A Igreja Fundada Por Cristo – Final

Publicado: 9 de julho de 2010 por Rafasoftwares em História da Igreja

Respondendo a certos questionamentos…

SE PEDRO FOSSE O PAPA.
• Os discípulos não brigariam pela primeira posição entre si (Mat. 23: 8,10; Luc. 9: 46; 22: 24-30).
Resposta: Quanto a chamar de pai e de mestre, vale lembrar que os apóstolos eram tidos como pais de cristãos, visto que os chamava de filhinhos (Gl 4:19; 1.ª Jo 2:1.12.18.28; 3, 1:5.7.18; 4:4; 5:21; 1.ª Pd 5:13; Fl 1:10; 2.ª Tm 1:2; 2:1; Tt 1:10). E Tiago chama Abraão de pai (Tg 2:21). Até S. João Batista tinha discípulos, logo era mestre (Mt 9:14). Mas, eram pais e mestres em Cristo, não por si só. Então Jesus é contra se chamar alguém de pai ou de mestre no lugar Dele.

• Não seria o apóstolo da Circuncisão (Gál. 2: 8).
Resposta: Enquanto que Paulo passou a pregar só aos pagãos pois foi rejeitado pelos judeus (circuncisos) At 13:46, Pedro pregou aos judeus e aos pagãos, alias foi ele quem decidiu em Cristo (mais uma autoridade exercida) que o Espirito Santo deveria sim continuar a ser derramado sobre os pagãos (At 10, 34-35).

• Como ficaria seu casamento? (Mat. 8: 14. Mar. 1: 30. Luc. 4: 38).
Resposta: Estas passagens falam da sogra de Pedro, até viúvos têm sogra. Nada cita de esposa de Pedro. Filhos então, silêncio total. Tanto de Pedro como de todos os apóstolos. Eram todos estéreis?

• Não levaria sua esposa em suas viagens missionárias (I Cor. 9: 5).
Resposta: Traduzir por “mulher cristã” por esposa crente é comprometedor, pois aqui estaria se fala em “uma esposa crente”. Ora, será que os apóstolos tinham mais de uma esposa para poderem trazer uma delas? Claro que não. A tradução aki é “mulher cristã” ou “mulher irmã”, não no sentido de mulher-esposa, mas de cristã. Uma cristã que viajava e auxiliava os apóstolos nas terefas domésticas pois estes eram cristãos. Esposa em grego é σύζυγος mulher em grego é γυναίκα e a palavra usada em 1.ª Cor 9:5 foi σύζυγος, ou seja, esposa.

Paulo não poderia exigir o direito de levar uma “esposa crente” para as viagens porque não era casado:
“Aos solteiros e às viúvas, digo que lhes é bom se permanecerem assim, como eu.” (1.ª Cor 7:8)

Logo, Paulo não poderia se incluir neste direito usando o pronome “nós”: “Não temos nós o direito…?”

A única tradução que faz lógica aqui é mulher e não no sentido de esposa, mas de cristã, serva. Sabendo disso é que as Bíblias protestantes mais sérias possuem esta tradução:

1 Coríntios 9, 5 Não temos nós direito de levar conosco uma mulher irmã, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? (Bíblia Protestante “Almeida”, Revista e corrigida)

1 Coríntios 9, 5 E também o de fazer-nos acompanhar de uma mulher irmã, como fazem os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? (Bíblia Protestante “Almeida”, Revista e atualizada)

• Não negaria a Jesus (Luc. 22: 57).
Resposta: Negaria sim, pois, Pedro só recebeu a força do alto em Pentecostes, agia algumas vezes pelo humano. E além disso as 3 confirmações de amor a Jesus apagaram as 3 negações (Jo 21)

• Não mentiria ao ser identificado como apóstolo (Luc. 22: 58).
Resposta: Sim, na sua iniciativa humana. Pois o Papa tem falhas pessoais não quando proclama Dogmas.

• Não disfarçaria diante da verdade (Luc. 22: 60).
Resposta: Idem.

• Enviaria outros apóstolos para Samaria ao invés de ser enviado (Atos 8: 14).
Resposta: O Papa é escolhido, ele não se escolhe. Os cardeais o escolhem e ele é enviado a missão. E uma de suas missões é responde pela Igreja.

• Não se justificaria perante a igreja, por haver batizado Cornélio (Atos 11:1-11).
Resposta: Pedro não se justificou, explicou sua atitude de ir a casa de um pagão, e que a partir daquele momento o Evangelho estava sendo escancarado aos pagãos. Algo que até então não era aceito e não foi compreendido pelos demais.

