser negada nem no presente nem no futuro. Quanto ao caso específico: Infalibilidade. Ela sempre foi aceita, desde que Jesus proferiu solenemente a Pedro as palavras que estão em Mt 16,16-19. Portanto o dogma não é a criação de uma verdade, mas é antes de tudo, o encerramento da questão e a condenação de quem a negar: “Se, pois, alguém disser que o Apóstolo São Pedro não foi constituído por Jesus Cristo príncipe de todos os Apóstolos e chefe visível de toda a Igreja militante; ou disser que ele não recebeu direta e imediatamente do mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo o primado de verdadeira e própria jurisdição, mas apenas o primado de honra – seja excomungado” (Conc. Vaticano I,m Sessão IV, 18.07.1870).

39) Em 1950 o dogma da ascensão de Maria:

– Não é “ascensão”, mas “assunção” de Maria.

– O Espírito Santo inspirou a Igreja, conforme promessa de Jesus em Jo 14,16. É mais do que lógico, pois ela é IMACULADA = CHEIA DE GRAÇA – Conf. Lc l,28.

– A Assunção de Maria aos céus é uma verdade sempre crida em toda a caminhada da Igreja. Têm fundamento bíblico, pois aquela que é “Cheia de Graça” (Lc 1,28) não poderia experimentar a corrupção. O Salário do pecado é a morte. Jesus morreu por nossos pecados, pois não possui próprios, mas seu corpo não experimentou a corrupção. Maria também não teve pecado (sua concepção foi imaculada), então seu corpo, como o do seu Filho não experimentou a corrupção. Quem disse foi Pedro: “Roma locuta, causa finita“. Pois ele recebeu de Jesus a autoridade para “ligar e desligar”.

40) Em 1965 Maria é proclamada a Mãe da igreja:

– “Ele é a Cabeça do corpo, da Igreja” (Cl 1,18). Mãe de Cristo (Cabeça) é também mãe do Corpo (Igreja). Onde já se viu ser mãe da cabeça e não do corpo ???

Fonte : Dicionário da Fé

Anúncios
comentários
  1. Daniel Dumaresq disse:

    “35) Em 1600 a invenção dos escapulários:

    – A devoção do Escapulário foi pedida por Nossa Senhora, na sua aparição a São Simão Stock, em 1251.”

    Engraçado que quando se trata de Mórmons ou Protestantes é dito aqui que não é uma Santa Aparição.

    “40) Em 1965 Maria é proclamada a Mãe da igreja:

    – “Ele é a Cabeça do corpo, da Igreja” (Cl 1,18). Mãe de Cristo (Cabeça) é também mãe do Corpo (Igreja). Onde já se viu ser mãe da cabeça e não do corpo ???”

    Falta fundamentação bíblica.

    39) Em 1950 o dogma da ascensão de Maria:

    – Não é “ascensão”, mas “assunção” de Maria.

    – O Espírito Santo inspirou a Igreja, conforme promessa de Jesus em Jo 14,16. É mais do que lógico, pois ela é IMACULADA = CHEIA DE GRAÇA – Conf. Lc l,28.

    – A Assunção de Maria aos céus é uma verdade sempre crida em toda a caminhada da Igreja. Têm fundamento bíblico, pois aquela que é “Cheia de Graça” (Lc 1,28) não poderia experimentar a corrupção. O Salário do pecado é a morte. Jesus morreu por nossos pecados, pois não possui próprios, mas seu corpo não experimentou a corrupção. Maria também não teve pecado (sua concepção foi imaculada), então seu corpo, como o do seu Filho não experimentou a corrupção. Quem disse foi Pedro: “Roma locuta, causa finita“. Pois ele recebeu de Jesus a autoridade para “ligar e desligar”.

    Que tal: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”?

    • Rafasoftwares disse:

      E que Tal irmos a bíblia protestante João Almeida para saber:

      “Porém uma é a minha pomba, a minha imaculada, a única de sua mãe, e a mais querida daquela que a deu à luz; viram-na as filhas e chamaram-na bem-aventurada, as rainhas e as concubinas louvaram-na.” (Ct 6, 9)

      Quem é a Bem aventurada?

      Lucas 1, 48. porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações,

      Quem é a a bendita entre as mulheres que as concumbinas louvaram na?

      Lucas 1, 42 “E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.”

      Ou seja a bíblia diz que Maria é Imaculada desde o antigo testamento.

      Canticos 4, 7. És toda bela, ó minha amiga, e não há mancha em ti.

      Desde o cristianismo primitivo diversos Padres da Igreja defenderam a Imaculada Conceição da Virgem Maria, tanto no Oriente como no Ocidente. No século IV, Efrém da Síria (306-373), diácono, teólogo e compositor de hinos, propunha que só Jesus Cristo e Maria são limpos e puros de toda a mancha do pecado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s