• O primeiro Concílio Cristão, ocorrido no ano 52 d.C., seria presidido por ele e não por Tiago (Atos 15: 13,19).
Resposta: Até onde eu sei, se numa reunião os ânimos se elevam, e vira uma confusão, quem deve retomar a ordem é quem está a frente dela. E este foi Pedro:

“Ao fim de uma grande discussão, Pedro levantou-se e lhes disse:…” (At 15:7) Tiago apenas repetiu as palavras de Pedro como Bispo de Jerusalém, local do Concílio.

• A Carta Oficial deste Concílio seria assinada por ele e não foi (Atos 15: 22-23).
Resposta: Foi sim, só que não apenas ele. Em um Concílio não é só o Papa quem assina.

• Paulo não o repreenderia publicamente, sendo “infalível” (Gál. 2:11-14).
Resposta: É infalível quanto a dogmas não quanto a erros e pecados. São Francisco de Assis e outros santos chamaram a atenção de seus papas e não foram repreendidos e muito menos foram para a fogueira.

• Estaria na primeira posição e não na segunda, como coluna da igreja (Gál.2: 9).
Resposta: única exceção em todo o NT e já explicada.

• Jesus não repreenderia os discípulos dizendo que quem “quiser ser o primeiro seja vosso servo” (Mat. 20: 20-28).
Resposta: Ele não proíbe de querer ser o primeiro mas que queira ser o primeiro servindo aos outros.

• Jesus não diria que quem “quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos” (Mar. 9: 35).
Resposta: Idem

• Jesus não diria que entre eles quem “quiser ser grande, será vosso serviçal” (Mar. 10: 35-45).
Resposta: Idem.

• Jesus não diria que “aquele que entre vós todos for o menor, esse mesmo é grande” (Luc. 9: 48).
Resposta: Aqui Cristo deixa claro que existe sim o maior “Aquele que for o maior…”, mas precisa estar a serviço da Igreja.

• Jesus não diria isso: “Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve” (Luc. 22: 26).
Resposta: Mais uma vez Ele confirma que há o maior, na humildade.

As chaves:

Alguns protestantes e judeus afirmam ainda que as chaves não foram dadas apenas a Pedro e sim a todos os Apóstolos. Engano, é claro que todos os Apóstolos tinham autoridade, assim como todo bispo tem sua autoridade, mas, não se pode confundir ligar e desligar com abrir e fechar. As chaves representam uma autoridade maior.

Ter a chave é para poucas pessoas na Bíblia, pois, demonstra confiança e autoridade. Pedro não roubou as chaves do Reino dos Céus, Jesus as deu a ele! Se não houvesse apenas uma pessoa como referência maior, ia ser difícil se ter uma decisão, porque cada Apóstolo teria opiniões diferentes. Onde há várias pessoas decidindo é preciso deixar que uma só dê a palavra final (Eclo 42:7). Eliaquim, filho de Helcias recebe as chaves sobre Israel, e chefia em Nome de Deus (Is 22, 20-22): “…Porei sobre seus ombros a chave da casa de Davi; se ele abrir, ninguém fechará, se fechar, ninguém abrirá.” Depois os fariseus tiveram as chaves do conhecimento mas não a administraram bem (Lc 11:53). Daí a chave do Reino dos Céus, para abrir e fechar, que é ainda mais do que ligar e desligar, foi dada unicamente a Pedro: “Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus…”. Jesus, é o único dono de todas as chaves, as chaves da morte (Ap 1:18) e Pedro a usou certa vez (At 5), Ele é Quem tem a chave da casa de Davi (Israel) e deu a Eliaquim (Ap 3:7), tem a chave do inferno e deu ao Anjo do Abismo (Ap 9:1). E a chave dos Céus, que Lhe pertence, Ele a confiou a Pedro. Coube a Pedro ligar e desligar (doutrinar [com palavra final], permitir ou não permitir algo…) e com exclusividade, abrir e fechar o Céu às pessoas (sentenciar a morte [At 5], abrir os céus aos não-judeus [At 10]…) sempre nas questões mais polêmicas sua liderança é clara, em Nome de Cristo, claro.

Essa Foi nossa Série de aulas sobre a Igreja Fundada por Cristo, em breve postaremos outras aulas com o mesmo tema da história da Igreja…

Aula Por: Emerson.

Anúncios
comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s